Clínica brasileira cria aparelho autoligável e estético 40% mais barato que modelo tradicional

O novo aparelho é formado por um composto vitrificado e foi desenvolvido a partir das atualizações de modelos anteriores e do know-how e expertise de dois empreendedores brasileiros

Reprodução/ Evolution

Visando atender a grande demanda de clientes adultos que necessitavam de aparelhos ortodônticos, mas fugiam dos típicos modelos com peças de metal e indiscrição, uma rede brasileira de Ortodontia Inteligente desenvolveu um modelo autoligável estético que é 40% mais barato que o modelo similar desenvolvido por especialistas norte-americanos e tradicionalmente comercializado no mercado nacional.

A empresa foi criada pelos dentistas e sócios Vicente Pacheco e Claudio Figueiredo e hoje conta com unidades em João Pessoa (PB), Natal (RN) e Mossoró (RN), além de mais duas no Rio de Janeiro (RJ) e Santos (SP).

Os aparelhos autoligáveis surgiram na década de 70 como uma evolução e alternativa aos aparelhos convencionais, mas só chegaram no Brasil recentemente. Aos poucos, os modelos mais modernos vêm ganhando espaço por apresentar diferenciais em relação aos metálicos e diversas vantagens no tratamento.

De acordo com Vicente Pacheco e Claudio Figueiredo, o aparelho autoligável dispensa o uso de peças metálicas e de borrachas — as parte do aparelho que são coladas no dente e por onde passa o fio — fazendo com que o tratamento seja mais rápido e a movimentação dos elementos dentários aconteça de forma mais livre e com uma menor necessidade de extrações. Além disso, a eliminação das borrachinhas contribui para menor acúmulo de placa bacteriana e melhor higienização.

No entanto, mesmo com as mudanças e a modernização da peça, muitos possíveis clientes ainda rejeitavam o uso dos aparelhos autoligáveis por motivos estéticos. O conjunto principal — apesar de menor — ainda exibia toda a formação em metal característico.

Com isso, Vicente Pacheco e Claudio Figueiredo desenvolveram um novo aparelho capaz de se ajustar às necessidades de seus pacientes, o E.volution.

“Foi observado que cerca de 70% dos adultos que tinham a necessidade de um tratamento ortodôntico não realizavam por não terem a disposição no mercado um aparelho estético”, explicam.

Desse modo, a evolução da funcionalidade do sistema e a estética melhorada foi transformada em uma das características mais buscadas atualmente nos consultórios da rede. O E.volution é feito de um composto vitrificado e foi desenvolvido a partir das atualizações de modelos anteriores e do know-how e expertise dos profissionais com todos os modelos de braquetes autoligáveis nacionais e internacionais.

De acordo com Vicente Pacheco e Claudio Figueiredo, o novo modelo proporciona maior retenção, resistência, controle das giroversões e maior refinamento nas finalizações. Entre os principais diferenciais estão: travamento duplo da portinha do braquete (para prender ou remover o fio), maior curvatura para facilitar a adaptação no dente, a possibilidade de recolagem e a estética do aparelho, tornando-o praticamente imperceptível, além de ser 40% mais barato que o modelo similar disponível no mercado.

 

Avalie este artigo:
(2)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração