Por que muito dinheiro é pior que pouco?

Entenda o porquê, segundo um capitalista de risco

iStock

Muitos empresários acreditam que a falta de capital é seu problema primário. Se eles pelo menos tivessem uma conta bancária recheada, eles poderiam ser impressionantes. Como um capitalista de risco, eu vi o que acontece quando empresas arrecadam capital elevado. Não é bonito - na verdade, minha teoria é de que muito dinheiro é pior do que pouco dinheiro. Aqui está o porquê:

1. As despesas expandem de acordo com os investimentos 

É engraçado como isso funciona: empresas criam projeções que utilizam o dinheiro que elas têm. A disponibilidade do dinheiro faz com que elas pensem em maneiras de gastá-lo, então há menos ênfase em fazer as coisas certas da meneira certa. A lógica começa assim "Nossos investidores nos deram esse dinheiro para investir, não para coletar juros no banco. Eles querem que nos expandamos e que corramos atrás disso, então devemos gastá-lo. Sabemos que vamos alcançar nossos marcos, e nossa competição é uma piada, então sempre poderemos arrecadar mais dinheiro."

2. O dinheiro cria um falso senso de segurança

A empresas dividem a quantidade de dinheiro que elas têm pelos gastos mensais. Esta quantia é o "escape" de uma empresa ou número de meses que ela pode sobreviver. Existem três problemas com este cálculo: primeiro, despesas sempre sobem, então o número de meses diminui. Segundo, os produtos estão sempre atrasados, então qualquer receita que a empresa tenha contado para aumentar o "escape" não se materializa. Terceiro, só porque uma empresa tem o dinheiro não significa que os investidores não irão pedí-lo de volta. Acredite em mim: eu vi isso acontecer, e ninguém ficou mais chocado do que a administração da empresa.

3. O dinheiro faz as empresas contratarem pessoas reconhecidas

Quando as empresas não têm dinheiro, elas contratam pessoas despreparadas que são jovens, inexperientes, baratas e espertas. Quando as empresas têm dinheiro, elas contratam pessoas reconhecidas de empresas existentes que são velhas, experientes, caras e sortudas. Estas pessoas estão acostumadas com secretárias, viagem de primeira classe e a se hospedar no Four Seasons. Leia aqui primeiro: pessoas reconhecidas são superestimadas. Ah, seus currículos são ótimos, e elas ficam ótimas no seu website, mas não causaram sucesso em suas empresas anteriores. Elas apenas tiveram sorte de estar lá quando as organizações fizeram sucesso.

4. O dinheiro faz as empresas comprarem pessoas com salários

Não importa o tipo de pessoa que se contrate, quando as empresas têm dinheiro, é isso que elas utilizam para atraí-las. Usam dinheiro no lugar de distorção da realidade (também conhecido por "evangelização") e opções referentes a ações da empresa. O pensamento sobre a opção de oferecer ações é o seguinte: "Ações são a forma mais cara de compensação já que a empresa será maior que o Google a Apple juntas. Vamos utilizar dinheiro. É mais barato." Quando uma empresa não tem dinheiro, ela tem que utilizar a evangelização e ações, e isso é melhor para todos porque estes tipos de compensação atraem o tipo certo de pessoas para uma startup.

5. O dinheiro causa dependência nos experts e vendedores

Quando uma empresa tem dinheiro, ela procura experts e vendedores de "primeira-classe" fora do seu ambiente, afinal "os investidores nos deram esse dinheiro para construírmos a melhor empresa possível no tempo mais curto possível". É aí que os consultores e agências começam a cobrar U$200/hora a uma empresa por um bacharel em Arte e História asiática que se formou em Princeton há um ano. Se uma empresa não tem dinheiro, ela descobre formas baratas de se obter resultados. Isso desenvolve as pessoas jovens, inexperientes, baratas e espertas mencionadas anteriormente, porque não há outra alternativa a não ser torná-los efetivos.

6. O dinheiro faz com que o empreendedorismo pareça um processo em série

Quando empresas têm dinheiro, seu pensamento é em série: primeiro arrecadar dinheiro, depois criar o produto, depois vendê-lo, depois eles coletam as receitas e depois se reúnem com Goldman, Sachs para seu IPO. A realidade é que o empreendedorismo não funciona em série - é um processo paralelo no qual as empresas devem arrecadar dinheiro, criar um produto, vendê-lo, coletar receitas, e não têm tempo para se encontrar com Goldman, Sachs ao mesmo tempo. As empresas que funcionam no método em série estão condenadas porque a maioria dos mercados se move muito rápido para esta abordagem.

Se sua empresa estiver com pouco dinheiro, espero que você se sinta melhor agora. Os fatores que finalmente lhe tornam próspero podem estar no lugar. Por outro lado, se sua empresa tem uma grande quantidade de dinheiro e investidores que dizem que eles "realmente acreditam e apoiam sua administração", mantenha seu currículo atualizado.

Artigo originalmente publicado no site do autor e gentilmente cedido ao Administradores.com para publicação.

Avalie este artigo:
(1)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração