Alta do dólar e o impacto para os exportadores e importadores brasileiros

A forte oscilação do dólar americano afeta diretamente as importações e exportações brasileiras. Agora estamos vivendo um momento de alta no valor da moeda americana, mas o que significa para os exportadores e importadores?

Uma das vantagens da globalização é a possibilidade de comprar e vender produtos oriundos de diversas partes do mundo. Da mesma forma que o consumidor brasileiro pode optar por um produto produzido e vendido no mercado interno, os empresários brasileiros também podem disponibilizar para o mercado interno e para o externo aquilo que produzem.

Existem inúmeras vantagens em se trabalhar em uma economia aberta que permite o livre fluxo da importação e exportação. Especialmente, defende-se que é melhor vender aquilo que você consegue produzir com melhor qualidade e menor custo, para ser mais competitivo e por consequência comprar aquilo que não é tão eficiente ou até mesmo não existente no seu mercado.

Mas, para que ocorra estas operações de compras e vendas internacionais é preciso pensar no fator câmbio, no caso do Brasil, por exemplo, o que mais se vê é o dólar americano sendo utilizado como moeda nestas operações. Isso significa dizer que a cada oscilação da moeda americana os importadores e exportadores são diretamente afetados.

Para quem compra, ou seja, os importadores, quanto maior estiver o valor do dólar, mais cara se tornará o processo de importação. Ou seja, este valor será repassado ao consumidor final que pagará mais pelo mesmo produto. Por outro lado, para quem vende, quanto maior for o valor do dólar mais esta empresa receberá pelo produto vendido. Neste cenário existem duas opções, ou a empresa brasileira reduz o valor do seu produto tornando-se mais competitiva internacionalmente ou ela mantem o seu preço e terá uma margem de lucro muito maior.

Dentro deste contexto do aumento do dólar é preciso considerar outros fatores, tais como o custo do frete, seguro internacional, impostos, taxas e tarifas que também são cobradas em dólar tanto para quem importa, quanto para quem vende. Então isto significa dizer que um aumento do dólar não é a melhor solução para o mercado. Além disso, toda a cadeia de insumos é afetada e por mais que os exportadores sejam beneficiados com um aumento do valor da moeda americana, ela também sofre consequências em outras áreas deste aumento, que poderá reduzir o seu aparente ganho.

O melhor cenário não é o dólar ser baixo para beneficiar os importadores e nem alto demais para facilitar apenas as exportações. Para a economia girar de forma sadia o melhor é que haja um equilíbrio para que tanto os exportadores quanto os importadores possam se beneficiar, porque quando apenas um dos dois tem benefícios, certamente do outro lado da balança haverá um desequilíbrio que afetará o outro. Pois, o mercado precisa tanto dos compradores quanto dos vendedores para o sucesso do negócio.

Por Flávia Chinelato

Doutora em Administração | Mestre em Administração | Administradora com Habilitação em Comércio Exterior
Consultora do Grupo Atus | Coordenadora do Capacita Vetor Norte
Professora de Pós-Graduação
www.grupoatus.com.br | www.capacitavetornorte.com.br
contato@grupoatus.com.br

 

 

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(1)
Tags: Câmbio Comércio Exterior Dólar Exportação Importação