Quem não se reinventa em tempo hábil sucumbe ao fracasso

Reinventar-se não é apenas um diferencial competitivo, mas também uma necessidade.

Ganhar dinheiro está fácil para quem está perdendo dinheiro? Não. Ganhar dinheiro está fácil para quem está ganhando dinheiro? Sim.

Ah, e por falar nisso, de que lado você está?

Não tem nada a ver com pensar que você pode ficar rico. Do que adianta ser otimista ou ter pensamento positivo se você continuar com uma atitude de merda? Você está com milhões de insights na sua cabeça, vai dormir com a certeza de que no outro dia vai mudar o mundo, mas, quando acorda, deixa para depois, empurra com a barriga, posterga. Outro fato é que, bem provavelmente, se você está há muito tempo patinando no mesmo lugar, as suas ideias só servem para minar a sua energia.

Ação. Entre em ação!

Responda-me agora duas perguntas:

Pergunta 1: Se você tiver uma prova, na próxima semana, e se focar no pensando positivo, ser otimista ao extremo, mentalizar durante todo o dia que você “sabe tudo”, que você é “inteligente”, que você é o “cara” que vai detonar na prova, e ficar repetindo para você tudo isso milhares de vezes na semana, você tem certeza de que pode tirar um 8 e ser aprovado?

Pergunta 2: Se você se propor a pesquisar o conteúdo, analisar o conteúdo, estudar o conteúdo, entrar em contato com amigos que dominam o conteúdo, participar de grupos de estudo, você tem certeza de que pode tirar um 8 e ser aprovado?

Pense. Reflita. Onde você apostaria as suas fichas?

É muito melhor errar por entrar em ação do que errar por ficar parado.

Se você quiser ficar rico, terá que saber como colocar a sua boa ideia em prática ou ser parte da boa ideia de outra pessoa. Muitas pessoas já enriqueceram com a própria ideia. Muitas pessoas também já enriqueceram com a ideia de outras pessoas.

• Quantas pessoas ganham dinheiro com o futebol?
• Quantas pessoas ganham dinheiro com fast food?
• Quantas pessoas ganham dinheiro com a internet?
• Quantas pessoas ganham dinheiro com o UFC?
• Quantas pessoas ganham dinheiro com reciclagem?

Não falta espaço para ganhar dinheiro, na verdade, nunca a maré esteve tanto para peixe. O que acontece é que o consumidor, o comprador, o público, seja como você conhece, ele está mais escovado, mais exigente e tem mais opções.

Agora, todo mundo pode chegar no final de um ano, com uma adega de vinhos com exemplares de mais de 60 países, com menos de R$ 200,00 por mês. Você pode assinar vinhos, mas também pode assinar cafés, cervejas, livros, revistas, produtos orgânicos, flores, cosméticos, produtos eróticos (que foda!!!), roupas, e milhares de outros itens. Todos estão bem das pernas? É claro que não! Todos estão ganhando dinheiro? É claro que não!

É bem comum surgirem atravessadores quando um mercado está bombando e rendendo bons frutos para seus empreendedores e investidores, nesse vasto repertório de produtos e serviços, você encontra de tudo: do extraordinário ao inaceitável. Tudo porque não é entrar em um mercado que está rentabilizando bem que você vai ganhar dinheiro. Existe por trás muita pesquisa, muito estudo e claro, know-how do negócio, capital a disposição, pessoas certa a disposição, entre outros recursos que precisam estar em dia para ganhar dinheiro com algo.

O fato é que, as empresas que estão ganhando dinheiro estão inovando, mas principalmente, se reinventando.

Sabe aquele ditado: “ou calça de veludo ou bunda de fora”. Pois é, ele não funciona mais. As empresas de hoje são mais flexíveis, estendem maiores opções aos seus clientes, fazem uma leitura correta do mercado e, claro, escutam os clientes.

E aquelas que não fazem isso? Se já estão ganhando dinheiro, os dias estão contados. Se já estão com dificuldades em atrair clientes, aumentar ou ao menos manter o faturamento, ou ainda elevar a lucratividade, então, precisam rever os seus conceitos.

Se não puder enxergar o seu concorrente na cara, olhando para trás, procure olhar para o lado e ver o braço do seu concorrente, ou a cara, de perfil, mas nunca as costas, porque quando você enxerga as costas do seu concorrente, é porque já ficou para trás.

Uma das coisas que você precisa entender, é que algumas regras o mercado dita, e mesmo que elas sejam regidas por quem domina o seu mercado, se você não respeitá-las como as suas próprias regras, você morre.

Quer um exemplo?

Você tem um Food Truck na sua cidade, nele, você vende vários tipos de cachorro-quente, é um sucesso, você faz um bom dinheirinho com ele, mas vende ele dentro de um preço que sabe que pode competir. Um dia, você decide que o seu cachorro-quente é diferente, é melhor do que os outros, você aumenta o preço do cachorro-quente, as vendas despencam e você começa a pagar o preço, está quebrando dia a dia.

O que aconteceu?

