Mais comentada

Lixo problema ambiental na cidade de salitre-ceará

O lixo acumulado em casa ou nas calçadas, ruas ou logradouros públicos é um problema de todos nós, não só do administrador. Com isso, é referência este artigo no que diz respeito à conscientização da comunidade estudantil como meio de equacionar a problemática do lixo.

Cicero pereira,

 

Lixo uma problemática ambiental na cidade de salitre-ce:

Um estudo de caso da rede educacional.


Resumo

O lixo acumulado em casa ou nas calçadas, ruas ou logradouros públicos é um problema de todos nós, não só do administrador. Com isso, é referência este artigo no que diz respeito à conscientização da comunidade estudantil como meio de equacionar a problemática do lixo. Como na rede de ensino existem disciplinas que enfatizam e abordam assuntos pertinentes a questão ambiental como preservação do meio ambiente, poluição, degradação ambiental entre outros, é salutar tratar-se da problemática do lixo urbano. Atualmente, as questões ambientais estão sendo discutidas em virtude da necessidade de mudanças em relação à degradação ambiental. A educação, nesse sentido, deve ser ressaltada como elemento para a transformação das sociedades, viabilizando o desenvolvimento de uma nova ética distinta, daquela norteadora de uma sociedade de consumo. A educação ambiental deve ser trabalhada de forma integrada, contínua e permanente em todos os níveis e modalidade de ensino, como previsto nos Parâmetros Curriculares Nacionais os quais servem como subsídios para a prática pedagógica. Sabendo que o lixo é um dos maiores problemas que afeta diretamente todas as questões sociais e ambientais, foi desenvolvido um projeto, na E.E.F.M. José Waldemar de Alcântara e Silva, Salitre - CE, com o intuito de conscientizar a classe estudantil da responsabilidade de procurar meios pelos quais venha minimizar a problemática.

Palavras Chaves: Lixo; Educação Ambiental; Coleta Seletiva; Conservação Ambiental.

Abstract

The garbage acumulated in house of the sidewalk, streets or public areas is a problem of all we, not only of the administrator. With this, this article is reference in what it says respect to the awareness of the estudantil community as half to equate the problematic one of the garbage. As in the education net they exist Vou discipline that they emphasize and they approach subjects pertinent the ambient question as preservation of the environment, pollution, ambient degradation among others, is to salutar to be about the problematic one of the urban garbage. Currently, the ambient questions are being argued in virtue of the necessity of changes in relation to the ambient degradation. The education, in this direction, must be salient as element for the transformation of the societies, making possible the development of new distinct ethics, of that norteadora of a consumption society. The ambient education must be worked of integrated , continuous and permanent form in ali the levels and modalities of education, as foreseen in the National Curricular Parameters which serve as subsidies for practical the pedagogical one. Knowing that the garbage is one of the biggest problems that affect ali directly the social matters and ambient, a project was developed, in the E.E.F.M.José Waldemar de Alcântara and Silva, Salitre-Ce, with intention to acquire knowledge the estudantil c1assroom of the responsibility to look ways for which it comes to minimize the problematic one.

Key words: Garbage; Ambient education; Selective collection; Ambient conservation.

 

1. Introdução

A problemática da produção e destino do lixo nas grandes cidades é também vivenciada nas cidades interioranas, como é o caso de estudo deste artigo sobre a cidade de Salitre, no interior do Ceará.

A produção do lixo é inerente à condição humana e inexorável. Mas a lata de lixo não é um desintegrador mágico de matéria. O lixo continua existindo depois que o jogamos na lixeira. Não há como não produzir lixo, mas pode-se diminuir essa produção. Uma das maneiras simples é reduzir o desperdício e separar os materiais recicláveis para a coleta seletiva do município.

