Recrutamento e Seleção: a base do engajamento e produtividade

Como resolver o problema da falta de engajamento e baixa produtividade pelo recrutamento e seleção.

Imagine o cenário: O País investe muito pouco na qualidade da educação e as pessoas que chegam ao mercado de trabalho apresentam as consequências dessa baixa escolaridade – dificuldade em interpretar e entregar melhor produtividade. Além disso, a instabilidade da economia e o descrédito em nossas instituições públicas, desestimulam os investimentos de longo prazo e aflora uma característica comum na cultura dos brasileiros, de empresários a colaboradores – a busca por atalhos que levem a retornos imediatos, quase que mágicos.

Nesse cenário, como desenvolver e manter um time de alto desempenho na gestão de um negócio?

Considero as 03 (três) etapas abaixo simples mas determinantes para o melhor engajamento e produtividade de sua equipe de trabalho:

1º - Viva em recrutamento: Mantenha um calendário regular (semanal, de preferência) de entrevistas em busca de talentos. Não espere para recrutar apenas quando tiver necessidade. “Talentos não andam em bando” e raramente vão bater na sua porta no exato momento que você ficou desfalcado. Tenha metas de entrevistas mensais, independente do setor e da abertura de vaga; Dica: crie canais ativos de recebimento de currículos para agendar as entrevistas, seja no meio físico ou eletrônico. Igrejas, lotéricas e escolas técnicas são excelentes locais na sua região de atuação, diante do desafio da mobilidade nas cidades.

2º - Classificação das entrevistas: Após as entrevistas de recrutamento, classifique os candidatos em 03 grupos: perfil inadequado, perfil adequado ou perfil campeão. Para os de perfil campeão, determine um prazo no curto prazo para que sua gestão encontre “abrigo” em sua morada. Se é um talento, precisa trabalhar com você.

3º - Paradigma do desligamento – Se o talento precisa chegar, naturalmente alguém precisa sair. Saia da armadilha de acreditar que desligamento é decisão extraordinária, principalmente quando a realidade é que sua empresa se adaptou (zona de conforto) a receber uma produtividade baixa ao longo de um tempo, após várias tentativas de resgate e desgaste na relação com alguns colaboradores. Quanto você perde, diariamente, por não ter alguém engajado e produtivo (custos invisíveis) nos setores da sua empresa? Vale a pena aguardar o tempo mágico de um acordo ou de uma justa causa desejada?

Direto ao ponto: Semear, plantar e colher.

Amigo gestor: Crie a filosofia de uma empresa educadora. Se o Governo não fez sua parte em educação para melhor habilitar as pessoas ao trabalho, o melhor a fazer é investir no aprendizado e promover pelo mérito. É com talentos que empresas superam crises e ultrapassam gerações. Transforme seu ambiente e as pessoas escolherão habitar no seu negócio.

Forte abraços, grandes conquistas!

 

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: engajamento produtividade recrutamento talento

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração