Você sabe quais os 5 principais erros dos gestores de PMEs?

Um dos erros mais comuns que os gestores de PMEs cometem nas suas empresas e, o primeiro deles, é a centralização.

iStock

Um dos erros mais comuns que os gestores de PMEs cometem nas suas empresas, e o primeiro deles - é a centralização.

Acreditar que sempre têm de fazer tudo, de saber tudo, que tudo tem de passar por suas mãos e que nada pode ser decidido sem seu aval.

Pois bem, vai chegar uma hora que o negócio vai crescer e como será possível dar conta de tudo? Como será possível conciliar o trabalho com a família, descanso, lazer?

O segundo erro deriva do primeiro. Continuar na operação. Há gestores que são muito bons na operação, na logística, em vendas, no contato com os clientes. Isto não precisa ser perdido, mas é preciso ter alguém bem treinado para assumir estas funções e o gestor só bater o martelo.

O gestor tem de estar no controle da empresa no que diz respeito à estratégia, ao rumo do negócio, a outras possibilidades, a novos canais, a novas oportunidades de vendas, de novos produtos, de joint venture, de sociedades, de abertura de novas unidades, de franquias.

Ou seja, olhar o negócio de cima. Garantir a sua perpetuidade, saber para onde este negócio vai, o quanto ele vai crescer.

A pergunta do milhão: onde você quer estar daqui a 5, daqui a 10 anos? Quem o sucederá?

Para responder a esta pergunta é preciso traçar uma estratégia, um plano de vôo:

  1. Onde eu estou?
  2. Onde quero chegar?
  3. Como eu chego lá?
  4. Com quem?
  5. Em quanto tempo?
  6. Quanto eu vou investir?
  7. E qual é o retorno que eu quero ter?
  8. E em quanto tempo?

O terceiro erro é não ter um bom financeiro. Não aquele profissional que paga as contas, que recebe dos clientes e que emite notas fiscais.

É alguém que vai orientar os investimentos da empresa, que vai administrar um budget para que o gestor saiba exatamente quanto tem em caixa, para onde este dinheiro vai, quanto será distribuído para os sócios, quanto será reinvestido na empresa, quanto será destinado à contratação de novos profissionais e o quanto será investido em tecnologia, desenvolvimento e expansão. E, muito importante, qual o cronograma de desembolso.

Ter um bom financeiro permite aos gestores uma ideia clara de crescimento e de futuro e vai contribuir muito na estratégia de aonde se está, para onde se quer chegar.

O quarto erro é a inserção de membros da família no negócio sem um planejamento detalhado.

Para que este herdeiro não seja visto como um privilegiado e para seu desenvolvimento profissional, é importante que haja um plano que defina:

  1. O que ela vai fazer;
  2. Com quem vai trabalhar;
  3. Por quais departamentos vai passar;
  4. Qual o período de tempo em cada departamento e otempo total que ficará na empresa -ficará definitivamente ou por um tempodeterminado e depois sairá para trabalhar no mercado, conhecer a concorrência paradepois utilizar esta experiência na empresa;
  5. Ao voltar que cargo irá ocupar.

O quinto erro também fala de contratação, porém sob a ótica de trazer profissionais do mercado.

É muito comum ouvirmos a seguinte afirmação: “Ah, mas este profissional não vai querer trabalhar na minha empresa. Minha empresa é pequena”.

Muitas vezes a empresa deixa de contratar boas pessoas por acreditar que não merece ter um profissional de mercado. Mas, merece sim!

Há muitos profissionais que querem trabalhar em pequenas ou médias empresas pela oportunidade de utilizar a bagagem adquirida para ajudar a empresa a crescer e crescer junto com ela.

Você já deve ter percebido que existem inúmeras pessoas que estão querendo qualidade de vida. Trabalhar naquilo que gostam, que acreditam e terem tempo para si.

Há excelentes profissionais que passaram dos 40, dos 50, com uma enorme bagagem, que trarão conhecimento, habilidades em gestão de pessoas, gerenciamento de  projetos e experiências adquiridas em grandes corporações, além da habilidade social.

E, como se sabe. Contrata-se pelo currículo e demite-se pelo comportamento.

Então. Procure uma pessoa que queira trabalhar em uma pequena ou numa média  empresa ou em uma empresa familiar. Que tenha esta disponibilidade de se adaptar a esse meio que é diferente.

E acredite, sua empresa pode sim ter um bom profissional do mercado que contribuirá muito na melhoraria de processos e na dinâmica da sua empresa.

Se você quer saber mais sobre estes e outros assuntos, entre em contato, será um prazer ajudar. 

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: Canal Gestão PME Estratégia Empresarial Gestão de Pequenas e Médias Empresas Gestão de Pessoas Gestão Empresarial Gestão Estratégica Empresarial Gestão PME

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração