Não motivar ou desmotivar

As empresas buscam motivar seus colaboradores no intuito de estimulá-los a aumentar seu comprometimento, sua disposição e vontade para, consequentemente, alcançar uma melhor performance em suas atividades.

Muito se fala em MOTIVAÇÃO no trabalho, José Roberto Marques, em seu blog, diz que motivação no trabalho é “a junção de comportamentos e razões que impulsionam as atitudes de um colaborador. Ela influencia diretamente a disposição, a vontade e o comprometimento do indivíduo com seu trabalho. Quanto mais motivado um profissional está, melhor será o seu desempenho e produtividade.


As empresas buscam motivar seus colaboradores no intuito de estimulá-los a aumentar seu comprometimento, sua disposição e vontade para, consequentemente, alcançar uma melhor performance em suas atividades.


Agora, você já pensou, se ao invés de motivar as pessoas as empresas venham DESMOTIVAR seus colaboradores?


Muitas empresas nem pensam em motivar e com algumas atitudes acabam desmotivando as pessoas. A causa da desmotivação está nos DETALHES.


Muitos gestores tomam algumas atitudes, no calor da emoção, sem analisar os impactos que podem acontecer a partir dessa atitude. Na teoria dos dois fatores de Frederick Herzberg existem os fatores motivacionais e higiênicos.


Os motivacionais são fatores que se aplicados estimulam a motivação das pessoas. Os higiênicos são fatores que se aplicados evitam a desmotivação, ou seja, a sua ausência causa desmotivação.


A causa da desmotivação está nos DETALHES. E os detalhes estão nos fatores higiênicos de Herzberg, por exemplo, um auxílio refeição não motiva um funcionário a melhorar seu desempenho, mas se você tirar esse auxílio você causa desmotivação.


Outro exemplo, a empresa possuir um salário maior que a média do mercado não motiva um funcionário a melhorar sua performance, mas se você diminuir seu salário você causa a desmotivação.


A causa da desmotivação está nos DETALHES. Outro detalhe que causa a desmotivação é a falta de comunicação sobre alguma mudança que irá acontecer com determinado funcionário.


Exemplo, o gestor muda o horário de trabalho de um funcionário sem nem ao menos perguntar a pessoa se ela tem disponibilidade.


Outro exemplo, fazer a cobrança de uma tarefa que não é de responsabilidade da pessoa. Você precisa interagir com os colaboradores quando for decidir algo que lhes afete.


O envolvimento gera comprometimento. A imposição gera desmotivação.


Falta muita compreensão, por parte da gerência e diretoria, para ver o lado humano dos funcionários, ou seja, cuidar das pessoas e vê-los como SER HUMANO.


Muitos gestores impõem suas ordens, é autocrático, é apático com os problemas pessoais de seus funcionários entre outras coisas. São implacáveis para cobrar, mas são ineficientes para reconhecer.


Para o filósofo Mário Sérgio Cortella, “a ausência de reconhecimento é a grande causa da atual desmotivação nas empresas”.


Reconhecer não é aumentar salário ou pagar algo a mais, reconhecer é envolver todos em um objetivo comum onde todos se sentem parte de algo maior em prol da comunidade.


Reconhecer é ouvir as pessoas quando elas têm ideias e quando elas têm problemas também.


Você gerente ou empreendedor, quer ser um bom gestor? Cuide das pessoas, fique atento aos detalhes de suas decisões e reconheça o esforço de seus liderados.
Afinal você quer MOTIVAR e não DESMOTIVAR

Adm. Tiago Roberto

 

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(1)
Tags: 5amclub admporamor atenção aos detalhes desmotivação desmotivar detalhes empreendedor empreendedores empreendedorismo empresa mei microempresa motivação motivar souadm vendas