Você sabe o que é carsharing?

Será que, no futuro, os nossos carros ficarão abandonados em garagens das nossas casas, da mesma forma que as geladeiras obsoletas, no passado, ficaram abandonadas em garagens nas casas dos nossos pais.

Será que, no futuro, os nossos carros ficarão abandonados em garagens das nossas casas, da mesma forma que as geladeiras obsoletas, no passado, ficaram abandonadas em garagens nas casas dos nossos pais.

Estudos demonstram que as novas gerações – como a geração Z, as pessoas que são nascidas nos períodos de 1995 até 2010 – veem o automóvel mais como um meio de transporte do que um objeto de posse, de ostentação.

Além disso, o excesso de veículos nas cidades, os valores altíssimos dos automóveis, dos seguros, dos impostos (IPVA), dos combustíveis, as cobranças de pedágios, os altos custos com manutenção e as perversas indústrias das multas fazem com que as pessoas desistam de adquirirem um carro próprio.

Embora no Brasil exista uma cultura por adoração aos carros – é um dos países que tem mais montadoras de automóveis no mundo –; porém, é muito deficitário em transporte coletivo; nos países desenvolvidos existem malhas de transporte, principalmente de metrô, que permitem as pessoas se deslocar de suas residências para os locais de trabalho sem necessitarem de um veículo próprio.

Surgem assim, oportunidades de negócios para as empresas de transporte individual, que utilizam aplicativos, tais como: Uber, 99 Pop, Cabify e outros e que, também, reforça o conceito dos carsharing.

Essas empresas de transporte individuais nós conhecemos muito bem, as quais utilizamos em nossos dia a dia. Mas afinal você sabe o que é carsharing?   

Carsharing

O sistema de carsharing ou compartilhamento de carros teve a sua origem em 1958, na Bélgica; porém, o conceito foi desenvolvido nos Estados Unidos, em 2000, tendo como principal objetivo a redução do número de automóveis nas cidades, que consequentemente reduziu a emissão de dióxido de carbono, por meio do compartilhamento dos veículos, que ficam espalhados por vários pontos das cidades.

É um modelo de aluguel de veículos que funciona como um sistema de locação automotiva; mas diferente do tradicional sistema de locação de veículos – que oferece locações mais longas – é uma opção conveniente para quem precisa locar um automóvel que permite usá-lo como se fosse seu por algumas horas.

Carsharing no mundo

O carsharing está disponível em várias cidades do mundo inteiro – mais de mil cidades –; em cidades europeias e norte-americanas cada vez mais tem crescido esse serviço.
Em Lisboa, Portugal, existem duas empresas: City-Drive – a mais antiga – e a Drive Now, que é uma parceria recém-criada entre a Brisa e a joint-venture formada pela BMW e a empresa de aluguel de automóveis Sixt.

Nos EUA a Zipcar se autointitula como a maior empresa de serviços compartilhados de carros do mundo, que dispõe de 10.000 carros, que estão distribuídos em 500 cidades de nove países.

Carsharing no Brasil

A primeira empresa de compartilhamentos de veículos no Brasil foi a Zazcar, que foi inaugurada em 2009, em São Paulo, depois veio a Olacarro, de agosto de 2015, em Curitiba (PR) e a Pegcar que começou as operações em outubro de 2015, que atuou nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná, e em janeiro deste ano encerrou as atividades no Brasil.

Entre os negócios mais recentes de compartilhamentos de carros estão a Parpe, lançada em fevereiro de 2016, Moobie, de março de 2017 e o Urbano, que começou as atividades em novembro de 2017, todas em São Paulo.

E, ainda, em 2017, com uma iniciativa inédita, o Brasil entrou na era do compartilhamento de automóveis 100% elétricos, com emissão zero de gás carbônico (CO2), e o ator principal dessa façanha é a empresa VAMO – Veículos Alternativos para Mobilidade –, implantado em Fortaleza, no Ceará, com uma parceria entre a Prefeitura Municipal de Fortaleza e outros órgãos da iniciativa privada.

Vantagens do carsharing

O compartilhamento de carros pode ser a solução de muitos problemas referentes ao transporte coletivo e, também, com relação aos problemas relacionados ao meio ambiente. Assim, as principais vantagens são as seguintes:

- diminuição dos veículos nas cidades: com o compartilhamento de carros a tendência é a diminuição dos engarrafamentos nas cidades;
- diminuição na emissão de poluentes (CO2): com a frota menor nas ruas, a emissão de poluentes lançados na atmosfera irá diminuir. Com a adoção de modelos de carros elétricos contribuirá ainda mais para diminuição da poluição do ar;
- estímulo ao consumo consciente: utilizar meios de transporte compartilhados contribui para o consumo consciente;
- diminuição de tempo e stress: com o compartilhamento o tempo de deslocamento e a busca por estacionamento e o stress irão diminuir; e
- economia nos gastos com veículo próprio: usando o sistema carsharing as despesas com combustível e estacionamento serão menores.

Assim, o conceito de economia compartilhada – que se popularizou com o modelo de marketing disruptivo de hospedagem do Airbnb – começa a abrir espaço para o segmento de locação de veículos por aplicativos, os quais geram muitas oportunidades de negócios.

Portanto, do ponto de vista do marketing, que sempre está em busca de tendências e inovações para atender aos desejos dos clientes, os sistemas que utilizam aplicativos de transportes individuais – Uber, 99 Pop e outros – e compartilhados – como o carsharing – serão sempre bem-vindos ao mercado. Os clientes agradecem!

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(0)
Tags: 99 Pop cabify carsharing compartilhamentos marketing negócios oportunidades roberto morais batista uber