Mais comentada

Administrar o orçamento familiar - (visão bíblica)

Eduardo Marinho,
1º TIMÓTEO 6.10
“Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores”.


1 – O QUE É ADMINISTRAÇÃO?


1ª DEFINIÇÃO:
É o processo de planejar, organizar, liderar (dirigir) e controlar os esforços realizados pelos membros da organização e o uso de todos os outros recursos organizacionais para alcançar os objetivos estabelecidos. (STONER; FREEMAN, 1985, p.5).

2ª DEFINIÇÃO:
É a ciência de gerar um organismo retirando-o da inércia, levando-o a melhor funcionalização dos recursos que justificam sua criação, com o menor dispêndio (gasto) e sem lhe comprometer o futuro. É distribuir as responsabilidades e “não executar todas as tarefas”. É fazer com que todos participem do trabalho. Não se deve confundir isso com exploração dos outros. O bom administrador leva as pessoas a realizar suas tarefas cada vez melhor e a se realizarem no trabalho. (KESSLER; CÂMARA, 2006, p.30).


2 – PROCESSOS – (PLANEJAR, ORGANIZAR, LIDERAR (dirigir) E CONTROLAR)

PLANEJAMENTO:
É a função administrativa que determina antecipadamente o que se deve fazer e quais os objetivos que devem ser alcançados. Ele é uma reação à mentalidade simplista de solução de problemas à medida que surgem. É uma técnica para absorver a incerteza e permitir mais consistência no desempenho da empresa. (MARCONDES, 2007, p.31).
O Planejamento é a função administrativa que determina antecipadamente o que irá: FAZER?, COMO?, QUANDO?, ONDE?.

NÍVEIS DE PLANEJAMENTO
PLANEJAMENTO CONTEÚDO EXTENSÃO DO TEMPO AMPLITUDE
ESTRATÉGICO Genérico, Sintético e Abrangente Longo Prazo Macroorientado; aborda a empresa em sua totalidade
TÁTICO Menos Genérico e mais detalhado Médio Prazo Aborda cada unidade da empresa separadamente
OPERACIONAL Detalhado, específico e analítico Curto Prazo Aborda cada tarefa ou operação apenas

ORGANIZAÇÃO:
É a função administrativa que tem por objetivo identificar e agrupar as atividades da empresa, e de estabelecer as relações de trabalho entre as pessoas e órgãos que constituem a estrutura, de modo que os recursos disponíveis sejam aplicados de maneira mais eficiente, a fim de que a empresa e empregado realizem seus objetivos mútuos. (MAXIMIANO, 2000, p.27).

LIDERAR – (DIREÇÃO):
É a terceira função do processo administrativo. Tem a importante missão de fazer funcionar a empresa, orientando as atividades de modo que os objetivos sejam alcançados. Não se pode imaginar que uma empresa possa alcançar seus fins sem a direção. A eficiência de quem dirige depende muito da espécie e quantidade prévias de planejamento e organização. É o processo administrativo que conduz e coordena o pessoal na execução das tarefas antecipadamente planejadas. (JUCIUS; SCHELENDER, 1990, ps. 33 e 58).

CONTROLAR:
É a conclusão lógica do ciclo administrativo. Acompanha a execução do que foi planejado e organizado, verificando a manutenção dos padrões prefixados e procurando assinalar e remover qualquer obstáculo ou anomalia ao ideal funcionamento de todo o sistema. Assim, sendo o processo de controle atua no sentido de ajustar as operações a determinados padrões previamente estabelecidos e funciona de acordo com a informação que recebe. (LACOMBE; HEILBORN, 2006, p.51).


3 – TOMADA DE DECISÃO
É uma tentativa racional de alcançar objetivos ou resultados. Quase todo o processo refere-se aos objetivos formulados no planejamento e orienta-se por eles. O processo começa e termina com julgamentos. (MARCONDES, 2007, p.20).
Uma decisão é uma escolha para enfrentar um problema. A decisão conduz a outra situação, que pode exigir novas decisões. (FIGURA – PROCESSO DE RESOLVER PROBLEMAS - <MAXIMIANO, 2004, p.111>).


$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$%$

4 – VOCÊ ADMINISTRA BEM O SEU DINHEIRO?

1º TIMÓTEO 6.7-8
v.7 – “Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele”.
v.8 – “Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes”.
 

O dinheiro nos atrai e nos seduz. Dedicamos nossas vidas a ganhá-lo, ficamos sem dormir à noite calculando como acumular mais dele e estamos sempre correndo atrás de mais dinheiro. E por que estamos sempre querendo mais dinheiro? Porque estamos muito interessados naquilo que ele pode comprar, e assim deixamos que os desejos consumistas assumam o controle das nossas decisões. Compramos, gastamos, fazemos dívidas e, quando menos esperamos, estamos enfrentando problemas financeiros.
Uma parte significativa da população está nessa situação. E não são pessoas de uma classe social apenas; além de trabalhadores de baixa renda, profissionais liberais (médicos, advogados, engenheiros, dentistas, etc) e até empresários administram mal as finanças, gastam mais do que ganham e conseguem pagar todas as contas. Ou seja, a má administração financeira não depende, necessariamente do nível de renda das pessoas.


5 – COMO GASTAR MENOS DO QUE GANHO
Pergunta:
VOCÊ GOSTARIA DE SEMPRE TER DINHEIRO?
Resposta:
Se a resposta for afirmativa, para que isso aconteça é necessário apenas pôr em prática o mais básico princípio de administração (Planejar, Organizar, Liderar <dirigir> e Controlar).

Vejamos algumas orientações simples e fáceis de serem aplicadas no nosso dia a dia.
a) Utilize um orçamento. (vamos aprender a fazer um mais adiante).
b) Freie (neutralize) o seu “impulso consumista”. Mesmo que haja dinheiro disponível,não significa que ele precisa ser gasto.
c) Evite ao máximo comprar a prazo,pois isso significa que está sendo gasto dinheiro que ainda não foi recebido, comprometendo a renda futura.
d) Jamais compre algo por “status”. Essa é uma das principais causas pelas quais as pessoas envolvem-se em dívidas.
e) Antes de comprar algo, faça a si mesmo perguntas como estas:
e.1 – é desejo ou necessidade?
e.2 – é útil ou supérfluo?
e.3 – quanto tempo preciso trabalhar para ganhar tal quantia?
e.4 – etc.


6 – CUIDADO PARA NÃO ADQUIRIR O HÁBITO DA DÍVIDA
Pois certamente criará um CICLO VICIOSO e vai ser difícil de sair.


7 – PROCURE EXERCITAR O HÁBITO DE POUPANÇA
Em outras palavras: Primeiro economizar, depois comprar.
Vejamos o que a Bíblia diz em relação a ECONOMIZAR
PROVÉRBIOS 21.5 e 20
v.5 – “Os planos do diligente tendem à abundância, mas a pressa excessiva, à pobreza”.
v. 20 – “Tesouro desejável e azeite há na casa do sábio, mas o homem insensato o desperdiça”.
Apenas por curiosidade, mas se desejarem a fazer é uma boa; “os especialistas financeiros aconselham as pessoas a manter, no mínimo, uma poupança equivalente de 3 (três) a 6 (seis) vezes o total dos gastos mensais. Essa é uma atitude sábia de proteção para evitar problemas financeiros. A maioria das pessoas, no entanto, não consegue ou não quer pôr esse conselho em prática e “prefere” permanecer endividados”.
Portanto para não ocorrer este endividamento, iremos aprender a fazer um Orçamento Familiar.


8 – INICIAR UM ORÇAMENTO FAMILIAR
DATA DESCRIÇÃO (CONTAS) CRÉDITO (POSITIVO) DÉBITO (NEGATIVO) SALDO
01/12/2009 Salário R$ 1.000,00 R$ 1.000,00
05/12/2009 Mercado R$ 400,00 R$ 600,00
10/12/2009 Açougue R$ 200,00 R$ 400,00

 

LUCAS 12.15
“CUIDADO! FIQUEM DE SOBREAVISO CONTRA TODO TIPO DE GANÂNCIA; A VIDA DE UM HOMEM NÃO CONSISTE NA QUANTIDADE DOS SEUS BENS”


9 – CARTÕES DE CRÉDITO E DÉBITO E CHEQUE
Como funcionam:
a) CARTÃO DE CRÉDITO – vencimento fatura, saldo (limite)
b) CARTÃO DE DÉBITO – descontado na hora da conta
c) CHEQUE




 

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Shopping