Como escrever uma copy que converte | 5 coisas que precisa saber sobre uma ótima escrita de copy

As pessoas estão indo para seu site e não estão comprando. Por quê? Porque a sua copy não é persuasiva.



"Se você responder as objeções das pessoas, a sua copy tem muito mais chances de converter"

 

As pessoas estão indo para o seu site e não estão comprando.

O que você deve fazer?

Olá pessoal.

Eu sou Neil Patel e hoje vou ensinar a vocês como escrever uma copy que converte.

A primeira coisa que você precisa saber é que copywriting não é sobre ser o escritor mais suave por aí.

Você não precisa ser o Ernest Hemingway.

Se você responder as objeções das pessoas, a sua copy tem muito mais chances de converter.

A forma de responder as objeções das pessoas é, você pode utilizar o Survey Monkey ou Qualroo para fazer um questionário para os seus leitores e fazer uma simples pergunta para eles: O que mais você gostaria de ver nessa página?

Ao conseguir respostas para essa pergunta, você vai descobrir quais objeções as pessoas têm e o porquê que elas não estão comprando e depois você pode reescrever sua copy para resolver isso.

A segunda coisa que você precisa saber é que o seu título é bem importante.

Oito de dez pessoas leem o título, apenas duas de dez vão ler o resto do seu conteúdo.

Se o seu título não atrai as pessoas, elas não vão ler o resto da sua copy.

Seu título deve mostrar e resolver o problema.

Ao fazer isso terá muito mais chances de as pessoas lerem o resto da sua copy.

A terceira coisa que você precisa saber é que o tamanho da sua copy não interessa.

Se ele é longo ou curto, algumas pessoas falam "Ah. ninguém vai ler copy longa" e

outra dizem, "Ah, muito curta não converte bem". Isso na verdade está errado.

O tamanho da copy não interessa.

Tudo que interessa é responder objeções e se você puder responder todas as preocupações que as pessoas têm com pouco texto, bom para você.

Se não puder então você precisa escrever um texto maior, ok?

Então, novamente, o tamanho não importa, mas responder as preocupações das pessoas e objeções importa.

A quarta coisa que você precisa manter em mente é que existem diferentes tipos de usuários que visitam o seu site.

Pense nisso como segmentos.

Algumas pessoas estão prontas para comprar imediatamente.

Algumas pessoas estão apenas pesquisando.

Algumas pessoas estão tentando descobrir o que seu produto ou serviço faz para que elas possam contar para o chefe delas sobre ele.

Realmente varia, então com a copy você precisa descobrir os tipos diferentes de pessoas que estão no seu site.

Apenas se coloque no lugar deles, dos visitantes e crie cenários diferentes.

Se certifique de que você tem uma copy para todo tipo de segmento.

Por exemplo, com a CrazyEgg, alguém que quer apenas ir para o site e converter imediatamente você vai notar que eles podem apenas inserir a URL e começar imediatamente.

Para as pessoas que querem aprender mais e entender quais tipos de funcionalidade ela tem para oferecer, elas podem clicar no pequeno botão Aprenda Mais no final e todas as funcionalidades aparecem, elas podem ler e aprender mais.

Esse é o exemplo de criar uma copy para tipos diferentes de segmentos.

E por último, mas não menos importante, as conversões que você vai conseguir do copywriting estão no follow up.

Você está com sorte se cinco de cem pessoas que vão para o seu site compram. E isso são com produtos sofisticados. Então a maioria das pessoas não vão comprar.

Você deve coletar e-mails.

Você consegue coletar e-mails com a hellobar.com.

É uma ferramenta grátis.

A partir daí você pode fazer follow up com as pessoas pelo e-mail, criar uma copy que leva elas de volta para o seu site e faz com que elas convertam.

Então a copy que você está criando não deve ser somente para o seu site.

Ela também deve ser para a sua sequência de e-mails.

Novamente, no follow up é onde você vai conseguir aproximadamente metade das suas vendas, então não se esqueça de fazer o follow up com as pessoas pelo e-mail.

 

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(0)