A Teologia do Empreendedorismo

Seria o empreendedorismo uma nova religião? Essa é uma pergunta que eu tenho feito recentemente e por diversas vezes. Ver a temática sendo tratada dessa forma em muito me incomoda. Uma vez que se prega literalmente a grupos de pessoas sobre uma vida empreendedora regada a champagne e rosas, jogando no lixo todo um estudo necessário de mercado para o investimento de qualquer empreendimento.

Seria o empreendedorismo uma nova religião?

Essa é uma pergunta que eu tenho feito recentemente e por diversas vezes. Ver a temática sendo tratada dessa forma em muito me incomoda. Uma vez que se prega literalmente a grupos de pessoas sobre uma vida empreendedora regada a champagne e rosas, jogando no lixo todo um estudo necessário de mercado para o investimento de qualquer empreendimento.

Não posso deixar de lado que sim, a vida empreendedora é capaz de proporcionar momentos incríveis de crescimento pessoal, profissional e por que não espiritual. Mas como tudo nessa vida, existe-se um processo, que se pulada qualquer uma de suas etapas sem estudos necessários, se corre grande risco de declínio atrás de declínio.

Aluga-se espaços, amontoa-se pessoas e dissipa-se a ideia de que todos podem ser empreendedores. Perdoe-me os adeptos, mas não consigo acreditar em tamanho devaneio. Da mesma forma que eu não tenho perfil para assumir uma cozinha e oferecer o melhor prato da noite de um renomado restaurante, tantos outros não tem perfil para empreender e etc.

É preciso cautela quando se toca nesse assunto. Estamos mexendo com sonhos, e sonhos de pessoas. Sonhos não tem preço, são imateriais na maioria das vezes e de um valor sentimental e psicológico muito grande.

Não se é proibido sonhar. Sonhe grande, mas pise firme. Estabeleça metas, explore resultados, alcance o topo de forma sólida, para que ventos não te tirem de lá e te faça cair no mar do esquecimento.

Precisamos de mais planos estratégicos e menos ‘oba-oba’. Mais planos de ação com suportes administrativos, mais projetos e planejamentos, e menos shows de pirotecnia empresarial.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(1)
Tags: empreendedorismo Gestão inovação