Um negócio de família

O artigo fala sobre negócio de família empreendedorismo e tem objetivo mostrar aos jovens que às vezes temos grandes oportunidades ao nosso redor e não conseguimos enxergar.

Eduardo Tevah (2016), em relação às empresas familiares afirma que “Muitos fundadores não preparam sucessores e, por vezes, demoram demais para entregar o comando. Isso ocorre porque o fundador domina o conhecimento do negócio e acha que os mais jovens não terão o tino necessário para seguir em frente”. Esse artigo tem como premissa demonstrar que nem sempre as coisas acontecem assim, essa é a história de um aluno, filho de um soldador que viu na aposentadoria do seu patrão a oportunidade de se estabelecer como proprietário de uma empresa de concertos de fundo de bacia e tachos que à época era muito requisitado, e assim o fez.

Desde pequeno Paulinho acompanhava o pai à loja diariamente sendo praticamente criado com ele nesse ambiente. Entretanto, conforme suas palavras, “nunca lhe passou pela cabeça que um dia herdaria e exerceria a profissão do pai”, pois como todo jovem ele tinha sonhos e outras perspectivas e não enxergava a grande oportunidade que estava em suas mãos e também não conseguia aproveitar toda experiência que o pai lhe passava.
Todavia o destino, que nem sempre é do jeito que gostaríamos que fosse, fez com que por motivos de saúde (um câncer em fase terminal) Paulinho tivesse que assumir as atividades do pai, a principio acompanhado do mesmo, mas após algum tempo com o seu afastamento, de modo permanente.

Mas, o que a história tem a haver com empreendedorismo. Empreendedorismo é uma das disciplinas que leciono e Paulinho é meu aluno, dedicado, estudioso e deseja ser “professor universitário” fato que me enche de orgulho, uma vez que sou uma das mentoras desse sonho. Mas continuando, o jovem que mesmo estando presente durante, praticamente, toda a sua infância e juventude com o pai na loja, não se sentia preparado para assumir, não só a família, mas o negócio da família. Como poderia alguém tão jovem e com tantos sonhos ser um “consertador de panela de pressão??”

Determinação, força, foco e fé, acima de tudo fizeram com que esse jovem percebesse que muito mais do que buscar colocação em outras empresas da cidade e região, sua missão era perpetuar o negócio da família, honrar a memória do pai e, principalmente demonstrar que todo negócio, desde que honesto é digno se com ele você provêm o sustento da sua família, pois seu pai havia lhe ensinado que a expressão do sucesso esta na consideração que temos ao trabalho e aspectos do negócio e que o trabalho enriquece, tanto materialmente quanto moralmente e que todo serviço, independente do qual seja, se for realizado com amor e respeito será o melhor de todos.

Já na faculdade, no curso de Administração e com a disciplina de empreendedorismo, no primeiro termo, ele começou a entender o que o fazia agir daquela maneira, era seu espirito empreendedor que o desafiava a dar continuidade ao negócio do pai, manter a clientela e ao mesmo, implantar mudanças que foram, em sua opinião drástica, mas bem aceitas.

80% das empresas no Brasil são familiares e 85% delas não sobrevivem para a segunda geração assumir. Das 300 maiores empresas brasileiras 265 delas são familiares. Para Tevah (2016) essa estatística nos mostra dois ângulos diferentes. O primeiro é que existe uma chance muito grande de uma empresa familiar não poder ser passada para uma nova geração assumir. A segunda é quebrar o mito de que empresas familiares não funcionam, que não existe como conciliar trabalho e família.

Portanto, o objetivo desse artigo é mostrar aos jovens que às vezes temos grandes oportunidades ao nosso redor e não conseguimos enxergar. Todos nós queremos sempre mais e pensamos grande e na maioria das vezes pensarmos grande, não é pensar em entrar em empresa multinacional ou trabalhar para o governo por meio de concurso público, mas sim em conseguir fazer do negócio da família a grande oportunidade da nossa vida.

É evidente que para termos sucesso, temos que estar aberto às novas oportunidades, não ficando apegados a sentimentos que nos impeçam de crescer, ou seja, se aparecer uma grande oportunidade, porque não arriscar?
Ser empreendedor é não ter medo de novos desafios, a vida a cada dia nos presenteia com grandes mudanças que batem a nossa porta trazendo grandes desafios e a nós, calcados em conhecimentos, cabe enfrentar as mudanças, preparados.

Hoje o Brasil vive uma grave crise econômica e o desemprego que beira aos 14 milhões de desempregados e seu retrocesso ainda é muito tímido, portanto, trabalhar no negócio da família e fazer esse negócio crescer, evoluir, melhorar será mais fácil e proporcionará uma satisfação indescritível por conseguir fazer com que a pequena empresa do pai, do tio, enfim de alguém próximo consiga se sobressair no mercado, a cada dia mais competitivo.

Muitas pessoas acham que não são criativas e que a criatividade é algo geneticamente adquirido ou, que é coisa de artistas ou empreendedores famosos. Não . . . A criatividade está presente em todas as funções humanas e vem alastrando-se como um elemento básico para o sucesso e sobrevivência no mundo atual e futuro. Ideias inovadoras é uma iniciativa de pessoas que acreditam no poder das ideias, portanto, apostar em ideias que transformam o mundo é a nossa causa – a causa do administrador.

O sucesso nada mais é que o resultado de esforço, dedicação e tempo utilizado, entretanto não podemos nos esquecer de que o sucesso é temporário, hoje o sucesso, amanhã poderá vir outro e fazer mais sucesso que você e ai . . . tudo que foi feito ficou ultrapassado. Portanto, inove, renove e melhore, pois melhorar nunca é de mais.

Essa história transformou-se em um bate papo com os alunos do curso de Administração a fim de mostrar o quão importante é dar continuidade aos negócios da família, não importa qual tipo, segundo Paulinho, o empreendimento do pai esta ai, além de ser o seu sustento é o da sua família é um diferencial na cidade, pois oferece um tipo de serviço essencial às donas de casa.

Nada melhor que concluir com suas palavras “Espero que tenham absorvido alguma coisa boa do que foi falado aqui e que esta fala desperte em alguém o desejo e a confiança de que o seu ‘negócio’ é o melhor, pois é seu. Enxergue nele a oportunidade de, além de ser o sustento da sua família, ser o empreendimento que a cidade necessita e acima de tudo é a continuidade do trabalho de uma vida do seu pai”.

REFERENCIA

Eduardo Tevah, palestrante, empresário e escritor, é reconhecido como um dos grandes nomes do Brasil nas áreas de Liderança, Vendas e Mudança Comportamental de Equipes. 

Avalie este artigo:
(1)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração