Mais comentada

A Administração e o processo de mudança nas organizações

Cabe à administração o desafio de reorganizar as empresas para que sejam competitivas nesta era de mudanças.

Carlos Hilsdorf,

Qualquer pessoa que já reformou uma casa ou tentou adaptá-la a novas necessidades sabe que isso é muito mais trabalhoso que começar uma nova obra.

 

O mesmo ocorre nas organizações. Cabe à administração o desafio de reorganizar as empresas para que sejam competitivas nesta era de mudanças.

 

As contínuas pressões internas e externas sofridas pelas empresas na era atual apontam para a necessidade de uma reestruturação e revisão da sua cultura empresarial independentemente do seu tamanho e da magnitude de seus lucros.

 

Os professores Jonathan Day e Michael Jung, em seu trabalho "Corporate Transformation Without a Crisis", elencaram dez regras de ouro para que esta reestruturação funcione bem. São elas:

  1. Confronte os fatos continuamente. Analise os fatos, não se prenda a opiniões e inferências sobre os fatos.
  2. Construa um roteiro coerente de transformação. Clientes, investidores, fornecedores e colaboradores precisam compreender as razões pelas quais a empresa está mudando e para onde ela se dirige.
  3. Use a sabedoria coletiva da organização. A mudança não será efetiva se todos não a descobrirem e compreenderem como a melhor escolha. Não convença, cative.
  4. Algumas coisas são inegociáveis no processo de mudança, as demais devem ser flexíveis. Seja claro ao comunicar os tópicos inegociáveis do processo de mudança, mas não exagere na quantidade destes tópicos, você está lidando com pessoas, adaptações sempre serão necessárias.
  5. Trabalhe através dos líderes em todos os níveis. Liderança é essencial nos processos de mudança e reestruturação, mas não pode ficar apenas na mão do gestor. Não centralize a liderança, trabalhe através de líderes disseminados por toda a organização.
  6. Encontre o equilíbrio entre ação e reflexão. Sem uma ação consistente o processo de mudança e reestruturação perderá o momento certo e poderá falhar. Mas, cuidado para não se perder em excesso de ação e esquecer da reflexão. Todos precisam aprender suas lições!
  7. Demonstre o sucesso antecipadamente. Não basta falar a respeito das mudanças, as pessoas precisam experimentar a sensação de sucesso antes de empreendê-la. Faça simulações, dê exemplos, demonstre o impacto que as novas práticas terão sobre os negócios e sobre a vida das pessoas.
  8. Torne o processo único. Sua organização é única, as pessoas que as compõem são únicas, então seu processo de mudança também precisa ser. Faça-o sob medida para as pessoas e para a organização. Torne o processo dinâmico e prazeroso.
  9. Espere por resistência. Ouça as críticas continuamente, mas deixe claro quais são os limites. Mudanças e reestruturações não são fáceis. Sempre existe resistência, isso pode ocorrer até por parte de alguns líderes. Jamais deixe de ouvir estas pessoas, isso arruinaria o processo. Seja claro sobre o grau de resistência e de debate que são aceitáveis. Considere que algumas pessoas não permanecerão no processo, entenda que elas seriam inadequadas, e, neste caso o desligamento é benéfico.
  10. Meça o progresso em todas as fases. Acesse continuamente informação real e relevante sobre o progresso das mudanças. Observe o alinhamento com os objetivos e metas e refaça o planejamento quando necessário.

Estas breves considerações sobre o processo de mudança e reestruturação são fruto da observação do sucesso e fracasso de centenas e centenas de empresas que passaram por estes processos, suas dificuldades e acertos.

 

Orientar a empresa para as pessoas e orientar a empresa para os resultados não são objetivos opostos, são complementares. É através da sua realização simultânea que conseguimos atrair, reter e desafiar os melhores talentos.

 

Grandes administradores são aqueles que conseguem encarar os desafios da realidade através das pessoas, como enfatizava o saudoso, mas sempre atual, Peter Drucker.

 

Não tema as dificuldades, aja sobre elas. Comece o processo de reestruturação e mudança. Comece agora mesmo. Planeje executando, mas jamais esqueça as dez regras de ouro, elas estão orientadas aos arquitetos, engenheiros e trabalhadores da mudança: TODAS AS PESSOAS!

 

Carlos Hilsdorf

Considerado pelo mercado empresarial um dos 10 melhores palestrantes do Brasil. Economista, Pós-Graduado em Marketing pela FGV, consultor e pesquisador do comportamento humano. Palestrante do Congresso Mundial de Administração (Alemanha) e do Fórum Internacional de Administração (México). Autor do best seller Atitudes Vencedoras, apontado como uma das 5 melhores obras do gênero. Presença constante nos principais Congressos e Fóruns de Administração, RH, Liderança, Marketing e Vendas do país e da América Latina. Referência nacional em desenvolvimento humano.

www.carloshilsdorf.com.br - TWITTER: www.twitter.com/carloshilsdorf

Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: administração administradores cultura empresarial cultura organizacional empresas gestão gestão de mudanças gestão de pessoas management mudança organizações pessoas reestruturação talentos

Vagas de trabalho