De acordo com Lemos et al., (1999):

Dentre os diversos problemas ambientais a níveis mundiais, a questão do lixo é uma problemática das mais preocupantes e diz respeito a cada um de nós. A produção e destinação do lixo no processo de educar ainda é um desafio, cuja solução passa pela compreensão do individuo como parte atuante no meio em que vive.

Neste sentido, o primeiro passo quando se pensa na problemática do lixo, o mais difícil de equacionar é seu destino, o que demanda uma maior pesquisa. A escola tem um papel fundamental quanto ao trabalho de conscientização e proposta para tentar resolver esse problema junto a comunidade escolar e no bairro onde ela está inserida, bem como a administração pública, ajudando na elaboração de projetos de educação ambiental.

É preciso entender é que, mesmo quando o lixo é recolhido pelos garis, ele não desaparece, apenas é levado para outro lugar, necessitando, portanto, de muito cuidado para que não cause os problemas que estava causando na porta de nossas casas ou em outro lugar. Afinal, a cidade também é nossa casa, assim como o país, o continente e ... o Planeta.

A gravidade dos problemas ambientais pressupõe que as medidas para diminuir os impactos negativos no ambiente e na sociedade devam ser tão rápidas quanto foi o avanço de nossa ação predatória. A sociedade de consumo em que vivemos tem como hábito extrair da natureza a matéria prima e depois de utilizada, descartá-la em lixões, caracterizando uma relação depredatória do seu habitat. Assim, grandes quantidades de produtos recicláveis, que poderiam ser reaproveitados, são inutilizados na sua forma de destino final. Isso implica em uma grande perda ambiental, devido ao potencial altamente poluidor e do mau gerenciamento dos resíduos gerados, comprometendo a qualidade dos ar, solo e, principalmente, das águas superficiais e subterrâneas (AZEVEDO, 1996).

 

Enquanto a natureza se mostra eficiente em reaproveitamento e reciclagem, os homens o são em produção de lixo.

Notadamente, observa-se que não existem respostas universais para resolver o problema do lixo. Não existe um sistema de coleta seletiva que possa ser considerada universal e aplicável a toda situação. Cada caso é um caso, cada cidade tem a sua peculiaridade e as questões condicionantes devem ser minuciosamente estudadas antes de se escolher este ou aquele desenho de logística e coleta seletiva.

A proposta da coleta seletiva do lixo escolar é uma ação educativa que visa investir numa mudança de mentalidade como um elo para trabalhar a transformação da consciência ambiental.

A problemática do lixo vem sendo agravada, entre outros fatores, pelo acentuado crescimento demográfico, especialmente nos centros urbanos, resultante do êxodo rural e de falta de um planejamento familiar.

A produção de objetos de consumo em larga escala e a introdução de novas embalagens no mercado vem aumentando assustadoramente desde a Revolução Industrial. Conseqüentemente, o volume e a diversidade de resíduos gerados sofreram considerável acréscimo, surgindo assim, a era dos descartáveis.

Diante do exposto, Oliveira (1973), reforça que:

O conhecimento do problema passou a incluir no seu universo de análise preocupações, por exemplo, com a velocidade do processo de produção de resíduos sólidos nas cidades e com os fatores que influenciam esse processo, que é superior a velocidade natural dos processos de degradação. A questão dos resíduos sólidos no meio urbano, representa impactos ambientais relevantes que afetam e degradam a qualidade de vida urbana.

Assim, com a urbanização e evolução da civilização humana, a percepção do ambiente mudou drasticamente. A natureza começou a ocupar uma posição de subserviência em relação à humanidade. Passando a ser conhecida para que fosse dominada e explorada.

 

No entanto, procura-se desenvolver atitudes e ações de conservação e preservação do ambiente natural, na comunidade, demonstrando que a utilização de práticas de proteção ao meio ambiente resulta do proveito próprio e comunitário, ajudando a desenvolver uma postura social e política preocupada e comprometida com a questão da vida na terra. Assim, fica mais fácil reconhecer os prejuízos e benefícios que causa o lixo acumulado na saúde pública e a importância da redução, da reutilização e da reciclagem do lixo para a natureza (CORREIA, 2001).

O trabalho educacional é, sem dúvida, um dos mais urgentes e necessários meios para reverter essa situação, pois atualmente, grande parte dos desequilíbrios está relacionada a condutas humanas geradas pelos apelos consumistas que causam desperdícios, bem como pelo uso inadequado dos bens da natureza. Assim, evidencia-se que é através das instituições de ensino, que poderemos mudar hábitos e atitudes do ser humano, formando sujeitos ecológicos.

Diante disso, além da formulação de propostas teóricas, da aprovação de leis e da introdução de novas diretrizes curriculares e orientação didática nos sistemas educacionais, da produção e distribuição de material pedagógico, é necessário que haja um acompanhamento e maior apoio ao que acontece dentro e fora das escolas.

Logo, vale ressaltar que no espaço de sala de aula, local onde a educação realmente acontece, quer sejam grandes ou pequenas, as ações desenvolvidas, são extremamente necessárias. É a partir delas que podemos mudar condutas e pessoas, que serão capazes de relacionar-se de forma mais consciente e racional com o mundo e com os outros.

A educação ambiental é de fundamental importância nas instituições educacionais, uma vez que os alunos podem tirar nota dez nas avaliações, mas, ainda assim jogar lixo na rua, realizar ações danosas sem perceberem a extensão dessa ação ou por não se sentirem responsáveis pelo mundo em que vivem. No entanto, a atenção dada à questão ambiental, como tema transversal no currículo do ensino fundamental é ainda incipiente (DOS ANJOS, 1996).

 

A falta de uma formação adequada do educador, em relação ao meio ambiente, dificulta o tratamento de conteúdos curriculares sob a abordagem ambiental, prejudicando muitas vezes, a reflexão e as ações dos alunos.

Considerando que a educação, muitas vezes, é incapaz de responder a todos os desejos e necessidades dos diferentes integrantes da sociedade, especialmente, porque estimula a competitividade irracional, parece pertinente a proposta de LOUREIRO (1999) que concebe a Educação ambiental como "(...) um processo educativo de construção da cidadania plena e planetária, que visa a qualidade de vida dos envolvidos e a consolidação de uma ética ecológica".

A Pedagogia Histórico-critica entende o homem como síntese de múltiplas determinações e a educação como instrumento de transformação social, propondo instrumentalizar os sujeitos sociais para uma prática social transformadora (SAVIANI, 1995). Nessa perspectiva, o ensino e as práticas pedagógicas devem proporcionar o acesso aos conhecimentos acumulados historicamente e forma o aluno cidadão critico e consciente.

Por ser a Educação Ambiental uma atividade formal e informal é que a escola precisa se preocupar em promover simultaneamente, o desenvolvimento de conhecimentos, atitudes e de habilidades necessárias à preservação e a melhoria da qualidade de vida. O reflexo desse trabalho educacional transcende os muros escolares, atingindo regiões circunvizinhanças e, sucessivamente, a cidade, a região, o país e o planeta.

A educação mediadora na atividade humana, articula teoria e prática, para que o sujeito envolvido no processo educacional se aproprie dos conhecimentos fornecidos e seja capaz de agir de forma responsável diante do ambiente em que vive. Pode-se, portanto, dizer que a gênese do processo educativo ambiental é o motivo de fazer-se plenamente humana pela apropriação/transmissão critica e transformadora da totalidade histórica e concreta da vida dos homens no ambiente. Para alcançar uma análise globalizante sobre os problemas localizados na interface pela inter-relação homem-natureza conta-se com a interdisciplinaridade (ZANONI & RAYNAUT, 1994).

Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais (BRASIL, 1998), para administrar a problemática do lixo é necessário uma combinação de métodos, que vão da redução, dos rejeitos, durante a produção até as soluções técnicas de destinação, com a reciclagem, a compostagem, o uso de depósitos e os incineradores.

 

A coleta seletiva é uma metodologia que objetiva minimizar o desperdício de matéria prima e a reciclagem a forma mais racional de gerir os resíduos sólidos urbanos, foi implantado esse projeto na instituição escolar, com a finalidade de verificar as possíveis mudanças conceituais, procedimentais e atitudinais. Segundo CALDERONI (1996), a reciclagem, na sua essência, é uma maneira de educar e fortalecer nas pessoas o vínculo afetivo com o meio ambiente, despertando o sentimento de cada um para modificar o meio em que vivem.

Por ser o lixo um dos maiores problemas que afetam o meio ambiente foi desenvolvido um projeto na E.E.F.M. José Waldemar de Alcântara e Silva, no município de Salitre - CE, através de atividades de educação ambiental para os alunos desta instituição, assim como, atividades voltadas aos moradores do bairro onde a escola está inserida.

Dessa forma, buscou-se melhorar o manejo dos resíduos escolares e domiciliares, esclarecer os educandos e moradores, sobre os problemas gerados pelo lixo que não recebe tratamento e acondicionamento correto, as possíveis conseqüências ao meio ambiente e a saúde pública e, principalmente, provocar mudanças adequadas para a melhoria da qualidade de vida da população, assim como, diminuir os impactos ambientais negativos decorrentes da geração de lixo.

 

2. Objetivos

2.1. Geral

Mostrar à comunidade estudantil a importância de uma Política de Educação Ambiental na E.E.F.M José Waldemar de Alcântara e Silva, no município de Salitre CE.

2.2 Específicos

ü Engajar a comunidade estudantil na Política de Educação Ambiental, visando a melhoria da aparência da escola e da cidade, a fim de torná-las mais atrativa e agradável;

ü Buscar parcerias para solucionar a problemática do lixo da escola e da cidade em questão.

3. Metodologia

O trabalho foi desenvolvido na E.E.F.M. José Waldemar de Alcântara e Silva, localizada na cidade de Salitre - CE.

Para inicio do trabalho, realizou-se um levantamento sobre as questões ambientais e os impactos gerados pelo lixo, junto com os alunos da unidade escolar e em algumas famílias residentes no bairro onde a escola está inserida.

Foram realizadas algumas palestras que tiveram como objetivo enfocar o lixo como poluição, e os possíveis riscos acarretados a saúde publica, sempre relacionado a importância da Educação Ambiental e do acondicionamento para a solução de tal problema.

Estas palestras foram efetuadas utilizando vídeos educativos, cartazes elaborados pelos alunos e folhetos informativos, objetivando o esclarecimento de alguns conceitos considerados insuficientes, através de entrevistas realizadas, tais como: lixo domiciliar e escolar, tempo de decomposição, destino do lixo, poluição gerada pelo lixo, coleta seletiva, assim como, os problemas acarretados pelo lixo para o homem e para o meio ambiente.

 

Posteriormente, foi realizada uma passeata nas principais ruas da cidade, em prol do meio ambiente, buscando através de cartazes elaborados pelos alunos e faixas educativas, conscientizar e sensibilizar a população-alvo.

Esse não deve ser um trabalho que finda apenas com relatórios, deve ser o começo de ações continuas para que ações sociais sejam implantadas de imediato no município, começando pela rede educacional.

4. Resultados e discussões

A comunidade estudantil pode percebe e observar a importância da Educação Ambiental para proporcionar uma vida mais saudável e harmoniosa com o meio ambiente, o que permite que o homem e a natureza possam existir sem a degradação ambiental e sem a poluição da cidade com o acúmulo do lixo nas ruas e logradouros.

É de suma importância salientar que a participação das comunidades envolvidas - escola e a população do bairro - onde a escola está inserida trouxe grande beneficio no tocante a preservação e a limpeza dos logradouros, deixando o local mais atrativo e limpo. Não obstante, é bom saber que essa é uma ação contínua para a comunidade que tem um interesse em participar e contribuir para o bem comum. É, acima de tudo, um ato de cidadania.

