Você entende os Millenials?

Quem são os Millenials?? Se você não sabe ou acha que é um grupo homogêneo, tem um post aqui pra você sobre o assunto.

Cada geração tem suas próprias características e comportamentos. No entanto, engana-se quem reduz pessoas tão diversas a apenas um rótulo. Os Millennials, apesar de serem acusados de vários “assassinatos de indústrias” em portais de notícias afora, podem estar do seu lado!

Você entende os Millennials? A sua estratégia de branding considera, em algum momento, interagir com esse público? Confira, a seguir, quais são as diferenças dessa geração que está dando as cartas aos mercados.

A grande divisão de Millennials

Cada período foi marcado por sua geração. A década de 1960 foi dos baby boomers. Já a Geração X marca grande presença nos anos 1980. Depois disso, vieram os Millennials. Mas, mesmo entre os mais de 80 milhões de Millennials, temos grandes diferenças. Afinal, o período de 1979 a 1995 foi marcado por avanços tecnológicos significativos. Não é à toa que existe um abismo aí!

Um ano que precisa ser marcado nessa divisão dos Millennials é 2007. O ano em que Steve Jobs anuncia o iPhone. A partir daí, a comunicação mudaria para sempre. Surgem os smartphones e, com eles, os micromoments.

O uso dos smartphones foi um grande divisor de águas. De um lado, você tem pessoas que ainda estavam acostumados a um mundo antes do acesso à informação na hora. Do outro, pessoas que já estavam conectadas e com medo de perder o momento, o chamado FOMO (Fear of Missing Out).

No ano seguinte ao boom dos smartphones, uma grande recessão estaria por vir. O ano de 2008 foi marcado, nos Estados Unidos, pelo estouro da bolha da especulação imobiliária. Por consequência, vários negócios do mercado financeiro quebram, como bancos e seguradoras. Para os Millenials, isso estourou em uma grande nuvem de pessimismo e desemprego.

É importante entender essa grande divisão dos Millennials no aspecto econômico. Quem nasceu na década de 1980 ainda acreditava em um milagre financeiro, com um acesso limitado à informação. Já os Millenials das décadas de 1990 e 2000 viveram um mundo mais cético e desesperançoso. E para reforçar isso, toda notícia era acessada rapidamente na tela do smartphone!

Dois mundos diferentes coexistem em uma só geração. É preciso, portanto, que sua marca saiba as características de cada metade dessa laranja!

Os Old Millennials e seu otimismo

Entre 25 e 34 anos, os Old Millennials viveram nos anos 1990. Eles sabem como era o mundo antes da Internet, dos smartphones e das redes sociais. Talvez você seja um, ou tenha amigos dessa geração.

Os Old Millennials são a parte da geração mais colaborativa e otimista. Enquanto não estão procurando músicas e aberturas de desenhos dos anos 1990 no YouTube, estão encarando o adulting. Isto é, tentando ser um adulto responsável nas tarefas do dia a dia. Limpando a casa, arrumando um emprego fixo, enfim, tudo que parecer muito adulto!

A busca pelo emprego, pelo apartamento e pelos estudos cobra muito mais dessa geração tentando agir como a idade manda. Para dar um descanso de todo esse adulting, há todo um conjunto de conteúdos no YouTube. Já ouviu falar nos termos “ASMR” ou “oddly satisfying”? São vídeos focados em estimular os sentidos visuais e auditivos. E, sim, isso é um sucesso entre Millennials! Louco, não?

Além de escapar e relaxar, Old Millennials também querem simplificar a vida. Tutoriais DIY (Do It Yourself – faça você mesmo) e Life Hacks (“Hackear” a vida) são conteúdos altamente procurados – o termo “Life Hacks” tem mais de 19 milhões de resultados no YouTube!

Sua marca se encaixa na vida adulta dos Old Millennials? Já pensou como promover conteúdo alinhado a esse público?

Os Young Millennials e seu realismo

Jovens de 18 até 24 anos dessa geração são considerados Young Millennials. Diferentemente de seus amigos mais velhos, eles já nasceram conectados e conheceram o mundo pós-recessão. Nos anos 2000, eram crianças e adolescentes.

Por conta de terem conhecido a recessão econômica e a falta de oportunidades, Young Millennials são mais realistas e questionadores. São um perfil extremamente focado em viver o agora. O lema “Só se vive uma vez” (YOLO – You Only Live Once) é uma filosofia vinda desses Millennials. Dentre eles, 89% concordam com essa filosofia.

Por estarem em um período em que estudo é muito importante, a tecnologia é uma grande parceira. O YouTube é utilizado como uma plataforma para estudos por 31% desse público jovem.

Outro ponto interessante do perfil de comportamento dos Young Millennials está no consumo. É essencial que sua marca saiba disso: 84% dos Millennials não gosta de propaganda. Isso significa que a forma de falar com esse público deve levar esse ponto em consideração. Inclusive, 58% deles dá preferência a marcas que falem de seus interesses.

Como fazer sua marca fazer parte desse mundo?

Apesar de terem comportamentos que pareçam opostos, a internet une os Millennials em um ponto crucial: informação. Para que uma marca possa se comunicar de uma forma interessante com esse público, é importante produzir um conteúdo relevante.

Como vimos, Millennials estão procurando conteúdo para se divertirem, aprenderem e se inspirarem. Portanto, para que sua marca faça parte da conversa desse público, é importante identificar onde ela se encontra.

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: branding estrategia estratégia marketing