Mais comentada

A inveja nas organizações

Rodnei Calixto,
Como Lidar com a Inveja nas Organizações


1) COMO A INVEJA PODE SE TRANSFORMAR EM UM FATOR DE MOTIVAÇÃO OU DE DESMOTIVAÇÃO NO AMBIENTE DE TRABALHO?

2) COMO O CONFLITO PODERÁ SER AMENIZADO EM SITUAÇÕES DE INTERESSE PESSOAL E INTERPESSOAL?


A inveja pode vir a ser um fator motivador ou desmotivador se os gestores não conhecerem os colaboradores da organização, partindo-se do pressuposto que a motivação é pessoal, íntima, interna, sentida, percebida e entendida por poucos. Como a inveja se concentra no campo sentimental o trabalho em equipe pode passar a ser um verdadeiro desastre, um jogo de vaidades e com resultados contraditórios; ao mesmo tempo que alguns colaboradores se sentem incentivados com o sucesso, o poder, o grau de reconhecimento de algum membro do grupo, outros se sentem humilhados, prejudicados, gerando um clima tenso, de revolta e um desejo constante em eliminar o outro ponto de referência de sucesso.

Nenhum sentimento por si é bom ou ruim, tudo depende da forma de administrá-lo. É preciso perceber a diferença entre a inveja destrutiva onde a única preocupação é maldizer o sucesso alheio, da inveja positiva que pode nos tirar do comodismo e nos impulsionar a uma competição saudável para enfrentar desafios.


conflitos pessoais e interpessoais acontecerão quando há divergência de interesses, a inveja negativa ou positiva, as diferenças de cultura, de valores, crenças e os princípios éticos passam a ser latentes na organização. Os gestores devem se fortalecer no histórico das pessoas envolvidas, identificarem a forma de trabalho - se em grupo ou em equipe - ter tato, conhecer as características de cada um, pois estará lidando com pessoas, com diversidade cultural. Cada pessoa tem um tipo de comportamento diferente aumentando ainda mais o conflito.


O gestor ou mediador por sua vez tem que detectar o grau de complexidade deste conflito e procurar, quando possível, isolá-lo para que possa acalmar e ganhar tempo para implantar um plano de ação a fim de se conquistar o controle e não a sua extinção. Com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo e com o avanço tecnológico, culturais e novos conceitos de sucesso profissionais e pessoais, cabem aos gestores conhecerem ao máximo o fator impactante da motivação ou desmotivação dos membros de seu grupo e trabalhar o ego e a vaidade de cada um.


Autores: Rodnei Calixto e Priscilla Tatiana Klein

Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: Conflitos