7 passos para desenvolver o protagonismo, empoderamento e accountability

Ser humano atualmente exige mais do que simplesmente lutar pela sobrevivência. É fundamental que possamos desenvolver a plena consciência de nosso papel no mundo e assumir integralmente a responsabilidade por nossos atos, não apenas diante da lei.

7 PASSOS PARA DESENVOLVER O PROTAGONISMO, EMPODERAMENTO E ACCOUNTABILITY

Estamos sempre sujeitos a padrões, obstáculos e regras ao longo da vida. A maneira como lidamos com eles é que faz a diferença na hora do resultado. Mas o que significa “lidar” com os obstáculos, desafios, frustrações, conflitos, mal-entendidos, dores, distrações, e todas as questões que teimam em nos desviar de nossos objetivos?
“Lidar” com uma situação demanda compreender o contexto, identificar o problema, encontrar alternativas e tomar decisões, e principalmente assumir as consequências dessas decisões. Parece simples quando encaramos dessa forma, mas muito mais complexo e delicado quando estamos diante do problema. Ser protagonista de nossas vidas demanda muita energia e foco, mais do que simplesmente aceitar as coisas como são ou atribuir os resultados a algum fator externo.
Se cada um de nós enxerga o mundo de acordo com sua própria lente, nossos valores, crenças e modelos, estereótipos e preconceitos vão funcionar como filtros para essa percepção, sem falar no histórico pessoal e nas experiências vividas. Todos os dias somos desafiados a legitimar nossas ações e assumir a responsabilidade por nossos atos. Como adultos, transitamos entre as obrigações, leis e compromissos que regem o mundo civilizado. No mundo corporativo assumimos papéis e ocupamos cargos, ganhamos pela importância e complexidade de nossas tarefas e direcionamos nossos comportamentos por relações, metas e resultados.
Influenciamos e somos influenciados pelo ambiente, criamos mecanismos para nos adaptar às demandas. Somos, portanto, criador e criatura dentro do cenário do mundo e, chamados a protagonizar ações, muitas vezes preferimos deixar que as circunstâncias nos conduzam. É nesse momento que perdemos o controle de nossas vidas e abrimos mão do poder de decisão: arrumamos desculpas para não assumir um compromisso, temos justificativas para todos os nossos erros e omissões e sempre achamos alguém ou algo para “culpar”. Criamos desculpas e nos colocamos no papel de vítima dessas circunstâncias, entrando em um círculo vicioso que só poderá ser quebrado com uma atitude accountable: é a responsabilidade pelas nossas ações gerando resultados concretos e sustentáveis.
Tornar-se protagonista significa estar no centro do palco de nossas vidas, assumir o papel principal com todas as dores e delícias inerentes, é resgatar o rumo e o poder de decisão. Somente quando conseguimos quebrar o “ciclo do vitimismo” é que escapamos das armadilhas que nos separam dos melhores resultados pessoais e profissionais.
Mas como trilhar esse caminho? Como sair desse ciclo de vitimização e assumir o poder sobre sua vida e seus resultados?
1 – Pare de dar desculpas e arrumar argumentos que justifiquem por que as coisas não deram certo;
2 – Assuma a responsabilidade sobre as escolhas que fez e os resultados que obteve;
3 – Melhore o auto conhecimento e identifique seu mais alto potencial;
4 – Busque conhecer seus limites e mantenha-se em movimento para expandi-los;
5 – Deixe de esperar que as coisas se resolvam sozinhas: assuma o protagonismo e procure soluções viáveis e factíveis para os problemas;
6 – Procure SER bom, ao invés de apenas procurar se sentir bem;
7 – Faça constantemente a si próprio a pergunta: o que eu poderia fazer mais?

Assim como na fábula O Magico de Oz, na vida nos deixamos conduzir pelas circunstâncias e procuramos soluções mágicas que nos permitam resolver os problemas sem ter que investir energia. Mudar de perspectiva pode ser a chave para utilizarmos nosso potencial conscientemente, sem precisar esperar que o Mágico de Oz nos forneça:
- Como o Leão, Coragem para perceber as coisas como são, nos livrando da sensação de impotência diante da realidade
- Como o Homem de Lata, Coração para assumir o controle sobre nossos atos e comportamentos;
- Como o Espantalho, Cérebro para buscar soluções e remover os obstáculos
- Como Dorothy, Propósito para realizar um planejamento, implementá-lo e assumir a responsabilidade pelo resultado.

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração