Mais comentada

Os Ciclos de vida das organizações (ICHAK ADIZES)

Ichak Adizes definiu estágios onde as empresas crescem e morrem, comparado como organismos vivos, os diversos estágios de crescimento são apresentados nesta seqüência: Infância, Pré-Adolescência (Toca-Toca), Adolescência, Plenitude, Estabilidade, Aristocracia, Pré- Burocracia, Burocracia e Morte.

Mara Perillo,
Ichak Adizes definiu estágios onde as empresas crescem e morrem, comparado como organismos vivos, os diversos estágios de crescimento são apresentados nesta seqüência: Infância, Pré-Adolescência (Toca-Toca), Adolescência, Plenitude, Estabilidade, Aristocracia, Pré- Burocracia, Burocracia e Morte.
Nos estágios do ciclo de vida de uma organização, os administradores encontram desafios, vejamos em cada estágio o que os compromete.

INFÂNCIA:
Um dos desafios encontrado pelo administrador é a necessidade de dinheiro e de capital de giro, e o outro desafio é o compromisso do fundador, se não obtiver dinheiro e amor pela empresa, esta mesma perecerá. Se o fundador não acompanhar de perto o fluxo de caixa não irá longe, por isso tem que ter comprometimento.

PRÉ-ADOLESCÊNCIA:
Neste estágio, o administrador terá o desafio de não se envolver em empreendimentos nos quais não deveria se envolver, pois o fluxo de caixa neste momento está equilibrado e as vendas aumentaram, portanto existe uma tendência de adquirir novos negócios. O que num dia pode ser uma oportunidade, noutro dia torna-se prejuízo. Outro desafio é a delegação de autoridade, neste estágio não dever ocorrer à descentralização, pois não há sistema de controle.

ADOLESCÊNCIA:
Neste estágio, um dos grandes desafios é a mudança de liderança, do empreendedor ao gerente profissional, não podem existir conflitos entre sócios e administradores, brigas internas é comum devido crise de liderança.
Na adolescência, a organização passa a dedicar menos atenção aos clientes externos e prioriza suas necessidades, tendo excesso de reuniões, é um desafio para o administrador disciplinar sua organização.

PLENITUDE:
É um desafio manter a empresa neste estágio, onde atinge um equilíbrio de autocontrole e de flexibilidade, e também é um desafio manter o espírito empreendedor.

ESTABILIDADE:
Neste estágio é o início de envelhecimento da empresa, é um grande desafio do administrador retomar o espírito de criatividade, inovação e incentivo as mudanças.

ARISTOCRACIA:
É um grande desafio do administrador, voltar as decisões essenciais, tem que reaprender a lutar para enfrentar os adversários. A organização tem que identificar qual é o seu negócio e qual é o seu valor para os clientes.

PRÉ-BUROCRACIA:
É um grande desafio, nesta fase, pois a empresa entra na paranóia gerencial, pois os maus resultados tornam-se evidentes, os gerentes começam a lutar entre si, ao invés de lutarem contra os concorrentes. É a sobrevivência pessoal, o desafio consiste em substituir as pessoas que são ineficazes, e uma única pessoa assumir o controle, levando a empresa à sua essência lucrativa.

BUROCRACIA E MORTE:
Neste estágio, o administrador não tem autoridade e nem responsabilidade, não há mais mudança, a organização deixa de reagir às mudanças ao meio ambiente; torna-se um grande desafio ao administrador mudar o sistema organizacional, mas neste momento mudar a liderança gerencial não levará à cura, é importante reativar o empreendedorismo e o comprometimento das pessoas.


Segundo ADIZES (2002, p.4), ”Viver significa resolver problemas ininterruptamente. Quanto mais plena for a vida, mais complexos os problemas a serem resolvidos. O mesmo se aplica as organizações.”
Dentro deste raciocínio, pensando nos aspectos econômicos, dois estágios onde a empresa necessita de um empenho financeiro maior e de uma análise econômica, visto ser um problema para seus fundadores, temos em destaque o estágio da Infância e da Pré-Adolescência.
Na Infância o empenho financeiro é crucial, pois a tendência é o fluxo de caixa negativo, portanto requer disponibilidade de caixa, para um crescimento saudável e equilibrado. Naturalmente, partindo para um novo estágio, o da Pré-Adolescência, a empresa está florescendo e ao mesmo tempo quer avançar em muitas direções diferentes, e para não se descuidar em relação aos investimentos, necessita de uma análise econômica. Neste estágio, a empresa tem crescimento econômico e lucratividade, porém descuida-se de uma análise econômica, podendo por tudo a perder por negócio mal-feito.
Empenho financeiro não significa apenas uma maior quantidade de recursos financeiros investidos, são infusões periódicas de dinheiro como capital de giro, pois é o capital de giro que irá financiar as atividades operacionais da empresa.
Nos primeiros estágios de uma organização faz necessário empenho financeiro, injetando recursos na empresa e conforme vai amadurecendo a análise econômica tem que ser uma realidade, pois será a mola propulsora para o crescimento da empresa.

ADIZES, Ichak, OS CICLOS DE VIDA DAS ORGANIZAÇÕES: Como e Por que as Empresas Crescem e Morrem e O que Fazer a Respeito, São Paulo: Ed.Pioneira Thomson-2002.

Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Vagas de trabalho