O planejamento estratégico de empresas privadas com foco na missão

Este artigo parte do pressuposto que a empresa se norteia por meio da missão que é uma declaração sobre o que a organização é, sobre sua razão de ser, seus clientes e os serviços que presta, percebe-se por meio desta assertiva que a missão define o que é a organização hoje, seu propósito e como pretende atuar no seu dia-a-dia

Marco's Silva,
Partindo do pressuposto que a empresa se norteia por meio da missão que é uma declaração sobre o que a organização é, sobre sua razão de ser, seus clientes e os serviços que presta, percebe-se por meio desta assertiva que a missão define o que é a organização hoje, seu propósito e como pretende atuar no seu dia-a-dia. Este aporte teórico se torna imprescindível para que sejam contemplados os aspectos inerentes ao planejamento, coordenação, direção e avaliação de todo processo constitutivo do desenho político de uma empresa.

Tendo em vista os fatores supracitados, nota-se a importância do desenvolvimento desta pesquisa pela necessidade urgente de viabilizar propostas que sirvam de reflexão teórica e metodológica, proporcionando espaços de reflexão aos gestores, dentro do pressuposto macro da organização sistêmica de uma empresa.

A viabilidade se dá pela execução de recursos próprios, sendo possível a parceria com instituições de gestão pública, SENAI, SENAC e demais empresas que gestam a organização privada. No decorrer do desenvolvimento das atividades da pesquisa, propõe-se apresentação em algumas instituições e organizações com o intuito de socializar a execução dos trabalhos e promover espaços democráticos de construção do conhecimento historicamente formado, ampliando a percepção crítica e dialógica dos gestores envolvidos no processo.

O desenvolvimento da pesquisa é extremamente oportuno, tendo em vista os resultados recentes de pesquisas nacionais e estaduais referentes a índices e demonstrativos referentes ao planejamento estratégico ao nível de gestão, contribuindo sobremaneira para a formação crítica destes gestores e a instrumentalização para posterior intervenção nos seus espaços de atuação.

A missão cria um clima de comprometimento da equipe de colaboradores (servidores e gestores) com o trabalho que é realizado. A definição de missão serve de critério geral para orientar a tomada de decisões, para definir objetivos e auxiliar na escolha das decisões estratégicas. Quando a missão não expressa a natureza da entidade e/ou sinaliza a orientação do percurso a ser percorrido, observa-se fragilização do processo constitutivo de planejamento estratégico de empresas privadas. Segundo Peter Drucker,

"Definir a missão de uma empresa é difícil, doloroso e arriscado, mas é só assim que se consegue estabelecer políticas, desenvolver estratégias, concentrar recursos e começar a trabalhar. É só assim que uma empresa pode ser administrada, visando um desempenho ótimo.”

Os objetivos gerais se efetivam na análise da relação da definição da missão de uma empresa e a relação indissociável ou dissociável do sucesso da empresa, com vistas à implementação do Planejamento Estratégico.

Os objetivos específicos se consolidam na identificação empresas de sucesso que tenham em sua missão características de sua natureza, descrição das relações políticas, econômicas, ideológicas e organizacionais de empresas que tenham em sua missão definição estratégica de seu negócio e na apresenta pareceres orientativos de elaboração de missão e relação com elementos constituintes desse arcabouço organizacional de estratégia de empresa.

Revisão de Literatura

Um dos desafios que todo administrador de empresas pode enfrentar é definir a visão, missão e valores de sua organização. É esta a definição que cria e explica a identidade organizacional da empresa possibilitando que seu posicionamento mercadológico se torne relevante para a sociedade. Porém, durante as minhas conversas com administradores e gestores, tenho percebido que muitos empreendedores escolhem outro caminho ao tentar identificar a visão, missão e valores de suas organizações. É comum vermos muitas empresas, mesmo as grandes, estabelecerem primeiro sua missão e depois a visão e os valores. Acredito, no entanto, que o mais interessante seria definir primeiramente a visão, para posteriormente identificar a missão e, por fim, os valores, sendo que todas as perspectivas são inerentes ao feedback.

Ao observar o mercado, a primeira ação do futuro administrador é ver uma oportunidade de negócio em uma necessidade não atendida pela sociedade. A visão é uma oportunidade de negócio que identificamos na sociedade e sempre tem a ver com o ponto de vista do proprietário da empresa; com aquilo que ele sabe fazer. Imagine, por exemplo, que você percebeu que a sociedade se beneficiaria muito da prática de atividades físicas. Neste caso, você identificou uma oportunidade de negócio e começou a imaginar de que forma poderia entregar este benefício à sociedade. Esta forma de entregar o benefício leva o gestor a pensar na missão de sua organização por meio da natureza dos gestores e da gestão.

Como disse Peter Drucker, é fundamental que toda organização tenha objetivos comuns, simples e claros. A missão precisa ser suficientemente clara e frequentemente reafirmada para que proporcione uma visão comum a todos os colaboradores. Na missão, define-se a natureza do negócio, ou seja, de que forma a visão se tornará realidade.

Tipo de Estudo:

O estudo selecionado foi o bibliográfico, tendo em vista os aspectos relacionados aos procedimentos metodológicos. Sobre o projeto de pesquisa bibliográfica a ser desenvolvido a partir de pesquisa qualitativa bibliográfica, pois, segundo Leite et al, (2008) a pesquisa bibliográfica procura explicações a partir de referências teóricas já publicadas, pois coloca o pesquisador em contato com o que já foi escrito sobre o assunto e exigindo uma atitude crítica diante dos documentos, artigos científicos, livros e outros materiais de pesquisa. 

