Kaizen

"Hoje melhor do que ontem, amanhã melhor do que hoje”.

Significado!

É uma palavra de origem japonesa composta por dois diagramas: Kai e Zen; o primeiro, significa mudança; e o segundo, bondade ou virtude. Assim, Kaizen significa “mudança para melhor".

Origem!

O Kaizen tem origem após o fim da Segunda Guerra Mundial, no Japão, quando a situação econômica do país e as condições de trabalho estavam terríveis.

Essa metodologia de melhoria contínua surgiu, segundo Cristiano Bertulicci, após o governo japonês realizar "estudos conjuntos na área da administração e gestão, com foco total na qualidade e visando reestruturar a economia e os processos industriais, para que as empresas japonesas pudessem voltar a ser competitivas no cenário internacional".

Ele combinou as teorias administrativas de Fayol, as ideias de melhoria em processos de William Edwards Deming e a filosofia Kaizen já presente na cultura local.

O responsável por trazer esse sistema para o ocidente, foi o japonês Massaki Imai.

Quem é Masaaki Imai?

Ele, que nasceu em Tóquio, em 1930, é um professor, autor, orador, consultor e fundou na Suíça, em 1985, o Kaizen Institute, que hoje é "o líder mundial de Consultoria em Excelência Operacional, com mais de 400 profissionais localizados em escritórios distribuídos por mais de 30 países e a servir clientes em mais de 25 idiomas".

Masaaki, que escreveu alguns livro sobre o assunto, sendo o principal deles: "Kaizen – The secret to Japans competitive success”; é considerado o pai do modelo Kaizen. Como diz no site do instituto, "ao longo das últimas três décadas, o Sr. Imai escreveu livros e artigos, realizou palestras sobre Kaizen, qualidade, liderança, Lean e outros assuntos relacionados com gestão, consultou empresas globais e introduziu o Kaizen como uma abordagem de melhoria contínua em todos os continentes".

Para que serve em uma organização?

Para reduzir os custos e aumentar a produtividade. Como a Endeavor coloca, segundo os ensinamentos de Masaaki, "isso ocorre a partir do pressuposto que as pessoas podem melhorar continuamente no desenvolvimento de suas atividades.

Ele professa que o trabalho coletivo deve prevalecer sobre o individual; que o ser humano é visto como um dos bens mais valiosos de uma organização, e que deve ser incentivado a direcionar seu trabalho para as metas compartilhadas da empresa, sem que deixe de atender às suas necessidades pessoais. No Kaizen, satisfação e responsabilidade são valores coletivos".

Como disse Masaaki Imai em uma entrevista para a revista 'Banas Qualidade', "o Kaizen é uma forma de pensar onde não se está satisfeito com o status quo, ou seja, onde sempre se acredita que deve haver uma forma melhor de se fazer".

Para Masaaki Imai, existem alguns “mandamentos” para a aplicação da filosofia em uma empresa:

Segundo a matéria de Hayrton Rodrigues, na qual trás a entrevista com Masaaki, para o japonês, "existem alguns mandamentos que devem ser seguidos: o desperdício deve ser eliminado; pois melhorias graduais devem ser feitas continuamente; todos os colaboradores devem estar envolvidos, sejam gestores do topo e intermediários, ou pessoal de base, já que o Kaizen não é elitista; ele é baseado em uma estratégia barata, acreditando que um aumento de produtividade pode ser obtido sem investimentos significativos, não se aplicando somas astronômicas em tecnologia e consultores; pode ser aplicado em qualquer lugar e não somente dentro da cultura japonesa; apoia-se em uma gestão visual, total transparência de procedimentos, processos e valores, tornando os problemas e os desperdícios visíveis aos olhos de todos; deve ser focalizada a atenção no local onde se cria realmente valor, ou seja, o chão de fábrica; orientado para os processos; dá prioridade às pessoas, acredita que o esforço principal de melhoria deve vir de uma nova mentalidade e estilo de trabalho das pessoas, como a orientação pessoal para a qualidade, trabalho em equipe, cultivo da sabedoria, elevação do moral, autodisciplina, círculos de qualidade e prática de sugestões individuais ou de grupo etc".

Tipo de Kaizen!

Segundo alguns consultores, existem três tipos de Kaizen:

Kaizen para administração – trata das questões mais importantes, garantindo o progresso na implantação e na moral do grupo. Segundo Imai, um gerente deve dedicar pelo menos 50% do seu tempo a este aprimoramento.

Um gerente deve fazer com que estas práticas sejam seguidas por todas as pessoas da organização. Se os indivíduos o acompanham, mas não o realizam, o gerente deve implementar a disciplina. Porém, se eles não conseguem seguir o que foi determinado como padrão, a empresa deve disponibilizar treinamentos, ou então, modificar o padrão, para se torne mais acessível aos demais.

Kaizen para o grupo – como destaca a 'Endeavor', "no ambiente de uma empresa, o processo de melhoria contínua está intimamente associado ao espírito de equipe. Isso implica o envolvimento de todas as pessoas da sua organização no aperfeiçoamento dos processos.

Os grupos de Kaizen devem ser formados por pessoas de todas as áreas da sua empresa. E o objetivo aqui é aprender a utilizar as técnicas nas soluções dos problemas. Cada grupo deve ter um líder, que assumirá o papel de informar aos participantes sobre o andamento dos processos, além de transformar informações em ação".

Nos grupos de Kaizen, primeiramente é realizado um estudo para identificar quais são todos os problemas que precisam ser resolvidos; depois é definido se as resoluções são fáceis ou se será necessário utilizar o ciclo PDCA, "que tem por princípio tornar mais claros e ágeis os processos na execução de uma gestão". Entretanto, outras ferramentas também podem ser utilizadas, como o diagrama Ishikawa e o 5W2H.

Kaizen para pessoas – É realizado através de sugestões. Como destaca a 'Endeavor' "a ideia é estimular as pessoas a demonstrarem mais empenho em realizar as suas tarefas. Esse sistema deve ser bem dinâmico e funcional, servindo de avaliação de desempenho para funcionários de todas as esferas, sem exceção".

Conclusão:

Como escreveu Wallace Oliveira, em um artigo sobre o tema, para o site 'Venki', "o sistema Kaizen de melhoria contínua foi estruturado para estar constantemente buscando e eliminando qualquer tipo de desperdício nas empresas, dos processos produtivos e administrativos à manutenção de máquinas e equipamentos".

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: administração aperfeiçoamento carreira empresas grupo Kaizen Masaaki Imai Melhoria contínua molhoria organizações pessoas