Mais comentada

Resiliência e a lógica dos estilos comportamentais

O artigo mostra que ao analisarmos os índices resultantes do mapeamento dos índices de resiliência por meio da escala de resiliência "Quest_Resiliência" é necessário ter conhecimento da sua lógica interpretativa. E para estruturar de modo claro as informações sobre a teoria, organizei esse texto.

Autor: George Barbosa*

 

Introdução


Quando analisamos os índices resultantes de nosso conceito de resiliência mapeados na escala de resiliência "Quest_Resiliência" é necessário ter conhecimento da sua lógica interpretativa. Para estruturar as informações organizei o discurso interpretativo em tópicos.

 

Descrições


1- Quando nos resultados da escala de resiliência "Quest_Resiliência" ocorrer a categoria "Fraca no Estilo de Passividade", ela corresponde a um valor extremado devido a um padrão de respostas que reflete que a pessoa atribui elevadíssima intensidade às crenças relacionadas ao MCD, indicando quanto a pessoa acredita e defende tais crenças, caracterizando um padrão comportamental típico de passividade, resultando em vulnerabilidade cognitiva no MCD.

2 - Já quando apresentar a categoria "Moderada no Estilo de Passividade", ela nos indica que a pessoa atribui alta intensidade às crenças do Modelo, o que caracteriza um estilo de moderada passividade em seu comportamento relacionado ao MCD, e que a pessoa está em uma área intermediária entre as condições de risco e as condições de proteção no que se refere a resiliência no MCD.

3 - Ao ocorrer a categoria "Boa no Estilo de Passividade", ela nos indica um valor médio devido um modelo de crenças que reflete que a pessoa atribui mediana intensidade às crenças do Modelo, o que caracteriza um estilo de mediana passividade no padrão comportamental vinculado ao MCD, e que a pessoa está em uma área intermediária entre as condições de risco e as condições de proteção no que se refere a resiliência no MCD.

4 - No entanto quando resultar na categoria "Forte no Estilo de Passividade", ela revela que a pessoa atribui leve intensidade às crenças do MCD, resultando em um padrão comportamental de leve passividade para com as situações adversas relacionadas ao MCD, e que a pessoa está em uma área segura entre os fatores de risco e os fatores de proteção no que se refere a resiliência no MCD.

5 - Já com a ocorrência da categoria "Excelente" denota a atribuição de um valor central às crenças do MCD, o que implica estar em uma Área de Equilíbrio e haver excelente comportamento de resiliência no MCD.

6 - Quando apresentar a categoria "Forte no Estilo de Intolerância", ela revela que a pessoa atribui leve intensidade às crenças do MCD, resultando em um padrão comportamental de leve intolerância nas situações adversas relacionadas ao MCD, e que o respondente está em uma área segura entre os fatores de risco e os fatores de proteção no que se refere a resiliência no MCD.

7 - Ao ocorrer a categoria "Boa no Estilo de Intolerância", ela nos indica um valor médio devido a um modelo de crenças que reflete que a pessoa atribui mediana intensidade às crenças do Modelo, o que caracteriza um estilo de mediana intolerância no padrão comportamental vinculado ao MCD, e que a pessoa está em uma área intermediária entre as condições de risco e as condições de proteção no que se refere a resiliência no MCD.

8 - No entanto quando resultar na categoria "Moderada no Estilo de Intolerância", ela nos indica que a pessoa atribui alta intensidade às crenças do Modelo, o que caracteriza um estilo de moderada intolerância em seu comportamento relacionado ao MCD, e que a pessoa está em uma área intermediária entre as condições de risco e as condições de proteção no que se refere a resiliência no MCD.

9 – E quando apresentar a categoria "Fraca no Estilo de Intolerância", ela corresponde a um valor extremado devido a um padrão de respostas que reflete que a pessoa atribui elevadíssima intensidade às crenças relacionadas ao MCD, indicando quanto a pessoa acredita e defende tais crenças, caracterizando um padrão comportamental típico de intolerância, resultando em vulnerabilidade cognitiva no MCD.

Conclusão

Ao ler-se os índices com a lógica acima se deve ter-se em mente que cada uma das interpretações se refere ao seu Modelo de Crenças Determinante (MCD). Uma visão global só é possível quando se construiu a interpretação dos 08 (oito) MCDs que utilizamos para mapear resiliência, conforme desenvolvi em http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/resiliencia-o-que-e-isso-desdobramentos-no-conceito/49923/ .

 

*o autor é Pedagogo, Mestre e Doutor em psicologia. Diretor Científico da Sociedade Brasileira de Resiliência (www.sobrare.com.br) e atua como Coach no contexto corporativo.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: escala de resiliência interpretação de índices de resiliência