Mais comentada

Natura- Uma empresa que é uma " beleza " para se investir

Henrique de Bethencourt,
A Natura é uma empresa do ramo de cosméticos que foi criada no ano de 1969. Agora desponta com uma das poucas empresas do Brasil que foi capaz de superar o momento mais turbulento da crise econômica que ainda assola a atmosfera mundial.

O mercado consumidor doméstico brasileiro é o terceiro maior do mundo em volume de vendas. A Natura por sua vez tem 90% de sua receita gerada por nosso mercado. O Brasil (US$ 28,77 Bi) só perde para o Japão (US$ 33,75 Bi) e os Estados Unidos (US$ 52,14 Bi), que é o líder do ranking mundial. A principal concorrente da Natura no Brasil é a americana Avon. No entanto, vale ressaltar, que o mercado brasileiro é que o que apresentou o maior crescimento em 2008, 27,5%).

Quando comparamos outros bens do setor de consumo como móveis e eletrodomésticos, e alimentos, fumo e bebidas, o resultado que se chega da evolução é que o setor de cosméticos vai crescer no ano de 2009 algo em torno de 10%, o setor de alimentos, bebidas e fumo terá um avanço de menos significativo de 6 %, ao passo que o setor de móveis e eletrodomésticos terá uma queda de 9,5%.

A Natura abriu capital na Bolsa de Valores no dia 25 de maio de 2004. Até o dia 30 de junho de 2009, as ações da empresa do ramo de cosméticos tiveram a maior valorização de todas que fizeram captação através da oferta primária de ações. A valorização no período de um pouco mais de 5 anos foi de 340%. Além disso, a empresa desde 2004 quase dobrou seu faturamento e seu lucro líquido. Em 2008 a empresa teve um faturamento de R$ 5 Bi e um lucro líquido de R$ 540 Mi. Isso representou um crescimento de 49% descontando o IGP-M.

Uma curiosidade com relação às empresas de cosméticos é que uma empresa americana chamada Estée Lauder criou um indicador chamado Índice batom, esse indicador relaciona as recessões econômicas com o aumento das vendas dos produtos de beleza. O Índice batom mostra que em momentos de crise, com sinais de incerteza, as mulheres, principalmente, para aumentar a auto-estima adiam sonhos de comprar, por exemplo um carro novo, e compram produtos de beleza.

Voltando a Natura, ela tem um plano de expansão em dois mercados: EUA e América Latina. A empresa vai criar produtos mais adaptados para esses nichos mercadológicos, uma vez que atualmente vende apenas produtos brasileiros sem adaptação alguma. Outro dado interessante, é que 67,5% das vendas tem sua origem em produtos lançados nos últimos dois anos.

A empresa passou por uma reengenharia no ano de 2007, pior momento da empresa, fase que viu a sua maior concorrente, Avon, crescendo no mercado brasileiro e sua rentabilidade caindo vertiginosamente. Depois dessa reengenharia a empresa ficou mais enxuta, com menos níveis hierárquicos e mais rentável. Logo, mesmo com a crise econômica a empresa teve um aumento em suas vendas de 17% no último trimestre de 2008 e no primeiro trimestre de 2009 apresentou um crescimento de 77% em seu lucro líquido.

Conclui-se que a empresa tem um alto poder de inovação e criação de novos produtos, uma empresa, hoje, eficiente, com baixo custo de investimento imobilizado e ainda com um grande plano de expansão no mercado norte americano, o maior do mundo, e América latina. Com esse cenário tende a figurar entre as melhores empresas no médio prazo, fazendo jus ao prêmio recebido nesse ano de melhor empresa no evento da revista exame chamado Melhores e Maiores empresas. Portanto, meus caros, a empresa é uma "beleza" para se investir, através da compra de ações na Bovespa. Grande abraço a todos e até a próxima.
Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: acoes de mercado

Shopping