Resiliência e gestão - Atributos empreendedores (parte 1)

A gestão empresarial passa por uma série de atributos que devem ser aprendidos e treinados ao longo de sua trajetória, dentre eles a resiliência, necessária para manter-se firme em seus objetivos e apto a adaptar-se as mudanças, primordial para que se obtenha sucesso como empreendedor.

Resiliência: a capacidade do indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas ou a capacidade de se recobrar facilmente ou se adaptar à má sorte ou às mudanças.

Dentre inúmeras metodologias, técnicas e ferramentas que são apresentadas diariamente ao gestor, poucas apresentam tamanha importância quanto a capacidade de ser resiliente. As constantes mudanças que o mercado apresenta e as próprias organizações, cada vez mais pautadas na premissa de um sistema aberto, tão mutável quanto um organismo vivo, fazem com que a adaptabilidade por parte do gestor e sua capacidade de lidar com revezes sejam mais do que uma virtude, mas uma característica básica para alcançar seu sucesso profissional.

É natural que o empreendedor, ao iniciar um novo negócio, na maioria das vezes diretamente ligado aos seus objetivos mais recheados de carga emocional, persista enquanto possível na direção em que possa continuar seu sonho, contudo, tanto para o empresário quanto para o gestor contratado por uma organização a capacidade de permanecer firme em suas convicções e apto a observar as diferentes tendências do segmento em que se faz presente, abraçando as possibilidades de mudança, formam um conjunto primordial de atributos inerentes aos grandes gestores.

A resiliência não constitui uma habilidade a parte das demais, mas sim, um aspecto do caráter do administrador que deve caminhar em sinergia com suas atribuições técnicas. Mais do que aprendida, a “arte” de ser resiliente deve ser treinada, a partir da percepção do próprio gestor em verificar a importância de solucionar os problemas que se apresentam, independente das interferências que possam lhe atrapalhar.

Em tempo, é necessário ressaltar (por mais óbvio que possa parecer) que persistência e resiliência andam juntas, mas em nada tem a ver com a insistência no erro. Ser resiliente é aceitar as mudanças e buscar novas formas de planejar e organizar a sua empresa a fim de torna-la mais competitiva diante das novas etapas que serão enfrentadas.

Avalie este artigo:
(2)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: Administração comportamento empreendedor empreendedorismo gestão resultados

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração