Mais comentada

Desafios da Gestão em Tempos de Mudanças de Comportamento da Sociedade

Este texto propõe aos gestores uma reflexão sobre suas responsabilidades frente às mudanças da sociedade e os desafios a serem enfrentados no papel de agentes de transformação.

Reflita a respeito: A sociedade passa por constantes transformações, tanto em seu comportamento como na forma que a vemos. Os recentes resultados deste primeiro turno das eleições de 2018 evidenciam que a maneira como a população vê e percebe a situação política, social e moral do país mudou, ainda que influenciada por fatores exaustivamente noticiados. Mas é fato: mudou o comportamento, o status quo, o padrão. Velhas figuras conhecidas, acostumadas com determinadas regras do tabuleiro arcaico do desconhecimento foram empurradas para fora do jogo. Novas peças surgem e os modelos anteriores já não fazem mais sentido.

Fazendo um paralelo com nossa atuação como gestores, quais as lições que podemos tirar com essa evidente mudança? Se levarmos em consideração nosso papel como molas propulsoras dos negócios, projetos e empresas, responsáveis pelo desenvolvimento de ideias, riquezas e da produção, neste novo ambiente que vivemos somos também cobrados por disseminar, de maneira atual e contemporânea, um novo pensar. O pensar moral e ético das nossas ações e dos reflexos das decisões. A mudança de comportamento pesa sobre nossos ombros e há custos sociais, porém, os resultados a longo prazo são muito satisfatórios.

Elogiamos o aspecto geral de limpeza urbana nos países desenvolvidos e reclamamos da sujeira em nossas ruas, mas continuamos jogando a bituca do cigarro pela janela do carro.

Ficamos atordoados com os resultados de excelência na educação superior de universidades estrangeiras e nos sentimos desolados com os baixos resultados da nossa educação, mas na primeira oportunidade copiamos e colamos textos da internet como se fossem nossa produção.

Invejamos a segurança pública de outras culturas e sofremos com a violência percebida e sofrida por todo o país, mas no momento que a força policial exerce seu poder delegado pelo Estado em um flagrante delito, ao invés de defender o poder público, sacamos nossos celulares e coagimos a força policial filmando e postando nas redes sociais com a legenda de “abuso de autoridade”.

Desejamos a flexibilidade das jornadas de trabalho tais quais as multinacionais tanto promovem, mas insistimos em comprar e forjar atestados médicos para compensar faltas e emendas.

Queremos direitos e não estamos dispostos a cumprir com as responsabilidades.
Procuramos desesperadamente cliques de “curtir” nas redes sociais em nossas fotos, muitas delas não representando a realidade do momento da imagem, mas apenas uma casca frágil de uma tentativa de aparecer o que de fato não é. Deturpamos a realidade na esperança de tentar mudar nossa própria história, na tentativa de repetir um ato falacioso tantas vezes até que se torne verdade, ao menos em nossa percepção.

Reflita a respeito: nosso papel como gestor deve ser um exemplo (um bom exemplo), refletir as reais mudanças nas expectativas de comportamento e atender à nova proposição de valor esperada pela sociedade. Traduzindo: as práticas de gestão precisam ser de excelência, com gestores atuando como agentes de transformação, pautados nos princípios da ética e respeitando as novas expectativas da sociedade. Lembrem-se da cobrança praticamente imediata que as organizações sofrem com comportamentos não mais aceitos, dada à violenta reação das redes sociais disseminada pelos diferentes grupos dos consumidores.

Não há mais espaço para práticas empresariais desonestas, enganadoras, parciais e nebulosas! Consumidores estão não apenas cientes das regras do jogo e das questões jurídicas como também influenciam, através de suas interações com as organizações, a própria imagem e contextualização dos negócios. Veja: as empresas não funcionam mais como sistemas fechados e independentes: são organismos vivos que influenciam e são influenciados pelo ambiente.

Não há mais espaço para erros de gestão, já que a competitividade é multiplicada pelos inúmeros concorrentes atuantes em distintos mercados, sendo muitos desconhecidos pelas nossas empresas e, ainda assim, podem tomar nossos clientes. Alias, não existem mais “nossos clientes” no aspecto raso dessa afirmação: clientes são livres e decidem suas direções de consumo.

Não há mais espaço para comportamentos empresariais distantes das expectativas do mercado. A sociedade espera, além do atendimento aos seus desejos e necessidades, o real VALOR DA CONTRIBUIÇÃO da organização para a sociedade, valor esse muito além da simples oferta de produtos e serviços.

Lembre-se: a régua da exigência da sociedade aumentou e as expectativas de valor superam os ultrapassados modelos aos quais o simples resultado financeiro era o suficiente. FAÇA VALER A PENA! Reflita a respeito: Qual o SEU PAPEL nesse processo de transformação?

Adm. Lawton Nanni Benatti

#mudancadecomportamento #administracao

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: administracao Desafios da Gestão Exigências da Sociedade Mudança de Comportamento Padrões de Consumo