Ser eficiente ou eficaz? Operacional ou Parentético?

A diferença entre o Homem Operacional e o Homem Parentético pode ser resumida como a mesma explicação da diferença existente entre ser eficiente(operacional) e ser eficaz(parentético).

Edson Fernando,
O Homem Operacional surgiu juntamente com a Revolução Industrial. As primeiras indústrias precisavam de pessoas apenas para produzir. A criação ficava com o patrão. Neste contexto, sempre objetivando o produção cada vez maior e mais eficiente, foi implantado as linhas de produção. Com isto ficou claro que as empresas ficavam cada vez mais dependentes de trabalhadores com o perfil do "Homem Operacional".

 

Na teoria administrativa, o homem operacional equivale ao homo economicus, ao homo sociologicus e ao homo politicus. Basicamente ele é caracterizado como funcional, mecanizado. Conhecido apenas pela eficiência, pela perfeição com que executava suas tarefas. Parece muito mais com uma máquina do que com um ser humano. Para ele, a empresa é tudo, seu trabalho é tudo. Por isso dedica-se a fazer o que lhe é passado da forma mais perfeita possível.

 

Hoje, o mercado de trabalho está buscando indivíduos cada vez mais, digamos, "humanos". Já passou o tempo que as empresas precisavam de homens mecanizados, eficientes. As empresas de hoje não precisam mais de funcionários que executem a mesma ação de forma perfeita. Existem máquinas para isso. Ela precisa de pessoas que criem, evoluam, sejam eficazes.

 

O que se busca hoje é o "Homem Parentético". Esse Homem são as pessoas que buscam conciliar sua vida profissional com a pessoal, são altamente críticos, tem opinião, voz e vez. Gostam do que fazem, mas não dão o "sangue" pela empresa. Trabalham nela, fazem ela crescer, são dedicados a ela, mas desde que sua vida pessoal não seja afetada. São eficazes.

 

As empresas já perceberam isto. Pelo menos aquelas que buscam acompanhar a evolução do mercado de trabalho. As empresas que mais crescem atualmente buscam a todo custo tais funcionários. Quem tem este perfil(é um homem parentético) está sendo disputado a "tapa" pelas organizações.

 

Mas como saber se você tem perfil de parentético? O adjetivo "parentético" deriva da noção de Husserl de "suspensão", de estar "entre parênteses". Husserl faz uma distinção entre uma atitude natural e uma crítica. Mas denominar um profissional como parentético vai além disso.

 

A diferença entre o Homem Operacional e o Homem Parentético pode ser resumida como a mesma explicação da diferença existente entre ser eficiente(operacional) e ser eficaz(parentético). O eficiente faz as coisas da forma mais perfeita possível. Ele busca sempre a perfeição do que faz, não se preocupando se o que faz está certo ou errado. Já o eficaz primeiro busca fazer o melhor caminho, a melhor forma de fazer algo. Depois ele se preocupa com a "perfeição" do trabalho. Em resumo, eficiente faz algo procurando a perfeição, enquanto o eficaz faz o melhor da melhor forma.

 

Ser eficaz é a caracteristica mais valorizada na escolha de um profissional hoje. Ele precisa ter visão crítica, para ser capaz de escolher a melhor opção, o melhor caminho. Ele precisa ser flexível, para ser capaz de mudar rapidamente de um caminho para outro melhor. Ele precisa ter atitude, para realizar suas atividades. Mas isso todos já sabem. A maioria inclusive já tenta desenvolver em si tais caracteristicas.

 

Só que ter estas caracteristicas não são suficientes para definir alguém como um "Homem Parentético". O grande diferencial hoje e que define alguém como tal homem, com certeza é alinhamento entre o que ele prega na teoria com o que faz na prática. O que ele fala tem que ser o que ele faz. Este sim é o diferencial do profissional disputado pelo mercado.

 

Com tantos cursos de oratórias e livrinhos de boas maneiras, qualquer um que tenha vontade e dedicação consegue ser um bom profissional, pelo menos aparentar ser. Só que ao mesmo tempo evoluíram os processos seletivos das empresas, cada vez mais aliados a psicologia, sendo agora capazes de identificar e eliminar funcionários que tem essa aparência de ideal, mas apenas estão fazendo cena.

 

Por isso tenho a opinião que mesmo existindo cursos que ensinem você a ser algo próximo do ideal, como cursos de oratória, de apresentação e até cursos para "despertar a criatividade" que existem por ai, busque desenvolver seus verdadeiros talentos. Busque desenvolver sua essência, para não cair em contradição entre o que fala para os outros fazer e o que você realmente faz.

 

Não adianta um policial dizer que combate o crime se ele se é corrupto. Um nutricionista dizer que devemos evitar o consumo de bebidas alcoólicas e carnes gordurosas se todo fim de semana ele faz um "churrasco" para os amigos. Um profissional de Educação Física que não pratica atividades físicas. Tudo se resume a credibilidade que o profissional passa aos outros.

Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.