Sobre franqueadoras, franquias e redes sociais

Em meio aos comentários e a tensão com o julgamento do ex-presidente Lula nas redes sociais, um post foi notícia.

Em meio aos comentários e a tensão com o julgamento do ex-presidente Lula nas redes sociais, um post foi notícia. Um perfil de instagram de um restaurante postou promoção oferecendo 1% de desconto para cada ano de condenação do ex-presidente. Um post que pode expor uma marca de maneira perigosa.

Até que ponto compensa envolver as questões políticas em seu negócio e expor nas redes sociais? Pelo viral? Pelo meme? Pelo reconhecimento? O primeiro passo quando um novo cliente de franchising chega em qualquer agência de comunicação é identificar seu posicionamento. Quantos perfis têm e seus posts. O fato é que a maioria das redes possuem um perfil oficial da marca e outros vários para cada unidade franqueada. Se os perfis de cada unidade franqueada são independentes, não geridos pela franqueadora, há maior risco porque, além da falta de gestão quanto aos comentários de clientes, pode haver uma dispersão e até uma divergência significativa da identidade e valores que a marca procura imprimir aos seus produtos e ou serviços.

Esse foi o erro do restaurante no caso da promoção supracitada. O franqueado fez uma promoção sem autorização, com resultados inesperados.

O franqueado pode ter um perfil para sua unidade? Pode e em alguns casos é até recomendável que haja um perfil para cada unidade, desde que gerenciado pelos responsáveis pelo marketing da franqueadora. O ideal é que a mesma agência de conteúdo faça as postagens como um todo, obedecendo o branding proposto, o que exige profunda análise de posicionamento. Isso, com certeza, evita problemas sérios de imagem e reduz riscos jurídicos, com planejamento de comunicação entre franqueadora, fraqueados e agência.

Um post que aproveita uma notícia factual pode ser um sucesso de divulgação? Dependendo do ponto de vista e da forma de tratar o assunto, sim. Mas sem prévia análise, pode gerar efeito negativo e controvérsias que não rendem negócios. No caso da rede de restaurantes, gerou a divulgação de notícias sobre “possíveis dívidas de tributos federais” que a matriz da rede teria, se o post não foi bem recebido por parte do público, a notícia sobre dívidas tributárias pode ser ainda pior e acarretar crise de imagem para a marca, colocando em risco a reputação de toda uma rede. Seguramente, esse tipo de situação pode e deve ser evitado nas redes de franquias.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)