Mais comentada

O que se espera de um líder?

Muitos almejam ser líderes, porém desconhecem o quão complexo é o papel de um líder organizacional, o qual exige muito mais que apenas conhecimento

Cristiane Ornelas,

Quando se fala em grandes líderes, logo nos vem à imagem pessoas como Ghandi, John Kennedy, Martinho Lutero, Madre Tereza e até mesmo Hitler. Você pode até ter achado estranho a inclusão de Hitler nesta lista, mas o fato é que, historicamente, ele foi um grande líder, pois conseguiu convencer milhares de pessoas que suas convicções e ideais eram corretas e com isso obteve um grande número de seguidores. Se formos observar a história da humanidade, muitos serão os líderes com feitos grandiosos, porém, haverão aqueles que cometeram seus erros. Erros muitas vezes incalculáveis, que mudaram o curso de uma vida, de uma nação e de toda a humanidade. 

Se formos analisar no dia a dia, nossos líderes também cometem erros, embora em menor proporção, mas que no ambiente organizacional pode se tornar uma grande catástrofe. Quando se fala em líderes, pensamos em exemplos a serem seguidos, por essa razão espera-se que este não cometa erros e aja sempre com exatidão e os seguimos por acreditar em seus princípios e ideais. Porém, no ambiente organizacional, o que se vê são pessoas mal preparadas desenvolvendo papéis de liderança e por essa razão estão mais suscetíveis ao erro.

Muitos pensam que o líder no ambiente organizacional está voltado apenas para os erros de sua equipe e na busca a eficácia. No entanto, muitos desses líderes, pelo menos aqueles que de fato almejam fazerem juz a suas lideranças, preocupam-se também com seus próprios erros, cometidos muitas vezes por anseios do acerto, pela má preparação e até mesmo pela forte pressão que sofrem elevando os níveis de estresse, o que os levam a erros de julgamento e até mesmo de comportamento. 

Mas, afinal, o que se espera de um líder? 

Para que um líder corresponda, não somente às expectativas organizacionais mas também de seus parceiros e liderados, ele deve possuir foco nos resultados, buscar a vitória e a perfeição, exercer autoridade, porém sem se descuidar das pessoas e de suas emoções. Um verdadeiro líder, deve sim preocupar-se com os resultados, mas deve também se preocupar com as pessoas. Para um melhor entendimento, reunimos alguns fatores importantes para uma liderança eficaz que equalizarão as expectativas. 

São eles:

1. Dedique um tempo para criar laços com as pessoas - Um líder deve estar interessado nas pessoas e dedicar parte de seu tempo a elas. E quando digo pessoas, não me refiro somente a seus subordinados, mas também a seus colegas, clientes e parceiros. É o que chamo de ligações inteligentes, você não tem que gostar da pessoa para se relacionar com ela, mas tem de conhecê-la e entender o que a motiva, quais seus medos e anseios, suas e sonhos. Isso leva tempo e dá um certo trabalho, mas vale a pena conhecer as pessoas e se ligar a elas, pois o laço é uma profunda ligação emocional, diferente de simplesmente gostar de alguém. 

2. Esteja disponível e acessível – Liderar está além de delegar tarefas, o líder dever participar e estar atento às dificuldades de sua equipe, participar. Muitas vezes os líderes se esquecem de criar um canal de comunicação eficaz com seus liderados, e tornam-se inacessíveis e não participativos. 

3. Criar e desenvolver talentos - Um verdadeiro líder deve ter a consciência que todos as pessoas, por mais resistentes que sejam, desejam aprender e se desenvolver. E o líder possui um papel fundamental neste processo, pois ele deve priorizar a aprendizagem e o desenvolvimento de seus talentos, pois ela isso diretamente ligado à obtenção de resultados. 

4. De feedback sobre o desempenho de seus colaboradores - Alguns lideres, estreitam tanto as relações que esquecem de dar um feedback adequado, por medo de ferir os sentimentos alheios, ou pior, distanciam-se de tal forma que a resposta aos desempenho de seus colaboradores, tornou-se inexistente. Ao contrário do que muitos acreditam, os colaboradores gostam de obter um retorno com relação ao seu desempenho, mesmo que este nem sempre seja positivo, pois uma das razões para o feedback é exatamente a melhoria dos pontos fracos, aqueles que desejam aprender esperam ansiosos por saber os pontos a melhorar. Por essa razão, a comunicação é primordial. Um líder que não sabe se comunicar deixa de ser um líder e passa a ser um delegador de tarefas. Sendo assim, aquele que deseja uma eficaz liderança, se não possui, deverá desenvolver sua capacidade de comunicação e desta forma possibilitará um melhor desempenho. 

5. Considere e reconheça as emoções - Apesar de muito se falar de inteligência emocional, poucos são aqueles que de fato sabem controlar suas emoções de maneira eficiente. As emoções estão enraizadas no ser humano, são medos, receios, alegrias, anseios e tristezas que muitas vezes, mesmo que inconscientemente, atrapalham o bom desempenho do colaborador. O líder pode melhorar muita coisa simplesmente ao se conscientizar destas emoções e demonstrar verdadeiro interesse nas experiências pessoais do indivíduo. Esta é uma das razões pelas quais um líder deve criar laços. Eles servirão para identificar as emoções que podem estar atrapalhando o desempenho de um colaborador e desta forma auxiliá-lo. Devemos lembrar ainda, que algumas emoções externadas de forma inadequada refletem no comportamento da equipe como um todo e não somente do indivíduo.Por essa razão o líder que deseja uma equipe de alta performance deve estar atento para gerir as emoções. 

6. Administrar conflitos eficazmente – Administrar conflito requer o reconhecimento das emoções. Muitos dos conflitos organizacionais, são mais de ordem pessoal do que profissional, mesmo que se diga o contrário. Os conflitos de ordem profissional, podem ser resolvidos rapidamente com algumas medidas, como por exemplo abordar diretamente o assunto para que se encontre uma solução. Os conflitos pessoais, requerem maior trato e dedicação e devem ser trabalhados individualmente sem expor as pessoas de forma que se evite maior tensão. Todo o conflito, gera muita discussão e cabe ao líder eliminar o mal o quanto antes, para que o ambiente de trabalho volte a ser um lugar prazeroso para o desenvolvimento de equipes melhores e mais fortes. 

7. Conduza para mudança -As organizações vivem em constante mudança e um líder deve ser o impulsionador para a mudança. E a melhor forma de impulsionar uma equipe é explicando os benefícios que as mudanças trarão. O líder deve identificar as pessoas que possuem maior resistência à mudança, pois essa resistência normalmente consiste no medo do desconhecido ou na dor que a transição pode trazer. O papel do líder é dar uma base segura, que transmita uma sensação de segurança, estímulo e energia. Ou seja, o líder deve se importar o suficiente para que possa incentivar a mudança. 

8. Incentivar seus colaboradores a assumirem riscos - Assumir riscos, não é algo fácil, necessita de coragem e segurança, pois o ser humano é por natureza avesso ao risco. Mas um verdadeiro líder deve incentivar seus liderados a assumirem o que chamamos de risco calculado e para isso precisa criar um ambiente de confiança, onde as pessoas se sintam seguras e apoiadas para assumirem esses riscos. O líder deve ser um escudo para seus liderados. 

9. Motive - Algumas pessoas ainda confundem motivação com recompensa. Então vamos esclarecer o seguinte, recompensa não é motivação. Quando falo em recompensa estou falando de bônus e gratificações que muitas vezes são vistos como fatores motivacionais, assim como as promoções. Pois bem, se um colaborador desempenha um trabalho extraordinário, nada mais justo que seja recompensado por isso, porém, isso não é motivar, isso é apenas reconhecer através de valores extrínsecos um bom trabalho. A verdadeira motivação, está no reconhecimento dos valores intrínsecos de cada individuo. As pessoas precisam de inspiração para estarem motivadas, a grande maioria busca mais do que apenas salários e gratificações. Desejam ser desafiadas, aprender algo novo, fazer uma diferença importante ou desenvolver um talento. Você será um líder melhor, quando inspirar as pessoas e passar a entender o que realmente desejam atingir em termos de crescimento e contribuição. 

10. Um líder guia, não gerencia – Ainda hoje, mesmo após tantos assuntos serem abordados com relação às liderança, muitos acreditam que gerenciar pessoas é o mesmo que liderar. As organizações são um organismo vivo e as pessoas não podem e nem devem ser vistas como uma parte da engrenagem organizacional, aliás, essa ideia já foi ultrapassada à décadas. O gerenciamento está ligado ao controle, administração e planejamento de atividades e, portanto, de pessoas. A liderança, por outro lado, envolve inspirar, incentivar, guiar e tirar o melhor das pessoas ao criar confiança e incentivar o risco positivo. Para ser um líder e não apenas um gerente, você precisa pensar nas pessoas como pessoas. Isso leva tempo e dedicação, e nos remete aos fundamentos da criação de laços. 

Muitos almejam serem líderes, porém desconhecem o quão complexo é o papel de um líder organizacional, o qual exige muito mais que apenas conhecimento. Exige talento, principalmente para lidar com pessoas e demonstrar o quão importante elas são para o sucesso ou insucesso de um projeto. Quando as pessoas percebem que de fato fazem a diferença em uma equipe, seu trabalho ganha um novo sentindo e elas se tornam aptas ao sucesso e quando isso ocorre todos ganham e o líder deixa de ser visto como um simples gestor de pessoas e passa a ser visto como alguém que as guia. 

Opine aqui e contribua com o tema! 


Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: aprendizagem dedicação desempenho disponibilidade eficacia feedback lider mudança tempo

Shopping