Você aumentou o preço sem agregar valor para o cliente. O cliente paga o preço mais alto quando recebe um valor maior, mas sem valor agregado percebido, o seu preço será ditado sempre pelo mercado.

Ok. E se eu decidir ficar com o mesmo preço, mas quero aumentar o meu lucro?

Aí você terá que prestar atenção nos detalhes, analisar minuciosamente os ciclos que dão origem ao seu custo operacional, ao seu custo fixo, ao seu custo variável, e também todas as despesas que foram o seu custo final, ou quanto custa o seu produto na verdade. Entendendo esses ciclos, você poderá entender como cortar custos desnecessários, seja melhorando as suas compras (selecionando os fornecedores ou comprando em maior quantidade), decidindo que dia da semana não vale a pena trabalhar (com base no movimento do caixa), a melhor logística para não encarecer o produto, etc.Aí você terá que prestar atenção nos detalhes, analisar minuciosamente os ciclos que dão origem ao seu custo operacional, ao seu custo fixo, ao seu custo variável, e também todas as despesas que foram o seu custo final, ou quanto custa o seu produto na verdade. Entendendo esses ciclos, você poderá entender como cortar custos desnecessários, seja melhorando as suas compras (selecionando os fornecedores ou comprando em maior quantidade), decidindo que dia da semana não vale a pena trabalhar (com base no movimento do caixa), a melhor logística para não encarecer o produto, etc.

Algumas regras o mercado dita, e quando você briga contra o sistema sem entender o sistema, você é morto e devorado por ele. O sistema não está nem aí com o quanto você trabalha, com o seu sobrenome ou quem você já foi ou o que você já fez. Ele é um mecanismo que atua com foco no presente, e se você não tiver algo a oferecer no presente, você já era.

Outro fator importante: entenda o nível de saturação do seu mercado e saiba quando pular fora.

Essa também é uma das grandes habilidades das pessoas ricas e bem-sucedidas, elas sabem a hora certa de pular fora, ganhar dinheiro e investir em outro negócio ou nicho mais rentável.

Você tem ideia de quantas pessoas já tiveram suas vidas literalmente invadidas por dívidas gigantescas, perdas milionárias, tudo por causa de não saber a hora certa de abandonar o barco? Isso também acontece com pequenos negócios e ceifa a vida empresarial e o sonho de construir um negócio lucrativo de vários pequenos empresários. Aconteceu no passado. Está acontecendo agora. Acontecerá no futuro.

Recentemente, tive a oportunidade de realizar Consultoria em uma grande empresa de recapagem, recauchutagem ou remoldagem de pneus. O que acontece, é que a empresa estava ganhando muito dinheiro no processo, dinheiro que poucas empresas já viram, com um lucro altíssimo sobre cada produto, porém não estava analisando a dificuldade na compra da matéria-prima, a queda nas vendas, a queda no lucro, o aumento dos custos fixos e dos custos variáveis, o encarecimento das rotas para buscar os pneus e depois vender os pneus, e, o maior problema, o fim do mercado de recapagem, recauchutagem ou remoldagem, devido a sistemas avançados de segurança quais as grandes fabricantes de pneus já estavam submetendo seus produtos.

Quando apresentei os números mundiais, os países que já tinham abolido e outros que estavam abolindo a recapagem, recauchutagem ou remoldagem, eles quase caíram duros, e, só então perceberam que estavam olhando para o próprio umbigo, surfando uma onda que estava prestes a engolir a empresa e os sonhos dos proprietários. Eles estavam construindo uma empresa sob a areia movediça.

Você entende isso?

Vamos a algumas perguntas que podem ajudar você a entender a realidade da sua empresa:

• Quanto a sua empresa faturava há 10 anos?
• Qual era a margem de lucro da sua empresa há 10 anos?
• Quanto a sua empresa pagou para crescer nesse período?
• Quanto a sua empresa faturava há 5 anos?
• Qual era a margem de lucro da sua empresa há 5 anos?
• Quanto a sua empresa pagou para crescer nesse período?
• Quanto a sua empresa fatura hoje?
• Qual é a margem de lucro da sua empresa hoje?
• Quanto a sua empresa pagou para crescer nesse período?
• Quais são os produtos que estão dando prejuízo? Por quê?
• Quais são os produtos que estão tendo uma margem de lucro baixa? Por quê?
• Quais são os produtos com a maior margem de lucro? Por quê?
• Quais foram as decisões mais estratégicas nos últimos 5 anos? Que resultado específico cada decisão trouxe?
• Quais foram as ações mais lucrativas?
• Quais foram as parcerias mais rentáveis?

Sinceramente, poderia fazer mais 200 perguntas que levariam você a um nível profundo de análise da sua empresa, do seu modelo de gestão, do reflexo das suas decisões e do resultado de suas ações, mas acredito que, com todas essas informações, você já tem muito trabalho a fazer.

Eu acredito em você. E você, acredita em você?

Amor e Sabedoria.

Thiago Tombini

Avalie este artigo:
(1)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: aprender carreira criar fazer a diferença produtividade profissionais profissional prosperidade realizar reinventar sucesso

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração