A vida é feita de histórias: que tal contar a sua?

Como não é possível postar o tempo todo, fazemos uma seleção, pois memórias são seletivas e tornam a nossa vida uma seleção, uma escolha. Talvez, seja hora de começar a organizar a sua história e da sua empresa para que ela possa ser compartilhada. Histórias compartilhadas inspiram pessoas, renovam nossas energias e nos permitem avaliar ações que devem ser tomadas no futuro. Então, que tal começar a contar a sua história e da sua empresa?

Cada vez mais estou convencida de que a vida é feita de histórias, de pequenas histórias, como se fossem vários episódios de uma série televisiva, que vão se encadeando para compor o que chamamos de nossa história de vida.

Alguns poderão me dizer que a vida é feita de momentos, ou de eventos, ou de sucessos, de projetos, de sonhos. historiasMas, eu insisto na crença de que a vida é feita de histórias por um motivo simples: a vida só acontece quando nós a elaboramos, por meio da linguagem.

Nossos momentos se tornam passado e apenas as histórias, contadas por nós ou por outros, são capazes de criar a nossa vida.

Dia desses me peguei tentando lembrar um episódio da minha infância e quase nada me veio à memória. Incapaz de contar aquela história específica com todos os detalhes, ela não pôde mais existir a não ser por fragmentos que fui juntando, organizando, compondo.

O que fiz, na verdade, foi criar uma história com o que me permiti ou me foi possível lembrar. Memórias são assim: feitas de lembranças e de esquecimentos. Nem tudo será lembrado, porque nem tudo é para ser lembrado ou pode ser lembrado. Quando falo em contar sua própria história eu falo também em criar a própria história.

Podemos nos lembrar de quantas vezes fomos surpreendidos com algum fato contado sobre nós, seja por algum familiar a lembrar uma peripécia de quando éramos crianças, seja por um colega da faculdade ou do trabalho resgatando uma gafe ou uma impropriedade de uma época da qual já não nos lembramos mais com tanta clareza.

São episódios que fazem parte do passado e que, uma vez resgatados, por meio de narrativas, constroem, no tempo presente, uma versão do que aconteceu no passado. É a vida revivida no momento presente. São fragmentos de um passado resgatado por meio de processos de comunicação, que envolvem, nos dias de hoje, o meio no qual essas lembranças são narradas.

Com o fenômeno das redes sociais digitais, em que o público e o privado se confundem, assumir a tarefa de contar a própria história é não apenas uma possibilidade, mas uma necessidade.

Vivemos uma experiência coletiva e jamais imaginada tempos atrás: nossa vida sendo contada enquanto acontece e, uma vez que é tornada pública, ela passa a ser ressignificada por todos que têm acesso a ela. Todas as pessoas que conheço têm um perfil no Facebook, o maior site de redes sociais do mundo, com mais de 1,5 bilhão de usuários.

No espaço denominado “Linha do tempo” somos convidados a dizer o que estamos pensando e a ilustrar – com aquelas carinhas chamadas emojis – o que estamos sentindo.

Como o Facebook não dispõe de mecanismos de busca, nossas publicações vão se passando e desaparecem após algum tempo. Sem nos darmos conta, contamos nossa história e permitimos que ela aconteça nas redes sociais por meio do que postamos, curtimos, compartilhamos e comentamos.

Como não é possível postar o tempo todo, fazemos uma seleção, pois memórias são seletivas e tornam a nossa vida uma seleção, uma escolha. Talvez, seja hora de começar a organizar a sua história e da sua empresa para que ela possa ser compartilhada.

Histórias compartilhadas inspiram pessoas, renovam nossas energias e nos permitem avaliar ações que devem ser tomadas no futuro. Então, que tal começar a contar a sua história e da sua empresa?

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração