Revisitando The Changing World of the Executive, de Peter Drucker

"Gerentes também precisarão questionar o papel da inormação em suas organizações. Quem deve ter acesso a qual informação? Como a informação pode ser protegida contra fraudes, espionagem industrial ou fofocas?", escreveu Drucker na década de 1980

Jeff McNeill/creative commons

Os salários dos executivos aumentam. O futuro do sistema de saúde. O desaparecimento de empregos na indústria. Sobrecarga informacional. Todos esses assuntos estão em alta hoje. Eles também foram abordados por Peter Drucker durante os anos 1970 e 1980, como pode ser visto no livro The Changing World of the Executive (sem edição em português), de Peter Drucker.

Drucker escreveu regularmente para várias publicações e publicou coleções com seus artigos, como eu mostri em meu post Peter Drucker: escritor freelancer. No entanto, a antologia The Changing World of the Executive veio de colunas escritas no Wall Street Journal entre 1975 e 1981.

Embora o livro original tenha saído de circulação, foi reeditado em 2010 pela Harvard Business Review Press como parte da série "A Biblioteca de Drucker". Drucker divide o livro em cinco seções: agenda executiva, performance nos negócios, o terceiro setor, pessoas e trabalho e o mundo em transformação. Ele escreve uma breve introdução para cada seção. Por exemplo, a introdução de pessoas e trabalho diz: "a frase 'pessoas são nosso único recurso' tem sido um slogan executivo pelos últimos oitenta anos. Mas muito poucos executivos dão atenção a esse recurso".

Um assunto de maior importância é a política de aposentadoria. Drucker tinha 72 anos quando o livro foi publicado e todas as peças foram escritas depois dos 65 anos do escritor. Ele, é claro, nunca se aposentou e viveu até os 95 anos. Também é um período em que ele demonstrou uma produtividade de publicações impressionante. Além de um fluxo constante de novos artigos, em 1980 veio um livro com material inédito, Managing in Turbulent Times, seguido pela coleção Toward the Next Economics and Other Essays no ano seguinte, e então The Changing World of the Executive.

Mais tarde, em 1982, veio o primeiro de seus dois romances. The Last of All Possible Worlds. A primeira edição saiu de circulação, uma reedição foi publicada ano passado em volume único com o seu segundo e último romance, The Temptation to Do Good, de 1984, pela Paul Dry Books.

Muitas das edições deste livro, conforme dito acima, continuam conosco. No ensaio "A 're-industrialização' da América", lemos o seguinte: "As pressões demográficas são tão grandes e irreversíveis que elas tornarão fúteis qualquer política que tente manter a tradicional empregabilidade dos trabalhadores urbanos nas plantas industriais tradicionais".

Embora nem tudo o que foi escrito em The Changing World of the Executive seja preciente ou direcionado, Drucker foi estranhamente preciso e à frente do seu tempo em outro ensaio de 1980, "A Explosão da Informação". No artigo, ele afirma que, com o crescente uso de computadores desktop nos negócios, eram nítidos "os riscos do gerente ficar sobrecarregado com papéis e dados. De fato, o problema crítico não será como ter ou como processar informações, mas como definir o que é informação".

Mais à frente, no mesmo ensaio: "Gerentes também precisarão questionar o papel da inormação em suas organizações. Quem deve ter acesso a qual informação? Como a informação pode ser protegida contra fraudes, espionagem industrial ou fofocas? Como a privacidade pessoal poderá ser resguardada?" A essas perguntas, podemos acrescentar: Drucker ficaria surpreso por estarmos lidando com essas mesmas questões muitos anos depois de ter escrito o ensaio?

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração