A IMPORTÂNCIA DOS MEIOS DE TRANSPORTES PARA A LOGÍSTICA EMPRESARIAL

No atual ambiente econômico, caracterizado pelos fenômenos da globalização e da inovação tecnológica, a logística vem se transformando num dos principais instrumentos para o aumento da competitividade empresarial. A cada dia surgem novas tecnologias e abordagens gerenciais que impulsionam e tornam mais importante a logística empresarial. Tal dinâmica impõe às empresas a necessidade de revisão contínua de suas práticas gerenciais e operacionais, com o objetivo de expandir as fronteiras da produtividade e atingir a excelência no atendimento aos clientes. Acompanhar estas mudanças e liderar o processo de transformação necessário para aperfeiçoamento da capacitação logística é um dos maiores desafios dos executivos de topo das organizações vencedoras. Podemos afirmar que em tempos de globalização e de alta competitividade empresarial, a logística, hoje em dia, é sem sombra de dúvidas o grande diferencial em termos de gestão administrativa.

JosuÉ de oliveira,
Os sistemas de transportes de todo o mundo, seja de carga ou de passageiros, sempre assumiu uma característica importante nas políticas gerenciais. Como é sabido dos estudiosos em Administração, uma organização que necessite de algum meio de transporte para defender seus objetivos, deve tratá-lo da mesma forma que trata a compra de qualquer outra mercadoria: tomando como base a qualidade, o preço e o serviço. Deve, pois, transportar seus produtos por meios que garantam pronta entrega, com um mínimo de extravio ou dano à carga, que tenha disposição para cooperar em caso de eventuais modificações, que cometa o mínimo de erro no faturamento e assim por diante. Para tanto, o administrador deve saber o seguinte sobre os possíveis meios de transporte que poderá contratar:

- Transporte Rodoviário: Os caminhões, as carretas, as caminhonetes e demais veículos de carga rodoviários são responsáveis por 55% de todo o volume de carga transportado no Brasil. Esta estatística talvez não seja tão representativa na Europa e nos estados Unidos uma vez que os transportes ferroviários, marítimos, de cabotagem e até mesmo aéreos são mais viáveis, dentro de um contexto econômico, que no Brasil. As maiores vantagens trazidas por esse meio seriam o preço competitivo, apesar de existirem meios mais baratos (ferroviários, marítimos, cabotagem, etc.), o grande poder de interconectivdade, isto é, a grande capacidade de se chegar onde quiser e aproveitar outros meios de transporte (por exemplo, temos os casos de caminhões que embarcam em balsas para economizarem parte de percurso),a velocidade de entrega, uma das maiores, e a sua capacidade de carga, que abrange quase todas as necessidades. Por essas colocações, o transporte rodoviário é o mais comum no Brasil e no mundo.

- Transporte Ferroviário: No Brasil, o transporte de cargas por ferrovias parece ser de bom tamanho tendo em vista o tamanho da Federação, mas, apesar de muitos projetos e incentivos governamentais, essa idéia anda cada vez mais para trás em relação aos demais meios de transporte. A esperança maior fica por conta da privatização das ferrovias brasileiras tentando tirar a ferrugem dos trilhos, muitas vezes até virgens. A nível mundial poderíamos até dizer que é o mais utilizado, sobretudo na Europa, Ásia e América do norte, onde os trilhos chegam a grandes distâncias, facilitando a distribuição dos bens produzidos. O que podemos observar é que o transporte ferroviário teve uma alavancagem bastante forte entre os anos 60 e 70, crescendo de 17% para 24% a sua participação no transporte de carga, principalmente nas cargas para longas distâncias, que é o forte do transporte ferroviário. Mas vem perdendo terreno desde então. Sua conectividade é relativamente boa para os transportes rodoviários e aquáticos. A capacidade de carga é bastante elevada, o que atende sobretudo o mercado de extrativismo mineral, como é o caso das duas ferrovias que atendem as necessidades da Companhia Vale do Rio Doce, e agrícola, para escoar suas mercadorias para longas distância e portos do país, como o de Santos - SP, abrindo o caminho para o mercado exterior. É um transporte de considerável segurança mas exige uma acomodação cuidadosa do produto durante o transporte. Em matéria de custo, está competindo com o transporte rodoviário. O problema é que as tarifas dos meios de transporte rodoviário chegam quase à equivalência das tarifas das ferrovias. Em outros casos, os preços empregados chegam até mesmo a competir com os transportes marítimos e de cabotagem, tido como os mais baratos. Assim, deve-se observar que a força do transporte ferroviário está no transporte de cargas de alto volume e que se destinem a grandes distâncias atendidas pela rede ferroviária.

- Transportes por Dutos: Sem dúvida alguma esse é o meio de transporte mais barato que existe, mas é muito restrito ao material transportado: água(aquedutos), derivados de petróleo (oleodutos) e gás (gasodutos). Apesar de ser um investimento elevado, o retorno é praticamente seguro.

- Transporte Aéreo: Desde o término da Segunda Guerra Mundial o volume físico do frete aéreo aumentou pelo menos 50%, embora a tonelagem total ainda seja apenas uma fração muito pequena da transportada por ferrovias e caminhões (no contexto mundial). O único fator que apresenta moderado crescimento é o fato de as tarifas aéreas serem duas vezes mais altas que as cobradas pelas estradas de ferro e linhas de caminhões. É óbvio que para algumas remessas, a velocidade é fator importante e a expedição deve ser feita da forma mais rápida possível, quase sem levar em conta os custos. Mas há, pelo menos, duas outras razões para o veloz crescimento dos carregamentos aéreos: primeiro, as tarifas aéreas não são tão altas como se aparentam. Na maioria dos casos é possível usar containers mais leves e nem sempre é necessária qualquer tipo de embalagem. Em segundo lugar, é notório que a utilização de fretes aéreos barateia consideravelmente os custos desse meio de transporte. Devemos considerar, ainda, o fator segurança, que certamente é bastante alto no transporte aéreo.

- Transporte Aquático: Como transporte aquático podemos citar o marítimo e o de cabotagem.
O transporte marítimo é a maneira mais barata, e geralmente mais lenta, de remeter qualquer mercadoria - particularmente em grandes cargueiros. Esse transporte é preferido para grandes cargas e grandes distâncias, sobretudo intercontinentais, por garantir uma ótima flexibilidade de rotas na maioria do percurso.

A navegação de cabotagem, que é feita em rios ou costa marítima, é razoavelmente utilizada no contexto brasileiro. É mais lenta porém mais barata que o transporte aéreo, rodoviário ou ferroviário na maioria dos casos. São utilizados pequenos cargueiros e balsas. O sucesso desta navegação depende das condições geográficas da região a ser atendida e do tamanho e condições de navegação da costa marítima visada.

A importância desse meio de transporte é tão considerada que o homem chega mesmo a desafiar a natureza, como acontece no canal do Panamá, América Central, onde o relevo acidentado deu lugar a uma passagem para navios através de comportas e tanques d'água elevadiços. Já o Canal de Suez, no Egito, é tão importante para o mundo que se fosse fechado , provocaria uma forte crise de petróleo no mundo, tendo em vista que ele está localizado em um ponto estratégico, ou seja, na região do Oriente Médio.

Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.