Mais comentada

"Vestir a camisa da Empresa"

Paulino de Souza,
Vivemos em uma época em que, para que a empresa faça diferença diante de seus clientes e supere sua concorrência, é preciso que ela e seus colaboradores estejam em constante interação, de modo que haja compromisso mútuo e recíproco na busca incessante pelo alcance das metas das organizações. Com a valorização cada vez maior da participação dos funcionários na gestão da empresa surgiu um jargão que, com o passar do tempo, passou a ser empregado com ênfase e com o intuito de demonstrar aos colaboradores sua importância: “VESTIR A CAMISA DA EMPRESA”. Em sua essência realmente é um ato que pode fazer toda diferença entre o sucesso e o fracasso da empresa, dada a influencia que o comprometimento da equipe exerce nos resultados obtidos. Comprometimento, compromisso. Essas são as palavras-chave de quem veste a camisa da empresa. Em épocas passadas as pessoas era empregados das empresas, depois passaram a ser funcionários, e hoje, são colaboradores e cada um possui uma função determinada que contribui para o funcionamento global da organização. É preciso, portanto, que cada colaborador tenha a consciência de que sua ação dentro da empresa não influencia somente nos resultados desta, mas no trabalho de toda equipe, pois, dado que hoje o que prevalece no ambiente empresarial é o trabalho em equipe, é preciso compreender que se o trabalho de um não é bem executado, o resultado de todos é comprometido. A empresa, em contrapartida, deve comprometer-se na mesma proporção com o colaborador e dar a ele condições para que seu serviço seja executado da melhor forma possível, ou seja, é preciso que haja sinergia de esforços para que os objetivos sejam atingidos com a participação e colaboração das duas partes envolvidas: empresa e colaboradores, onde cada um se comprometa a desempenhar seu papel com o máximo de empenho. Contudo, é possível notar (não raramente) que vestir a camisa da empresa tornou-se uma expressão facilmente empregada por empresas como forma de “escravizar” seus colaboradores, colocando-os numa situação em que comprometimento é confundido e muitas vezes colocado como sinônimo de estar incondicionalmente disponível para a empresa, independente de dias e horários. De alguma forma e por algum motivo os funcionários são levados a acreditar que, para estar vestido com a camisa da empresa, é preciso abrir mão de momentos de sua vida pessoal e praticamente se fundir, entrar em simbiose com a organização. Dessa crença surgem diversos problemas notórios: treinamentos em horários e dias além do horário de trabalho, horas-extras realizadas e não recebidas, colaboradores sendo eternamente tratados como empregados, frustração profissional, metas não atingidas, entre tantas outras. As teorias administrativas, sobretudo as motivacionais, apontam que o homem é um ser social, que possui necessidades diversas. Dentre estas pode-se mencionar a necessidade de equilibrar vida pessoal e profissional. Vestir a camisa da empresa, portanto, vai além de cumprir e realizar atribuições além do necessário e estar 100% disponível para a organização somente para a realização das tarefas rotineiras. É preciso absorver e colocar em prática os valores e as crenças da empresa para que sua missão seja realizada com a contribuição efetiva dos colaboradores sem que haja desmotivação e sensação de que somente a “força bruta” garante bons resultados à organização.
Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Vagas de trabalho