Mais comentada

Visão contemporânea da gestão de pessoas nas organizações

Pessoas, Mudança, Gestão e Sustentabilidade. No âmbito da Gestão de Pessoas, a necessidade da mudança é urgente; dos velhos paradigmas da era industrial e do modelo militar, para a Gestão com Pessoas (com Gente); para a era do conhecimento, da cooperação, da sustentabilidade e das novas tecnologias da informação

Marcelo Correa,

A Visão contemporânea da gestão de pessoas, parte do princípio de que o mundo está mudando, as pessoas estão mudando e, consequentemente, as organizações estão em processo de mudança.  Assim como as pessoas hoje têm mais e melhor acesso à informação, conhecimento, novas tecnologias, as empresas também estão mudando seus velhos conceitos ou paradigmas, em processo de constante aprendizado; "a organização que aprende", sendo que muitas vezes, é necessário desaprender para poder aprender.

No âmbito da gestão de pessoas, a necessidade da mudança é urgente; dos velhos paradigmas da era industrial e do modelo militar, para a Gestão com Pessoas (com Gente), para a era do conhecimento, da cooperação, da sustentabilidade e das novas tecnologias da informação.

O Capitalismo mundial continua no seu eterno ciclo de crises e retomadas de crescimento, estouram algumas "bolhas", formam-se outras; e "assim caminha a humanidade".  Crise nos chamados "países desenvolvidos", agora também afetando os "emergentes"; causas e efeitos da globalização ou mundialização; oscilações nos mercados globais; concorrência com produtos importados; falta ou má qualidade da infraestrutura do país (portos, aeroportos, rodovias, ferrovias...); alta carga tributária; alto custo de produção no Brasil; tendência de voltarmos a ser assombrados pelo fantasma da inflação; redução do "spread" ou margem de lucro em geral; entre outras tantas turbulências.

Mas com um ambiente externo tão conturbado e competitivo, por mais contraditório que possa parecer, um dos grandes desafios atuais na Gestão de Pessoas é "cooperar para poder competir"; conciliar prazos, necessidade de resultados, com cooperação interna e externa, de forma estratégica.

No ambiente interno das empresas, os efeitos podem ser sentidos em aspectos relacionados ao aumento da capacidade crítica das pessoas, tendo em vista o maior acesso à informação, ao conhecimento, tornando-as assim, mais exigentes em relação aos valores, políticas internas, teorias e práticas de gestão, estrutura organizacional, hierarquia, autonomia, clima e cultura organizacional, critérios de contratação e promoção, entre outras questões.

Podemos citar como assuntos cada vez mais frequentes nas discussões sobre os desafios da gestão de pessoas nas empresas: política x politicagem; cooperação x competição; centralização x delegação; concentração e perpetuação do poder (ou no poder); e os desafios relacionados a mudanças na cultura organizacional: foco nas pessoas, no Capital Intelectual, ao invés do foco apenas no capital (Financeiro); foco no estratégico, no negócio, ao invés do foco no operacional (processos). 

Fortalecer o capital intelectual, significa entender a importância das pessoas na organização, não apenas como "recursos humanos", mas como Gente com competência e comprometimento, conscientes de seus direitos e deveres, com C.H.A. (Conhecimento, habilidade e atitude). Assim, um Gestor com visão contemporânea, estratégica, se esforça e investe no sentido de desenvolver e fortalecer seus colaboradores, parceiros, ou seja, defende o capital intelectual da organização.

Uma organização com visão contemporânea de Gestão de Pessoas, possui clareza estratégica, fazendo com que a "Missão, Visão, Valores e Objetivos" sejam assimilados e praticados por todos os colaboradores de forma consciente, criando um alinhamento, cooperação, ou seja, sentido de união das pessoas em torno de objetivos comuns, conhecidos e reconhecidos, como sendo de responsabilidade de todos, não apenas da cúpula da organização. 

Destacamos ainda, algumas tendências para a área da gestão de pessoas: descentralização do poder, do conhecimento e da liderança, como pontos que serão cada vez mais compartilhados por todos, não sendo mais monopólio ou exclusividade de um pequeno grupo dentro da organização; a estrutura organizacional tende a se achatar ou se horizontalizar, diminuindo cada vez mais a "distância" entre cargos, setores e departamentos.

É essencial que as pessoas desenvolvam, cada vez mais, a visão holística da organização, a visão sistêmica ou do todo; é o "pensar global e agir local", dentro do conceito de sustentabilidade organizacional, ou seja, ao invés do velho conceito de que uma empresa existe apenas para dar lucro, temos hoje um conceito bem mais amplo; obtenção de resultados com base no triple bottom line: People, Planet, Profit (pessoas, planeta e lucro), que é o chamado tripé da sustentabilidade, para a promoção do desenvolvimento sustentável, válido e aplicável para todas as esferas da atividade humana; para as pessoas, para as empresas, para os governos, para a humanidade e para o planeta como um todo.

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Shopping