Strategic Sourcing e e-Procurement já no dia a dia das Pequenas e Médias Empresas

Antes exclusividade das grandes empresas e multinacionais, técnicas e ferramentas associadas à gestão da cadeia de suprimentos como Strategic Sourcing e e-Procurement se difundem entra as pequenas e médias empresas. Natural, pois os desafios enfrentados são os mesmos: falta de visibilidade dos custos e suas tendências na cadeia produtiva, busca por competitividade de mercado e sustentação de margens à médio e longo prazo.

É consenso que o custo dos produtos e serviços comprados pelas empresas podem chegar a até 70% do seu custo total e sabe-se que cerca de 90% das empesas desconhecem seu custo total de aquisição, que por sua vez é bastante diferente dos preços pagos aos fornecedores pelos produtos e serviços adquiridos.

Igualmente, cerca de 30% do valor das compras são não produtivas, conhecidas também como compras indiretas, por exemplo, Facilities Utilidades, Segurança e Vigilância, Frota, Transporte, Benefícios, Viagens, dentre outros e nesses casos, a falta de visibilidade e controle é ainda maior, com variações que podem chegar a 40%!

A pergunta é: Como gerir tantas variáveis?

Antes de tudo, buscar redução de custos na cadeia de suprimentos como uma atividade isolada e focada em si mesma pode ser bastante frustrante pois em pouco tempo tanto os fornecedores quanto os custos tendem a acomodar-se ou mesmo voltarem aos patamares anteriores.

Toda e qualquer ação no sentido de gerir-se os custos na cadeia de suprimentos deve ser continuamente mensurável e resultar em uma vantagem competitiva sustentável ao longo do tempo.

É nesse momento que técnicas como Strategic Sourcing fazem toda a diferença pois de uma maneira objetiva estratificam os custos na cadeia assim como abordam esses custos pragmática e sistematicamente através de etapas estruturadas que vão desde o entendimento das necessidades do cliente e conhecimento do mercado fornecedor até a geração de acordos de longo prazo com regras claras e objetivas. A boa notícia é que antes exclusividade das grandes consultorias, tais técnicas estão hoje bastante bem disseminadas e ofertadas por consultorias especializadas com estrutura adequada para atender a clientes de qualquer porte.

Igualmente, o aumento da concorrência e a significativa redução das complexidade técnicas permitiram que as ferramentas para comércio eletrônico entre empresas (B2B) e Leilão Reverso passassem a ser altamente acessíveis a empresas de qualquer porte, abrindo-se então um leque de oportunidades que vão desde o acesso a inúmeros e-Markeplaces até a completa automação do processo de compras resultando em expressivos ganhos tanto qualitativos como segurança, controle e rastreabilidade nas transações como quantitativos dentre os quais reduções de custos em até 30%, redução dos níveis de estoquem em até 50% e redução nos tempos médios de compras que podem chegar a incríveis 90%!

Em resumo, melhores práticas e tecnologia em Compras como elementos de alavancagem de competitividade no negócio.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: compras corporativas e-procurement global procurement strategic sourcing supply chain