Reiterando, Souza (2007) acrescenta que este método se caracteriza por coleta de dados de fontes secundárias: livros, periódicos científicos, revistas, jornais, teses, dissertações, materiais cartográficos, e meios audiovisuais, etc. Já Gil (2000, p. 65), expõe que “é desenvolvida a partir de material já elaborado, constituído principalmente de livros e artigos científicos”.

É possível compreender que a pesquisa bibliográfica constitui-se análise de materiais da literatura que ainda não tiveram sua interpretação exaurida ou que podem ser reavaliados com objetivo de novos ou complementares posicionamentos hermenêuticos. O estudo bibliográfico deste trabalho será com base em referenciais bibliográficos, periódicos, os sites de publicação de artigos científicos: Scielo e Google Acadêmico, assim como, sites de publicação de universidades que envolvam o tema adoção e seus pressupostos legais.

Procedimentos e instrumentos da pesquisa

  Os procedimentos metodológicos se consolidam por meio de aspectos relacionados em transposição didática e metodológica. No que se refere ao método, tem-se “um caminho regular e ordenado que se percorre para alcançar um determinado objetivo.” Marilena Chauí.

  Métodos de abordagem: dedutivo porque parte de uma verdade estabelecida para comprovação contextualizada desta verdade. Dialético: por meio da análise do fenômeno em movimento, pode-se analisar a construção, desconstrução e reconstrução. Os conteúdos serão conceituais, procedimentais e atitudinais.

  Métodos de procedimento: estudo de caso ou monográfico pela utilização de um tema de forma exaustiva e histórico pela necessidade de análise diacrônica do processo para não ser superficial e apenas se deter ao produto. Técnicas de análise: documental direta por meio de referenciais bibliográficos, periódicos, webgráficos e demais textos de validação científica As técnicas de pesquisa: eminentemente qualitativa com traços quantitativos.

Discussão

Para Andrade (2002), a missão de uma organização dever definida para satisfazer alguma necessidade do ambiente externo e não simplesmente em oferecer um serviço ou produto. Portanto para definir a missão de uma organização algumas perguntas devem ser respondidas como: Qual o nosso negocio? Quem é o nosso cliente? Que satisfação ele quer ao comprar nosso produto?

Já Porto (2008), define que a missão representa a razão de existência de uma organização. Para isso a missão deve abranger o propósito básico da organização e a transmitir seus valores a funcionários, clientes, fornecedores e a sociedade. Jesus (2008) ainda completa, que a missão de uma empresa está intimamente ligada não somente ao lucro, mas ao seu objetivo social. Toda missão dever nortear os objetivos financeiros, humanos e sociais da organização.

De acordo com Briner (1997), é preciso acreditar ardentemente no que se faz para ter um sucesso expressivo e ser capaz de instilar em seus colaboradores um pouco de entusiasmo.

Para Hunter (2006), as empresas deveriam ajudar a desenvolver tais habilidades, para que ocorra uma mudança de aprendizagem comportamental dos funcionários e também para que haja  uma melhoria contínua na transformação dos mesmos.

 Segundo Robbins (1999), os empregados devem ter capacidade e a empresa deve apoiar o envolvimento dos trabalhadores nas decisões que afetam a autonomia e controle sobre suas vidas de trabalho. E os empregados ficarão mais motivados, comprometidos com a organização, produtivo e satisfeitos com seus empregos.

Considerações Finais

  Por fim, o conjunto Missão, Visão e Valores serve também para facilitar e promover a convergência dos esforços humanos, materiais e financeiros. A Missão, Visão e Valores é a forma de você estar lá, presente em cada hora da verdade da sua empresa, sem precisar ir para lá. Então, que tal começar a construir, a edificar, a construir a Missão, Visão e Valores da sua empresa, mesmo que seja a VOCÊ S.A.

  Toda e qualquer empresa que preze os esforços e recursos que são dispendidos ou empregados, a cada dia, a cada hora, por todos os seus empregados e colaboradores, orienta a construção do sucesso por meio da elaboração, divulgação e acatamento diário à Missão, Visão e Valores.

  O conjunto Missão, Visão e Valores pode e deve ser transformado em uma avaliação 360º, onde todos da sua empresa avaliam todos com os quais se relacionam, permitindo um acompanhamento do desempenho e da adesão de cada empregado a esse conjunto.

Referências:

AAKER, David A. Administração Estratégia de Mercado. 7ª Edição. Porto Alegre : Bookman, 2007.

BATEMAN, T. Snell, S. Administração: construindo vantagem competitiva. São Paulo : Atlas, 1998.

CHURCHILL, Gilbert A. Marketing: criando valor para os clientes. 2ª Edição. São Paulo : Saraiva, 2000.

DAFT, Richard. Administração. São Paulo : Pioneira Thomson Learning, 2005.

DIAS, Sérgio R. (coord.). Gestão de Marketing. São Paulo : Saraiva, 2004.

FERNANDES, Cláudio A. Balanced Scorecard como modelo de gestão estratégica: um estudo de caso da Gol Linhas Aéreas Inteligentes. Disponível em: http://www.administradores.com.br/artigos/12736/. Acesso em: 04/11/2007.


Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.