Programas de compliance como ferramenta de gestão

Como essa nova exigência de lei pode ajudar na gestão da minha empresa?

O Que a Minha Empresa Ganha ao Adotar um Programa de Compliance?

As empresas que adotam um programa de Compliance tornam-se competitivas e ficam à frente as demais, tendo em vista que empresas que trabalham para dirimir problemas futuros gastam menos com custas judiciais, mácula na imagem corporativa, financeiro abalado com pagamentos atrasados para receita e órgãos reguladores.

Atrelado a isso, praticando a boa governança corporativa com mitigação de riscos, a empresa terá base consolidada para instaurar um programa de Compliance dentro de sua organização, independentemente do porte da empresa.

Os programas de Compliance, trazem competitividade e ganho de reputação frente a sociedade, clientes e potenciais clientes, desde que sejam bem implantados e monitorados, preferencialmente por empresas que detenham capital humano para monitorar e tratar as informações que chegam pelos canais de confidencialidade.

Do ponto de vista externo, um programa de integridade contribui para uma das melhores formas de gerar recursos capazes de contribuir para o crescimento e desenvolvimento da empresa. Entretanto, para que isso aconteça é importante que a empresa esteja atuando de forma ética, transparente e íntegra com todos os seus stakeholders. Além disso, futuramente, investidores procurarão empresas organizadas para investirem seu capital, logo, conceitos e boas práticas de governança corporativa são essenciais.

Por outro lado, visando sua reputação, o programa de integridade pode garantir para a empresa benefícios imensuráveis. Um destes pode ser alcançado através do Selo Pró Ética, um reconhecimento concedido pela Controladoria Geral da União àquelas empresas que comprovarem a existência de um programa de integridade ativo e efetivo. Tal distinção poderá garantir juros menores para recursos públicos, desempate em licitações e grandes vantagens na contratação privada. Além disso, hoje existem leis que exigem que empresas que queiram licitar com a Administração Pública, a exemplo da lei n°6.112/2018 (Integridade no DF), tenham programas de Integridade estruturados e em plena operação.

Assim, programas de integridade estão cada vez mais latentes para as empresas, o que hoje pode ser considerado um diferencial, em pouco tempo será algo obrigatório nas organizações. Quem começar antes, certamente estará se antecipando para novas oportunidades e, assim, criando um diferencial competitivo no mercado e em relação aos seus concorrentes, além, é claro, de estar se resguardando de eventuais problemas advindos da Lei Anticorrupção.

Compliance tem uma tendência clara e consolidada na legislação nacional e internacional como força motriz para bons negócios e certamente no futuro próximo será um dos claros critérios para contratações públicas ou privadas.

Daí a necessidade urgente das empresas que querem se manter no mercado implantaram programas de Compliance, mas atrelados a boa gestão do seu negócio e a antecipação e mitigação de riscos, só assim a empresa se desenvolverá nos três pilares da sustentabilidade, o social, ambiental e econômico, e é sabido que empresas que se desenvolvem sustentavelmente permanecem mais tempo do mercado, além de criarem confiança da sociedade, que é quem consome os produtos e serviços oferecidos pelas organizações.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)