Apps ajudam a promover a inclusão de crianças com necessidades especiais

Utilizados como instrumentos auxiliares no processo de ensino e aprendizagem, os aplicativos podem impulsionar uma verdadeira revolução

Reprodução
FreeSpeach representa informação em mapa ilustrado

O campo das tecnologias educacionais está passando por um período de “empolgação”. Desde a abertura massiva de cursos onlines a uma variedade de aplicativos para tablets e smartphones, a área está cheia de interessantes inovações que têm ajudado a mudar drasticamente a “imagem” da educação. Existe um nível elevado de autoaprendizado e a partir do modelo “sage on the stage” (o tradicional “professor no palco”) a educação evoluiu para o modelo “guide on a side” (em que o professor passar a ser um auxiliar em meio a uma multiplicidade de recursos e conhecimentos). E em áreas específicas, como a educação especial, onde os modelos “guide on the side” são a norma, há uma revolução acontecendo, auxiliada pelo tablet e por diversos aplicativos.

No meu programa 1M/1M, eu me deparei com uma empresa bastante inovadora no campo da educação especial, a “indiana” Invention Labs. Com sua última inovação, chamada “FreeSpeach” (“Discurso Livre”, em português), ela aborda um problema crescente que atinge crianças com necessidades especiais. Para cada grupo de 88 crianças nos Estados Unidos, uma é diagnosticada com autismo. A incidência de dislexia é de 15% nas crianças do sistema educacional estadunidense.

Existem cerca de 6 milhões de crianças com necessidades especiais nos Estados Unidos e um total de 24 milhões nos EUA, Canadá, Europa, Japão, Coréia do Sul e no oeste da Ásia. Ajudar essas crianças com dificuldades de fala a progredirem na comunicação e na linguagem é uma necessidade crescente.

Trabalhando como uma equipe de 25 terapeutas e quase 300 crianças, a equipe do Invention Lab inicialmente desenvolveu um tablet e depois um aplicativo chamado Avaz, que ajuda crianças autistas a se comunicarem substituindo palavras por imagens. O FreeSpeech, por outro lado, representa a informação em um mapa ilustrado que captura significados em uma estrutura de linguagem independente. Uma frase do FreeSpeech é alimentada em algoritmos de um software chamado “FreeSpeech Engine”, para convertê-la gramaticalmente em frases em inglês, bem construídas e com significado. Isso pode muito bem revolucionar a forma como as línguas são ensinadas às crianças com necessidades especiais. Quando o Avaz é integrado ao FreeSpeech, ele engloba problemas não apenas para crianças com autismo, mas também aquelas com dislexia ou até mesmo afasia (dificuldade para falar). O fato de ser independente de idioma o torna um aplicativo universal de capacitação em linguagem.

O Avaz é “prescrito” por meio de avaliação terapêutica para que os pais das crianças comprem ou pelo programa terapêutico da escola. O software é aplicado gradativamente e se torna parte integral da vida da criança ao ajudá-la a se comunicar tanto no ambiente social como no acadêmico. Tendo uma visão holística do processo de desenvolvimento da linguagem, o objetivo do software é ensinar a criança padrões de linguagem subjacentes ao mesmo tempo em que integra com métodos existentes de terapia da fala – língua, linguagem. Eles também “integram” áudio adicional e reforço visual para combater dificuldades sensoriais. Além disso, o aplicativo é fácil de customizar, permitindo os usuários adicionar uma nova frase em apenas 15 segundos. Pelo preço de US$ 99 a US$ 120, é bastante acessível à maioria dos consumidores.

O fundador Ajut Naraynan compartilhou um exemplo emocionante de como o aplicativo pode mudar vidas. Com a ajuda do Avaz, um garoto indiano pode sair da sua aula de educação especial por ganhar a habilidade de participar e comunicar.

A empresa aponta inúmeros exemplos de como validar o poder da tecnologia. Ajit recebe várias correspondências diariamente, de mães que pela primeira vez ouviram o que os filhos queriam para o jantar, de terapeutas orgulhosos da criança que passaram a poder ler livros de uma biblioteca. Histórias de capacitações como essas são inspirações para sonhos e inovações.

Por seu trabalho, Ajit foi nomidano em 2011 para a lista global do MIT Technology Review de 35 Jovens Inovadores e também recebeu o Prêmio Nacional de Capacitação de Pessoas com Necessidades Especiais do presidente da Índia. