Análise das demonstrações financeiras

Para se interpretar os quocientes, não se deve fazer apenas de uma forma isolada, esta deve ser feita em conjunto com outras variáveis, tendo em vista que cada organização possui características próprias, mesmo que os problemas sejam aparentemente os mesmos

Ricardo Machado,
São técnicas utilizadas pelos analistas para obtenção de conclusões a cerca da situação econômica e financeira relacionadas com o patrimônio, de acordo com os interesses dos usuários, por meio de interpretações de dados coletados das demonstrações financeiras; a análise de balanços tem por finalidade informar a situação financeira de uma organização para que as pessoas possam decidir, ou seja, um estudo comparativo entre grupos de elementos destas demonstrações por meio de índices, objetivando o conhecimento da relação entre cada grupa com balanço patrimonial.

Para se interpretar os quocientes, não se deve fazer apenas de uma forma isolada, esta deve ser feita em conjunto com outras variáveis, tendo em vista que cada organização possui características próprias, mesmo que os problemas sejam aparentemente os mesmos. 

A análise deve ser feita de maneira equilibrada e ponderada, a observância da seqüência lógica é importante na interpretação, pois o conhecimento do cociente completará a interpretação do anterior, dando assim, de maneira mais racional, margem a conhecer com mais facilidade a capacidade econômica e financeira da organização. Existem casos em que a situação econômico-financeira de determinada empresa, num momento não é boa, mesmo alcançando os parâmetros, ou é considerada ótima, mesmo abaixo dos padrões. Vários fatores influenciam na análise e interpretação desta situação, motivo pelo qual o critério deve ser cuidadosamente decidido, aplicando-se os conhecimentos sobre estatística através de resultados obtidos por média aritmética, moda, mediana. 

As Demonstrações das Origens e Aplicações de Recursos (DOAR) relatório que evidencia num determinado período às modificações que deram origem as variações do Capital Circulante Líquido (CCL) da entidade, explicitando desta forma as modificações no início e final do exercício, ou seja, as origens, aplicações, excesso ou insuficiência dos recursos e origens, e os saldos no início e fim do exercício tanto no ativo quanto no passivo; podem e devem ser considerados, pois fornecem várias informações sobre aplicação em origem Capital do Giro Líquido (CGL).

Outro indicador importante a ser considerado é a condição da empresa em gerar recursos para honrar seus compromissos, uma vez que tendo conhecimento do montante (caixa, banco, aplicações de liquidez imediata), vários quocientes podem ser analisados utilizando o Passivo Exigível a Longo Prazo (PELP) comparado ao fluxo de receitas e despesas (DR). Chegando assim a conclusões qualitativas e quantitativas com intuito de maximizar a estrutura financeira do capital a médio ou longo prazo. 

Os quocientes de estrutura de capitais, de liquidez e rentabilidade devidamente estudados dão condições para se obter um bom diagnóstico sobre a situação econômica e financeira de uma organização; do relacionamento entre diversos grupos de contas das demonstrações financeiras podem ser extraídos um grande número de quocientes, apresentando cada um a sua importância de acordo com o aspecto das análises e com objetivo que se tem em mente.

De posse dessa gama de quocientes, o analista irá elaborar um exame minucioso de cada conta que compões tais demonstrações, coletando dados e escolhendo os indicadores apropriados para obtenção dos resultados considerando as etapas abaixo:

1. Exame e padronização das demonstrações financeiras (BP, DRE, LLA, DOAR...); 
2. Coleta de dados (AC, AP, PL, Vendas Liq...); 
3. Cálculo dos indicadores (quocientes, coeficientes, índices...); 
4. Interpretação de quocientes (isolada e conjunta);
5. Análise vertical e horizontal (interpretação isolada e conjunta de índices e coeficientes); 
6. Comparação com padrões (cálculos e comparações com quocientes-padrão); 
7. Relatórios (apresentação das conclusões em forma de relatórios inteligíveis por leigos). 

Desta forma o relatório de análise deve apresentar informações sobre a situação econômico-financeira da organização e sobre o seu desempenho ao longo dos períodos analisados, bem como as tendências para o futuro. Devem ser esclarecidas, ainda, as causas que proporcionaram o grau de endividamento, liquidez e rentabilidade encontrados, quer sejam positivos ou negativos; assim sendo, a tarefa do administrador se inicia onde termina a do contador.
 
Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: decisorio liquidez processo rentabilidade