4 tipos de análises de dados para estruturar a inteligência de mercado da sua empresa

A arena da concorrência mudou drasticamente com a entrada de tecnologias que possibilitam capturar grandes massas de dados e processar esses dados por um custo que permite hoje qualquer empresa de pequeno porte, colocar-se em pé de igualdade com empresas que outrora seria inimaginável. De outro lado temos empresas que ainda não acordaram para a utilização dos dados gerados diariamente na interações com o mercado, tornando-se cada vez mais difícil manter-se no mercado. E ai? Sua empresa está em qual parcela dessas? Quer mudar esse jogo?

Quando falamos em projetos de prospecção de mercado, é importante salientar a importância do conhecimento profundo do mercado em que estamos atuando, como forma de sermos mais assertivos. Saber do tamanho de mercado potencial, qual a parcela desse mercado a empresa consegue atender é a condição primária, sendo necessário então utilizar-se a Inteligência de Mercado como a grande aliada nessa tarefa.

O que é Inteligência de Mercado?
A construção da análise de mercado visa estabelecer os parâmetros de mercado a partir dos quais será feito o monitoramento, detecção e interpretação dos dados internos e externos coletados pela organização, a fim de orientá-la no processo decisório.

Dentre os objetivos da Inteligência de Mercado que podemos citar temos:

  •  Minimização dos riscos de decisões estratégicas.
  • Geração de novas oportunidades na prospecção de mercado.
  • Previsão de vulnerabilidades do mercado que possam interferir no negócio.
  • Detectar com antecedência a movimentação de concorrência neutralizando-a.

 

Quais os Tipos de Análises de Dados Utilizados Para Estruturar Projetos de Inteligência de Mercado?

Análise preditiva
Esse é o método em que a previsão de cenários se baseia em padrões previamente identificados, tornando possível assim, tomar decisões com base em padrões de comportamento identificados.

A análise preditiva usa dados estatísticos e históricos, além da mineração e da inteligência artificial. Ela é indicada para projetar comportamentos futuros do público e do mercado, além de avaliar flutuações da economia e tendências de consumo.

Análise prescritiva
Nessa metodologia temos a inferência do comportamento frente a ações pré-determinadas. Esse método requer o elemento humano para se concretizar, além da maior relevância porque define o caminho a ser tomado para que a ação ocorra conforme o esperado.

Análise descritiva.
O foco dessa análise é a descrição de eventos em tempo real, utilizando os dados para entender o impacto no presente, mas não correlacionando esses dados o passado ou o futuro.

Análise diagnóstica
A finalidade dessa prática é compreender as causas de um evento, ou seja, responder às perguntas:

Quem?
Quando?
Onde?
Como?
Por quê?

O foco dessa metodologia é a correlação entre impacto e alcance de uma ação tomada, servindo como base para o refinamento das estratégias e resultados.

A Base da Inteligência de Mercado está Centrada Nos Dados Internos e Externos

Considerando-se que todas essas análises se baseiam na coleta e análises dos dados internos (ERPs, CRMs) e externos (dados setoriais, pesquisas), é importante que as empresas se atentem para o grande ativo que os dados representam e que estão invariavelmente nos bancos de dados dos sistemas internos.

Inteligência de Mercado baseia-se na construção de uma visão unificada da empresa com relação aos segmentos potenciais, oportunidades e ameaças, permitindo que essa visão oriente suas ações com relação a minimizar riscos e antecipar-se aos ricos e a concorrência.

Com base em 5 níveis de maturidade, podemos definir o quanto as empresas estão preparadas para extrair os retornos em projetos de Inteligência de Mercado.

Veja onde sua empresa se encontra:

Caótico: ambientes sem coleta de dados e tratamento dos dados, onde as decisões são tomadas de forma empírica. Baseadas na experiência individual.

Consciente dos dados: Os são dados coletados sem uma preocupação com a estruturação da informação, sem padronização tanto para coleta, como para a guarda das informações, apesar da consciência da importância delas para a correta gestão.

Guiado por dados: Os dados coletados segundo o uso de padrões previamente definidos e indicadores com relação a validação. As decisões nesse nível são pautadas pela análise desses dados, uso de sistemas de visualização onde as decisões já se baseiam nesses dados.

Experiente em dados: Os dados coletados são enriquecidos, com qualidade das fontes de informação e alto poder de processamento para análises preditivas e prescritivas. Uso de métricas e estatísticas.

Orientado à dados (data driven): dados coletados e enriquecidos por mecanismos de inteligência artificial com alta capacidade de análises devido ao alto poder de processamento. O estado da arte na gestão orientada à dados, onde a cultura vigente é a utilização dos dados como um dos ativos estratégicos para ganho de vantagem competitiva.

A utilização de uma ou mais dessas metodologias, é possível como apontamos, para direcionar o foco das empresas e alinhar suas áreas de marketing, comercial e demais áreas como desenvolvimento de produtos e serviços, além de servir como pilar básico para a captação de novos clientes de forma mais assertiva.

Entender quem são os potenciais clientes (personas) e como e porque eles compram, qual o tamanho do mercado pretendido, qual o percentual passível de atingimento de mercado. Isso trará parâmetros para nortear iniciativas de prospecção com maior Inteligência de Mercado, portanto mais alinhadas com os objetivos estratégicos e a real capacidade de cada empresa. 

E ai? Sua empresa já utiliza seus dados para gerar vantagem competitiva?

Se sua empresa ainda não utiliza seus dados para prover Inteligência de Mercado, entre em contato conosco na Combiz Marketing+Vendas que teremos prazer em discutir com você, como é possível utilizar seus dados para alavancar seus negócios.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: Análise Mercado Business Intelligence Data Analytics Inteligência de Mercado