Com a realização do trabalho de conscientização da problemática do lixo para o município, a população educacional passou a ser um vigilante ativo quanto aos cuidados da não poluição na escola como no bairro onde ela está inserida, tornando-se referência para os bairros adjacentes, as outras escolas da zona urbana, como na cidade em geral.

 

5. Conclusão

Pelo exposto neste trabalho, percebe-se que, para que um programa da educação ambiental aconteça de forma coesa é necessário que o maior número de segmentos da sociedade participe como um todo, em favor de objetivos comuns, cada um com suas possibilidades próprias de auxilio a proposta, sendo de suma importância a participação efetiva de todos os integrantes da instituição de ensino.

Pouco se faz... Assim, professores, alunos e comunidades escolares devem engajar-se nos esforços do desenvolvimento de ações em educação ambiental, no desejo de contagiar, envolvendo a todos, para uma boa produção, um bom resultado, promovendo discussões e construção de conceito de forma coletiva, visto que muitos fatores ambientais, econômicos e sociais, estão envolvidos e são responsáveis pela degradação do meio ambiente. Para isso, é necessário conhecer os problemas e tentar solucioná-los de forma conjunta, inspirada a consciência de que preservar é preciso.

Pode-se concluir que o desenvolvimento deste trabalho formou cidadãos, mesmo num pequeno grupo, sensíveis, conscientes e multiplicadores, embora se saiba que para haver uma mudança de hábitos e de comportamentos, um projeto como este requer muito mais tempo para ser desenvolvido, além de se considerar fundamental, a formação de parcerias para um melhor incentivo a comunidade e obtenção de melhores resultados, com um alcance de maior amplitude.

6. Referências bibliográficas.

 

AZEVEDO, Cleide Jussara Cardoso de. Concepção e prática da população em relação ao lixo domiciliar na área central da cidade de Uruguaiana-RS, PUCRS-Campus II, 1996. Monografia de pós-graduação. Educação Ambiental.

BRASIL. Secretaria da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos – apresentação dos temas transversais. Secretaria da Educação Fundamental. Brasília: MEC / SEF, 1998.

CADERONI, Sabetaí. Os bilhões perdidos no lixo. São Paulo: Ed. Humanistas, 1996.

CORREA, Saionara Escobar de Oliveira. O conhecimento da problemática ambiental do lixo na visão dos alunos de 5ª e 8ª séries em escolas municipais de Itaqui - RS. 2001.

DOS ANJOS, Maylta Brandão. Educação Ambiental na abordagem interdisciplinar: experiência do Colégio Cenecista Capitão Lemos Cunha. Rio de Janeiro; UFRJ, 1996.

LEMOS, Jureth Couto; LIMA, Samuel do Carmo. Segregação de resíduos de serviços de saúde para reduzir os riscos à saúde pública e ao meio ambiente. Bioscience Journal. Vol. 15,n.2, Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia, 1999.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Considerações sobre o conceito de Educação Ambiental. Revista Teoria e Prática da Educação, Maringá, PR, v.2, n.3, 1999.

OLIVEIRA, Walter Engracia de. Resíduos sólidos e limpeza urbana. USP; FSP; PNUD; OMS; OPS; PIPMO; MEC; São Paulo, 1973.

SAVIANI, Demerval. Pedagogia Histórico-critica; primeira aproximações. São Paulo, 5ª ed. Autores Associados, 1995.

ZANONI, Magda; RAYNAUT, Claude. Meio Ambiente e desenvolvimento; imperativos para a pesquisa e formação. Reflexões em torno do doutorado da UFPR. Caderno de Desenvolvimento e Meio Ambiente. Curitiba/Bordeaux; Ed. Da UFPR/GRID, n.1,1994.

Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.