O uso da informação como aliada no campo

Muito se fala sobre os avanços tecnológicos que ocorreram no país a partir dos anos 2000, e como era previsto, este aumento da tecnologia chegou ao campo. A inovação no meio rural está em constante evolução, e com ela, a gestão da propriedade ficou mais precisa e completa.

Muito se fala sobre os avanços tecnológicos que ocorreram no país a partir dos anos 2000, e como era previsto, este aumento da tecnologia chegou ao campo. A inovação no meio rural está em constante evolução, e com ela, a gestão da propriedade ficou mais precisa e completa.

O que antes demandava tempo, deslocamento e recursos para tomada de decisão – havendo escassez das informações – hoje migrou para um cenário infinito de opções na tela do celular. Ora, se os produtores de antigamente sentiam-se frustrados pela falta de informação, os gestores atuais sentem-se assim pelo excesso dela.
É necessário determinar quais informações são úteis para a condução eficiente de suas atividades. Precisamos filtrar o que é relevante e saber onde procurar em um momento de necessidade.

Alguns gestores ainda tomam decisões por hábito e por questões culturais (principalmente familiares). Mas sabemos que para se obter sucesso no campo, é necessário repensar continuamente suas decisões, à medida em que ocorrem as mudanças econômicas, tecnológicas e ambientais.

Diariamente há um bombardeio de informações aos agricultores e pecuaristas – preço, clima, tecnologia, regulamentos sanitários, mudanças nas políticas de importação e exportação, acontecimentos internacionais, gosto do consumidor, entre tantos outros. Todas estas variáveis afetam os negócios e principalmente o planejamento que os envolve. Portanto, novas informações são de extrema importância para a tomada de decisão, fazendo com que haja necessidade de reconsiderar velhas estratégias gerenciais.

A integração dos sistemas é uma ferramenta excepcional nas propriedades rurais. Tendo em vista que o produtor precisa administrar várias áreas como finanças, insumos, pessoas, investimentos e estratégias, esta integração facilita a inserção de dados e unifica relatórios para que se tenha uma visão sistêmica do negócio.

A melhor maneira de utilizar a informação é acompanhar fontes seguras de notícias, que estejam embasadas em estudos científicos e comprovados, participar de canais que difundem o conhecimento com seriedade, e mais do que isso, saber absorver estas informações da maneira mais produtiva possível, sempre buscando a aplicabilidade dentro da sua propriedade, pois não há receita que dê certo em unanimidade.

Vale lembrar que não há fórmula mágica na gestão. O que pode ser eficiente em uma área, pode ser totalmente dispensável em outra, e só o gestor que conhece todo o processo produtivo, que se informa e troca experiências para aumentar as opções de tomada de decisão é capaz de determinar as melhores opções para a sua propriedade.

Observe como a biotecnologia, bioinformática, agricultura de precisão, robótica, nuvem, mobilidade e big data trazem muitas oportunidades de melhoria das atividades no campo, sendo grandes aliadas no aumento da produtividade e na sustentabilidade.

Em pouco tempo, todas essas ferramentas se tornarão indispensáveis e o homem do campo precisa se adaptar à elas, de maneira que acompanhe os avanços e se mantenha referência no mercado em que atua, garantindo seu espaço no setor produtivo.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(0)
Tags: agricultura agricultura de precisão agricultura digital agronegócios biotecnologia drones tecnologia