Como unir propósito, talento e criatividade para ganhar dinheiro

A Economia Criativa, conceito cada vez mais em alta que envolve atividades que usam o potencial humano individual ou coletivo para produzir produtos e serviços criativos, pode ser a sua solução

iStock

Você já ouviu falar de Economia Criativa?

Conceito cada vez mais em alta que envolve atividades que usam o potencial humano individual ou coletivo para produzir produtos e serviços criativos.

O uso do capital intelectual humano e nossa habilidade nata de criar para gerar renda e negócios lucrativos. Atividades relacionada à inovações tecnológicas, design e meios de comunicação.

A Economia Criativa é a Economia do Futuro, e assim como o modelo tradicional é metrificada pela demanda, preço, margens de lucro, geração de empregos e produtividade.

De acordo com o estudo publicado pela UNCTAD (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento) em maio de 2013 o comércio de produtos e serviços “criativos” arrecadou cerca de 624 bilhões de dólares em 2011.

A arrecadação mais que dobrou de 2002 até 2011, crescendo a uma média de 8,8% ao ano, especialmente em países em desenvolvimento, onde a média de crescimento anual é de 12,1%.

A criatividade entra na geração de ideias, seja de conceitos, de produtos e serviços.

E a inovação na aplicação dessas ideias com o intuito de gerar valor e retorno financeiro.

Mostrando sim que é possível ganhar dinheiro com seu talento e com ideias alinhadas à seu propósito de vida. Basta usar a criatividade, dom que todos nós já possuímos de fábrica. Sim, todos nós nascemos criativos, acredite você ou não!

A paixão deve ser o maior motivador de um novo negócio e a inovação o combustível para o seu sucesso

O maior valor da Economia Criativa não está na geração de riquezas, apesar de ser parte importante.

Mas sim na paixão pelo que está sendo criado. Na união de pessoas com um propósito e valores semelhantes para desenvolver novas ideias que vão, aos poucos, mudar o mundo.

Mudar as formas de trabalho, as relações entre funcionários e líderes, investidores e empresas, a educação e as formas de geração de renda.

Já temos exemplos claros de modelos inusitados de negócios que estão revolucionando o mercado através da criatividade.

Você provavelmente já usou os serviços do Uber, Airbnb ou do Enjoei.

Pessoas que possuem bens e os utilizam como forma de gerar renda, através da prestação de serviços ou até pela venda do produto em si.

A paixão de profissionais criativos, como músicos, cineastas e escritores é o gatilho para que escolham viver de suas criações. Mas até pouco tempo atrás não era nada fácil ganhar dinheiro com atividades criativas.

A internet está mudando, aos poucos, este cenário tão restrito.

Antes, profissionais que só conseguiriam ver seu trabalho chegar nas mãos de sua audiência se antes fossem aceitos por gravadoras, estúdios e editoras, hoje podem fazer todo o processo por conta própria.

A autopublicação de um livro já é realidade para muitos escritores e produtores de conteúdo.

Ao invés de correrem o risco de serem rejeitados inúmeras vezes, como foi o caso de J.K Rowling quando escreveu Harry Potter , você pode transformar seu trabalho em um eBook e vendê-lo ou no seu site ou na Amazon, por exemplo.

Outro caso de sucesso possibilitado pela internet é o de uma das maiores YouTubers de hoje, a Kéfera.

Com quase 10 milhões de inscritos no seu canal, ela começou a gravar vídeos para atrair a atenção de grandes emissoras de TV, pois tinha o sonho de trabalhar como atriz.

E através dessa maneira criativa de expor seu trabalho, ela conseguiu um feito considerável e talvez muito mais lucrativo do que uma carreira na televisão.

O mesmo acontece com tantos outros profissionais que hoje podem expor seus trabalhos na web e assim alcançar pessoas de todo o mundo.

Mas você sabe que visibilidade não basta e pode estar se perguntando: mas será que realmente é possível ter ideias criativas para ganhar dinheiro?

Como realmente ganhar dinheiro e viver daquilo que ama?

Afirmo com bastante tranquilidade que um dos, se não o maior medo, que as pessoas sentem ao apostarem em uma ideia criativa para ganhar dinheiro é acontecer justamente o contrário.

Eu senti medo de fracassar ao decidir largar a faculdade para investir no sonho de viver de blog.

Também vivi dias e dias de insegurança sem saber se investir 5 mil reais no meu primeiro eBook, o Alocação de Ativos, me traria o retorno desejado.

Você pode ter medo de pedir demissão para apostar na sua ideia.

Ou você pode ficar em dúvida se o seu sonho é viável ou não, antes de investir suas economias nele.

E eu digo que você realmente deve ter medo.

E que esse é um sentimento bom.

Desde que não te paralise completamente.

Ter medo significa que você considera as vantagens e desvantagens de apostar no novo.

E que certamente terá muito mais cuidado antes de se jogar de cabeça nas suas ideias criativas para ganhar dinheiro.

No entanto, medo em extremo pode impedir que você parta para a ação e faça como a grande maioria das pessoas: tenha ideias criativas para ganhar dinheiro porém as deixe apodrecer no cemitério das boas ideias.

O Brasil é um dos países mais criativos do mundo.

E ao mesmo tempo um dos menos inovadores.

Por que tamanha disparidade?

Milhares de pessoas extremamente criativas usando todo seu potencial para imaginar mas nenhuma energia para agir.

E não tomam uma ação muitas vezes porque o medo domina completamente sua mente e a falta de confiança no próprio potencial faz o resto do serviço.

Aqueles que não tomam uma ação estão completamente envolvidos na crença de que não é possível ganhar dinheiro com a criatividade.

Misturar propósito com empreendedorismo, criatividade, personalidade, seu talento, sua história é uma ideia que dá certo, desde que haja planejamento e estruturação para saber “onde” chegar e principalmente “como”.

Quando você ama o que faz e possui uma visão empreendedora, o que poderia te parar?

Espero que você tenha gostado do artigo.

Forte Abraço.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(0)
Tags: criatividade empreendedor empreendedorismo marketing digital