Abraham Lincoln e o valor da auto-estima

Quando Abraham Lincoln foi eleito presidente dos Estados Unidos houve um forte constrangimento das classes dominantes.

Afinal, ele era filho de sapateiro e iria dirigir pessoas de famílias tradicionais.

Ao fazer o seu primeiro discurso no senado, um político muito arrogante aproximou-se e disse em alta voz:

- Antes de o senhor começar, eu gostaria de lembrá-lo de que o senhor é filho de um sapateiro.

E todos riram imediatamente.

No fundo, todos queriam humilhá-lo , já que derrotá-lo não havia sido possível.

Mas um homem persistente como Lincoln que faliu aos 31 anos de idade, que foi derrotado numa eleição para o legislativo aos 32 anos, que faliu de novo em outro negócio aos 34 anos, que superou a morte de sua namorada aos 35 anos, que teve um colapso nervoso aos 36 anos, que perdeu nova eleição aos 37 anos, que perdeu nas eleições para o Congresso dos USA aos 43, 46 e 48 anos, que perdeu a disputa para o Senado americano aos 55 anos e que só conseguiu ganhar sua primeira eleição aos 60 anos e para Presidente dos Estados Unidos é difícil de ser derrubado.

Lincoln sorriu e com voz pausada e com a segurança de um vencedor, mas sem jamais esquecer sua origem, respondeu:

- Obrigado por lembrar-me de meu pai neste momento. Eu procurarei ser um presidente tão bom quanto o sapateiro que ele foi. Eu me lembro de que meu pai sempre fez os sapatos de sua família, se os seus sapatos apresentarem algum problema, você pode trazê-los e eu os consertarei. Desde cedo aprendi a consertar sapatos e agora que meu pai está morto posso cuidar dos seus. Aliás, se algum de vocês tiver um sapato feito pelo meu pai que esteja precisando de conserto pode trazer para mim. Mas de uma coisa estejam certos: eu não sou tão bom quanto ele.

E seus olhos encheram-se de lágrimas ao lembrar do pai.

De nada adiante você ser um profissional bom, competente, com iniciativa se não estiver bem.

Seja qual for as circunstância, sempre mantenha o orgulho de se si mesmo, de sua família e do seu trabalho.

As árvores mais altas têm as raízes mais profundas, assim como as dificuldades moldam os campeões.

Por isso, você deve ser grato não somente aos obstáculos, mas a todos os que pavimentaram o seu caminho.

Seja sempre você, aprenda com os outros tudo o que puder, mas nunca abandone a sua essência.

É ela que vai criar a sua marca registrada.

Procure enxergar além das aparências, afinal não nascemos para viver à mercê dos nossos instintos.

Ao contrário, somos dotados de espírito e de uma centelha divina que nos dignifica à medida que reconhecemos que a vida é, antes de tudo, para ser vivida com dignidade, seja qual for sua posição ou função profissional. 


Infelizmente, nós seres humanos, passamos a maior parte do nosso tempo esquecidos disso.

Muitos de nós achamo-nos donos da vida, da natureza e melhores do que nossos semelhantes.

Tanto que somos capazes de levar as pessoas a nos servir, a girar em torno do nosso próprio umbigo e de nossos interesses egoístas.

Se alguém não atende às nossas expectativas, apressadamente já emitimos um parecer maldoso sobre elas, como fez àquele político arrogante quando se dirigiu a Lincoln.

Lembre-se, somente quando formos padrão de nós mesmos, reencontraremos a alegria de ser o que somos, de ter o que temos, de viver como vivemos.

Logo, inspire-se em Lincoln e seja você mesmo, ou melhor, seja mais você.




As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(1)
Tags: a abandone aprenda com essencia mas nunca o os outros puder que seja sempre sua tudo voce