E-commerce X Offline

O Brasil possui 200 milhões de habitantes. Destes, estima-se que de 100 a 110 milhões têm acesso à internet. Um número significativo, que representa, sem sombra de dúvidas, um big mercado para atuar. Neste contexto, tenho duas certezas: a primeira é de que o futuro do Varejo passa pelo Digital; a segunda é de que o Varejo Físico precisa reencontrar o seu papel nessa cadeia.

O segredo do e-commerce está na "comodidade" aliada à lógica brasileira de que tudo na internet é mais barato do que na loja física – o que nem sempre é verdade. Mas, além da praticidade do virtual, há outras diferenças entre esses dois modelos de negócio. Vamos comparar!

* Vitrine - On: Personalizada | Off: Fixa

* Estoque - On: Ilimitado | Off: Limitado

* Alcance geográfico – On: Ilimitado e 24h | Off: Restrito e apenas no horário comercial

* Experiência de consumo – On: Única | Off: Igual para todos

* Apresentação dos produtos – On: É possível montar uma homepage personalizada para cada cliente, com base em seus interesses e nos produtos visitados anteriormente | Off: Padrão para todos

Independente se on ou off-line, conquistar o cliente é um desafio diário do empreendedor. E, para atingi-lo, é preciso conhecer e saber utilizar os três tipos de mídia existentes:

* Mídia paga: você investe e o cliente vem. O contra é que é preciso desembolsar dinheiro para isso, mas é você quem determina a quantidade.

* Mídia conquistada: grande valor de credibilidade. Por exemplo, se o jornalista X da revista Y diz coisas positivas sobre a sua empresa, é alguém te credenciando. O contra é que não se pode determinar o volume, não há controle sobre quem está falando bem da marca, não se utiliza assessoria de imprensa, compartilhamento de posts, etc.

* Mídia proprietária: bom porque é grátis. O contra é que tem alcance limitado, restringe-se ao que é comunicado no seu site, enviado por e-mail marketing, disponibilizado na fachada da loja, etc.

O sucesso está em encontrar uma fórmula que utilize as três mídias a favor do seu negócio. Além disso, é muito importante utilizar o measure-build-learn, que é um ciclo de desenvolvimento em que o produto é constantemente reformulado com base no feedback dos usuários.

Outra dica importante é saber utilizar o outbound e inbound.

* Outbound: É a mídia não desejada. Mídia em que a marca empurra uma mensagem que é relevante para ela: “Meu produto é bom, compre!”, sem você ter pedido a informação. Como? Propaganda na televisão, anúncios no Facebook, Instagram, e-mails, etc.

* Inbound: Funciona com a lógica de que a marca só vai falar contigo se você quiser. Apenas quando se vai atrás de uma informação é que ela chega até você. Por exemplo, se pesquisarmos sobre “futebol” no Google, consequentemente mídias relacionadas ao assunto começarão a aparecer na tela.

A sabedoria é utilizar o outbound e inbound com equilíbrio.

Conclusão? O e-commerce é fácil de criar hoje em dia, o difícil é a escalar. Por esse motivo é importante estar atento a essas ferramentas que podem nos ajudar na escalada do negócio.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(0)
Tags: empreendedor marketing marketing digital tecnologia