Você está preparado?

Falamos tanto em autodesenvolvimento, mas até que ponto estamos realmente preparados para os desafios da gestão?

iStock

Falamos tanto em autodesenvolvimento, mas até que ponto estamos realmente preparados para os desafios da gestão? Gerir um negócio é uma arte que precisa ser desenvolvida e demanda cuidados constantes. Especialmente nos dias atuais, e nesse caso nem é mais necessário falar sobre os desafios de um mercado em recuperação. Haja fôlego!

Nada disso nos contam na escola, mas a vida empresarial trata de nos mostrar com tamanha intensidade que muitas vezes questionamos se a avalanche de problemas simultâneos é natural ou é provocada por falta de conhecimento, competências ou experiência.

Como consultores, estamos cientes de que trata-se de um misto dos dois. Vivemos tempos difíceis que demandam cada vez mais leitura, introspecção, reflexão, compartilhamento de informações, pessoas qualificadas em todas as esferas, parceiros que tenham mentalidade para o trabalho cooperativo e por aí vai. A lista é longa.

E por falar em reflexão, seguem algumas considerações que podem auxiliá-lo nesta caminhada:

1. Requalifique! Não pense que tudo pode ser realizado da mesma forma o tempo todo. Por mais que tenhamos as nossas virtudes técnicas e comportamentais, é importante que tenhamos uma mentalidade voltada para o aprendizado, a leitura, e o autodesenvolvimento. Novas ideias surgem quando você busca informações.

2. Valorize os profissionais tecnicamente multifacetados. Esses ‘caras’ podem elevar o seu nível de visão e de compreensão em várias áreas. Mas cuidado, isso não significa que o profissional não precise de foco. Significa que a pluralidade de experiências amplifica a busca por variáveis para a tomada de decisão.

3. Defina perfeitamente os papéis dentro do negócio. Isso é comum nas organizações e muito impactante – positivamente e negativamente. Quanto mais conhecemos os nossos pares e definimos o papel de cada um dentro do negócio, mais nitidamente conseguimos enxergar a realidade dos problemas e propor ações. Especialmente entre os sócios.

4. Desenvolva a habilidade da reflexão e da introspecção. Não, isso não é ‘viagem’! Trata-se de habilidades raras nos dias de hoje. Somos bombardeados com novas e repetidas informações em uma velocidade tão grande que se não estabelecermos uma rotina saudável de reflexão (do todo) e introspecção (de si mesmos), acabamos seguindo tendências e comportamentos que podem nos prejudicar e ao negócio.

5. Desenvolva a capacidade de ouvir. É mais fácil achar ouro no quintal de casa do que frear a língua. E como isso é importante. Se somos o que fazemos – e dizemos – repetidamente, temos que ter cuidado e atenção com quem está ao nosso lado. Muitas informações importantes podem estar a um passo de distância e o principal: quando fechamos a boca, temos a oportunidade de dedicar nosso tempo a quem está ao nosso lado.

6. Tenha humildade para dar um passo atrás e reconhecer. Estou tentando descobrir um adjetivo melhor do que a palavra ‘essencial’. Estamos aqui, neste emaranhado de situações, para impor nossas vontades? Estamos aqui para impor nosso incrível conhecimento da verdade? Somos muito maiores coletivamente do que individualmente e a busca pela sabedoria necessária para conduzir esse processo é fundamental para que cresçamos em todos os aspectos. A humildade abre portas, desconstrói barreiras e cria vínculos. Uma frase do empresário Bill Gates sintetiza bem essa questão e dá uma visão geral sobre o tema no mundo dos negócios: “O sucesso é um mestre terrível. Convence pessoas inteligentes a pensarem que não vão perder.”

7. Desenvolva parcerias saudáveis e profissionais. Você quer ampliar a sua visão e conhecimento para lidar com os mais diversos assuntos? Quer ter mais tranquilidade ao delegar tarefas e responsabilidades? Tenha ao seu lado pessoas mais qualificadas que você, parceiros que conheçam mais de determinadas áreas. Invista na qualificação de quem está ao seu lado.

8. Burocratize sem engessar demais. Aprimorar processos e rotinas de trabalho exige um certo nível de burocracia essencial para quaisquer negócios. Porém, observe a prática. A partir do momento em que a burocracia travar o processo, reveja o processo ou qualifique a equipe.

Fácil? Sabemos que não, mas para começar basta um pequeno empurrãozinho. E a hora é agora!

 

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: autodesenvolvimento empreendedorismo gestao negocios