Demografia: o fator determinante para o futuro das organizações

O objetivo da pesquisa é demonstrar como alguns setores econômicos poderão ser beneficiados ou prejudicados caso algumas das principais projeções demográficas encontradas se concretizem. Defende-se que a demografia se torna agora um fator para a manutenção das empresas no futuro.

Adilson Felix,
1 INTRODUÇÃO

 

A demografia é uma das áreas da geografia que estuda a dinâmica populacional humana. O estudo da demografia vai além do simples conhecimento sobre o tamanho populacional de um país e sua divisão social ou econômica. A partir dos dados coletados pelas pesquisas demográficas o governo de cada país, por exemplo, estabelece como distribuir as verbas entre seus estados, cria planos de investimentos de acordo com as necessidades de cada região, promove campanhas para incentivar ou diminuir o número de nascimentos, dentre outras decisões.

Mas não apenas o governo se interessa pelo fator demográfico, o setor privado, cada vez mais, investe nesse tipo de pesquisa, dado que o sucesso ou fracasso de um novo produto ou serviço está diretamente ligado à demografia local.

E é sobre a demografia, aliada ao atual cenário econômico, que esse trabalho abordará, tendo como questão norteadora: Quais são as principais alterações previstas na estrutura demográfica do país? Até que ponto essas alterações poderiam afetar alguns segmentos da economia e quais medidas algumas organizações têm adotado para se preparar para elas?

Lembrando que o presente trabalho não é uma análise profunda de conjuntura econômica e social. Trata-se apenas do levantamento de possíveis situações decorrentes das alterações demográficas que poderão fazer frente às organizações. Diversos outros fatores poderão influenciar a dinâmica social no país de forma a prejudicar ou favorecer os segmentos estudados além do que será levantado.

 

2 A DEMOGRAFIA E AS ORGANIZAÇÕES

 

Dentro da administração o fator demográfico faz parte de um ambiente no qual as organizações não podem influenciar, porém são influenciadas direta ou indiretamente por tal fator. É o denominado macro ambiente, que é definido pelos elementos mais gerais do ambiente externo. Para Chiavenato (2003), são as condições externas que impõem desafios e oportunidades à organização e são os aspectos demográficos que determinam as características do mercado atual e futuro das organizações.

Nas ultimas décadas o fator demográfico tem sofrido alterações que irão mudar a maneira como as organizações lidam com esse aspecto. Segundo Drucker (1999), nos próximos anos, a economia e a tecnologia não serão os fatores determinantes para os negócios, mas sim a demografia. Drucker destaca, sobretudo, que o problema deixará de ser o excesso populacional que evidenciou-se nos últimos quarenta anos, mas a baixa taxa de natalidade, que segundo ele aumentará a insuficiência populacional dos países desenvolvidos, para ele a solução está em aumentar a produtividade dos trabalhadores do conhecimento.

Essas alterações também afetam as organizações no que diz respeito as suas ações mercadológicas. As empresas privadas passaram a investir cada vez mais em pesquisas demográficas para direcionarem seus planos e produtos. É a chamada demografia de negócios, um termo recente e sem uso totalmente consolidado, mas que segundo Smith e Morrison (2003), engloba a aplicação de conceitos, dados e técnicas demográficas às necessidades práticas dos tomadores de decisões. Não é viável, por exemplo, criar uma campanha publicitária de carros em uma região onde a grande preferência é por motocicletas.

Na área empresarial a demografia é utilizada para a pesquisa de mercado, de forma a alcançar maior eficiência na definição de produtos, atividades de promoção e outras estratégias de marketing dirigidas a diferentes públicos-alvo dentro de um mercado heterogêneo e serve de ferramenta para a seleção de localidades para serviços, prognósticos de vendas, planejamento financeiro, avaliação de mercados, perfis de consumidores, assistência jurídica corporativa e análise da força de trabalho das empresas. Para Ralph Hakkert o uso de informação demográfica é um dos elementos-chave na delimitação de áreas geográficas (ou grupos populacionais definidos segundo outros critérios) onde uma companhia poderá encontrar maior receptividade aos seus produtos ou para definir estratégias de marketing diferenciadas segundo as características de distintos segmentos de mercado.

 

3 O IMPACTO FUTURO NOS DIFIRENTES SEGUIMENTOS ECONOMICOS

 

A revista Harvard Business Review (HBR), traz em sua edição de março de 2010, o exemplo de como a montadora alemã de automóveis BMW se preparou para o fato de que, enquanto atualmente a força de trabalho da empresa tem 39 anos, daqui a dez anos será superior a 47 anos. A montadora decidiu por criar uma unidade piloto na qual a média de idade é igual à prevista, dando ênfase a cinco fatores: gestão de saúde, competências, ambiente do posto de trabalho, políticas de reforma e mudança de processos de elaboração. Como resultado a montadora obteve uma unidade na qual os trabalhadores propuseram mais de 70 alterações, que aprovadas, elevaram a produtividade em 7% num ano. A empresa está promovendo alterações semelhantes nas unidades de todo o mundo.

 

3.1 AS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES DEMOGRÁFICAS PARA O FUTURO

 

A partir da análise feita nos dados disponibilizados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), referente aos anos de 1900 até 2000 e as projeções demográficas para os próximos quarenta anos, levantou-se três pontos importantes que foram utilizados como base para as projeções:

a) até o ano de 2040 espera-se que a população brasileira esteja em torno dos 219 milhões de habitantes, isso caracteriza um crescimento de aproximadamente 29% se levado em consideração o ultimo censo realizado, no ano de 2000. Apesar de ser um número expressivo ele está abaixo dos quarenta anos anteriores, quando a população cresceu 142%.

b) espera-se que a predominância do sexo feminino se mantenha, representando 51,47% da população brasileira.

c) a tendência é por queda no número de nascimentos, assim como nas perspectivas mundiais, e a expectativa de vida aumentar. Isso ocasiona em uma desaceleração no crescimento populacional e eleva a idade média da população. Como resultado, temos uma população cada vez mais velha.

Apesar de importante a projeção de renda da população, não foi utilizada para as projeções, tendo em vista que aspectos econômicos necessitam de uma análise mais profunda e complexa dos cenários futuros da população e que tais aspectos são passíveis de mudança mais rapidamente do que os demográficos, assim como sua recuperação em caso de crise.

 

3.2 POSSÍVEIS IMPLICAÇÕES AOS DIFERENTES SETORES ECONÔMICOS


Observando os pontos mais relevantes, foi possível elaborar uma análise do mercado brasileiro para determinados segmentos econômicos, procurando descobrir se eles serão beneficiados ou prejudicados com as mudanças previstas. Foram utilizados como base, apenas os aspectos demográficos, tentando evidenciar a viabilidade ou não de tais atividades no futuro e possíveis alterações necessárias para que se mantenham no mercado. Também foi levado em consideração o atual cenário econômico do setor, isso possibilitou a observação das medidas que alguns setores já estão iniciando visando às possíveis alterações.

 

3.2.1 Automotivo

 

O setor automobilístico tem em sua grande maioria, clientes do sexo masculino, com idade acima dos 18 anos. As projeções indicam que o número de mulheres será ainda maior do que o de homens, tal fato prejudicaria o setor. Entretanto, as montadoras já observaram as expectativas futuras e começaram a desenvolver campanhas que despertem o interesse feminino pelos automóveis. Uma dessas campanhas foi realizada pela Audi em um evento denominado Audi Women Experience Day. O evento foi realizado no dia 8 de março de 2010, Dia Internacional da Mulher, no Autódromo de Interlagos e contou com a presença de um grupo de 60 mulheres, que tiveram a disposição diversos carros da marca para experimentação, sob orientação da piloto de Fórmula Indy Bia Figueiredo.

Nos anos anteriores os brasileiros tiveram um aumento na renda, o que beneficiou o setor, prova disso é a vinda de várias montadoras internacionais para o Brasil, como por exemplo, Mercedes, Ferrari e Aston Martin, que tem superado as expectativas de venda. Contudo e pela forma como o setor já trabalha com as possíveis alterações demográficas, acreditamos que ele seja beneficiado.


3.2.2 Bebidas e tabaco


O público-alvo do setor são pessoas com idade igual ou superior a 18 anos e como observou-se, essa é uma faixa etária crescente para os próximos anos. Ambos os setores tem buscado atrair o público jovem para seus produtos, seja através de propagandas televisivas que utilizam de jovens em festas e comemorações até a modernização de suas embalagens.

Para esse setor também devemos ressaltar um aspecto social. Atualmente no Brasil, o número de jovens e adolescentes que fazem uso de bebidas e drogas lícitas e também ilícitas é crescente. Esse aspecto pode sofrer influência do poder público através da promoção de ações contra a utilização dessas substâncias, seja criando leis ou campanhas sociais, além das regras já existentes para a divulgação tanto das bebidas quanto do tabaco. Tais medidas poderiam diminuir o consumo, porém trata-se de substâncias que ocasionam vício e apenas parte dos novos consumidores poderiam deixar de utilizá-las, isso faz com que o setor não apresente queda acentuada nas vendas. Acreditamos, portanto, que o setor pode se beneficiar.


3.2.3 Cultura e esporte

 

Atualmente a indústria cinematográfica tem voltado-se para os jovens e adolescentes como público-alvo. Esse público tem levado milhões de espectadores aos cinemas em filmes que batem recordes de bilheteria e arrecadação, mas as projeções indicam que essa faixa de idade diminuirá o que pode prejudicar o setor caso não consiga levar até as salas de exibição as pessoas de idade mais elevada. O teatro, ao contrário, tem seus clientes, em maioria, localizados entre idades mais elevadas e cada vez mais vem tentando trazer os jovens para os espetáculos, isso pode fazer o setor se beneficiar com o crescimento da idade média da população.

No esporte é possível que haja benefícios, uma vez que pessoas de idade acima dos 40 anos, uma população crescente, procuram hábitos mais saudáveis de vida, o que inclui a prática regular de esportes. Entre os mais jovens, a realização da Copa do Mundo (2014) e das Olimpíadas (2016), onde se incluem campanhas para motivar a prática de esportes, beneficiam o aumento do setor, acreditando-se então em crescimento.

 

3.2.4 Habitação


O setor não possui uma faixa de idade específica para seus clientes, ele trabalha com um item básico para a manutenção da vida humana, portanto, o setor é beneficiado já que mesmo em menor escala a população irá crescer. Se o crescimento da renda continuar aumentando as construtoras devem investir em condomínios, prédios e residenciais de maior qualidade, obtendo assim maior lucratividade com a venda dos mesmos. O poder público necessitará construir novas casas populares para suprir a necessidade da população de renda mais baixa, o que também beneficia o setor.

 

3.2.5 Jóias e relógios

 

Ambos são setores voltados para a moda, servindo como acessórios de vestimenta e com clientes em todas as idades, mas com maior incidência entre os 14 e 50 anos. São itens de custo elevado e voltados a pessoas de alto padrão na sociedade, portanto, podem se beneficiar pelo aumento da idade média da população e pelo crescimento da renda familiar, caso ele mantenha-se estável ou sofra crescimento. Entretanto, a estabilidade do setor está ligada a renda da população, caso a renda sofra baixa o setor enfrentará problemas, pois as pessoas darão prioridade itens mais essenciais para a vida, como moradia e alimentação.


3.2.6 Propaganda

 

Acreditamos em um grande beneficio para esse setor, pois com as mudanças demográficas previstas, as empresas precisarão promover seus produtos através de campanhas publicitárias, além de lançar novos produtos para obterem clientes em diferentes idades.

 

3.2.7 Radiodifusão

 

A crescente utilização da internet como principal meio de comunicação e o crescimento da mídia televisiva prejudicam o setor no futuro. Algumas rádios têm criado promoções para despertar o interesse dos jovens, porém ainda precisam utilizar-se de recursos da internet e mídia televisiva para manterem seus ouvintes. Os moradores rurais que ainda utilizam o rádio como meio de obter informações tem migrado crescentemente para o meio urbano ou os que se mantém no campo, possuem acesso mais fácil a mídia televisiva do que a alguns anos atrás, isso ajuda a prejudicar o setor.

 

3.2.8 Restaurantes e viagens

 
Para esses setores acreditamos em beneficio, devido ao crescimento do turismo e também da mão de obra economicamente ativa, que muitas vezes fazem suas refeições próximo ao local de trabalho, seja por comodidade ou por dificuldade de locomoção até suas residências. A diminuição nos nascimentos indica que haverá um maior planejamento familiar, com isso é normal que sobre mais dinheiro para a diversão em família, como exemplo, podemos citar as agências de turismo que tem crescido no país e também o acesso mais fácil a viagens aéreas, devido à diminuição nos preços das passagens.

 

3.2.9 Roupas

 

O setor também faz parte dos que oferecem um item básico para a população o que faz com que ele se beneficie do crescimento populacional, independendo da renda das pessoas. Nesse setor inclui-se o setor da moda que tem apresentado crescente aumento no mundo todo.

 

3.2.10 Saúde


Na saúde as grandes beneficiadas podem ser as empresas privadas que oferecem planos de saúde ou medicamentos. Com a previsão de que a população se torne mais velha, espera-se que a demanda por esse tipo de serviço aumente consideravelmente, uma vez que pessoas com elevada idade buscam cuidar mais da saúde, além de necessitarem de atenção especial.

Em São Paulo, uma empresa já demonstra como está se preparando para essa nova demanda, trata-se da Prevent Senior. A empresa oferece planos de saúde, apenas para pessoas idosas, a um preço mais acessível. Com uma política de prevenção e baixo custo à empresa é um exemplo de preparação para o futuro da demografia brasileira.

Já o setor público e a parcela que dele depende podem ser prejudicados caso não sejam feitos investimentos no setor, devido ao fato de que um sistema já precário terá que lidar com uma demanda ainda maior.

 

4 CONCLUSÃO

 

Observa-se que o crescimento populacional, por si só, já beneficia os seguimentos econômicos, afinal, são mais pessoas procurando suprir seus desejos e necessidades. A divisão demográfica entre sexo e idade ou uma eventual mudança nos gostos e preferências da população é que afetam diretamente as organizações, visto que elas podem oferecer seus produtos a nichos específicos da sociedade, que podem aumentar ou diminuir com o tempo.

As empresas que estiverem atentas às mudanças demográficas do meio do qual fazem parte não terão grandes problemas para se adaptar ao novo ambiente, pois farão isso gradativamente buscando clientes em outras faixas de idade, promovendo campanhas publicitárias ou lançando novos produtos.

Ao analisar os dados disponíveis no IBGE (1900-2000) podemos descobrir que espera-se um crescimento de 29% até o ano de 2040, índice esse bem abaixo dos quarenta anos anteriores. Observa-se também que o número de nascimentos tende a diminuir, porém a expectativa de vida será maior. Isso explica a queda no crescimento e demonstra que no futuro a população terá uma idade média maior, tornando a população mais velha.

 

5 REFERÊNCIAS

 

CERQUEIRA, Wagner de. O crescimento da população brasileira. Disponível em: <http://www.brasilescola.com/brasil/o-crescimento-da-populacao-brasileira.htm>. Acesso em 15/09/2010.



CRAVEIRO, João Paulo. Questões de demografia. Disponível em: <http://vistodedentro.blogspot.com/2010/04/questoes-de-demografia.html>. Acesso em 14/09/2010.



CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações. - 7. ed. rev. e atual. - Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.



Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Séries estatísticas e séries históricas. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/series_estatisticas/>. Acesso em 11/09/2010.



JAUCH, Lawrence R., BEDEIAN, Arthur G., COLTRIUN, Sally A., GLUEK, William F. The managerial experience: cases, exercises and readings. – 4. ed. – Chicago: Dryden Press, 1989.



HAKKERT, Ralph. Demografia de negócios: campo de estudo, tendências e possibilidades.

Disponível em: <http://www.abep.nepo.unicamp.br/docs/outraspub/Demographicas3/demographicas3artigo1_19a73.pdf>. Acesso em 14/09/2010.



REHDER, Marcelo. Mudança demográfica reduz pressão de jovens no mercado de trabalho. Disponível em: <http://financenter.terra.com.br/Index.cfm/Fuseaction/Secao/Id_Secao/722>. Acesso em 14/09/2010.



WIKIPÉDIA. Demografia. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Demografia>. Acesso em 14/09/2010.

Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: Demografia Futuro Mudança. Organizações