4 “taxas” que você deve acompanhar no e-mail marketing

65% das empresas que usam e-mail marketing estão tendo um bom ROI (retorno sobre o investimento) e pretendem continuar investindo nele e até estudam aumentar o investimento. No entanto, para alcançar sucesso com a estratégia, você precisa entender como ela funciona

iStock

Quando se fala em e-mail marketing, ouve-se tanto a palavra “taxa” que dá até medo de saber do que se trata. Afinal, taxa lembra gastos. E desses queremos passar longe!

A boa notícia é que você pode perder esse medo. Todas essas taxas relacionadas às mensagens eletrônicas são “do bem”. Elas servem para ajudar a medir a eficácia de sua campanha e guiar suas estratégias.

Que o investimento nesta ferramenta pode trazer bons resultados para o seu e-commerce é fato. Segundo um estudo da Serasa Experian, 65% das empresas que usam e-mail marketing estão tendo um bom ROI (retorno sobre o investimento) e pretendem continuar investindo nele e até estudam aumentar o investimento.

No entanto, para alcançar sucesso com a estratégia, você precisa entender como ela funciona. E aí, não tem como escapar. É preciso ficar de olho nas tais taxas. Vamos explorar melhor como elas funcionam e para que servem.

Taxa de Abertura



Como o título sugere, esta métrica mensura quantas mensagens foram abertas pelos destinatários.

Esse resultado está diretamente ligado ao título das mensagens. Afinal, o assunto tem que ser interessante para despertar o interesse do cliente em abri-la.

O horário de envio da mensagem e a frequência de disparos também podem influenciar essa estatística, portanto fique atento a eles.

Taxa de Cliques



Depois de aberto, é hora de analisar se o conteúdo interessou ou não ao cliente. E essa taxa pode trazer resposta a essa questão.

Um e-mail marketing costuma trazer links que direcionam o cliente para seu site ou para alguma landing page. A taxa de cliques aponta quantos dos clientes acessaram esses links.

O resultado pode ajudá-lo a analisar alguns aspectos como relevância do conteúdo, objetividade da mensagem e o interesse do cliente pela sua marca.

Vale atentar que muitos usuários temem clicar em um link suspeito e ter seus computadores infectados. Portanto, deixe claro que sua loja é confiável. E-mails com o domínio do site e selos de segurança são fundamentais para isso.

Taxa de Conversão



Essa métrica só consegue entrar em ação quando o cliente clica no link trazido pelo seu e-mail (o processo que descrevemos acima). Ao ser redirecionado para a página indicada, o cliente pode, ou não, realizar uma ação.

Pode ser finalizar uma compra, se cadastrar em uma newsletter, responder uma enquete, enfim, qualquer ação que seja o objetivo final do seu e-mail marketing. Quando ele faz o que você deseja, acontece a conversão.

Essa métrica mostra, entre outras coisas, se seu site e suas landing pages são atraentes e eficientes.

Taxa de descadastro



O nome já sugere que não vem boa coisa por aí. E não vem mesmo. Essa métrica mostra o quanto seus clientes não gostam das suas mensagens.

Todo e-mail marketing apresenta (ou, pelo menos, deveria) a opção de descadastro, também chamada de opt-out.

Uma alta taxa de desistência pode levar seu remetente a ser assinalado como spammer. E para voltar à caixa de entrada do cliente é missão quase impossível. O melhor a fazer é evitar que suas mensagens sejam identificadas como spam.

Por isso é importante que se tenha uma base de cadastros qualificados e atualizados. Só envie mensagens para aqueles que solicitaram o opt-in e concordaram em recebê-las. E fuja das tentações de comprar maillings de terceiros.

Fique de olho nas taxas e melhore suas campanhas de e-mail marketing!

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração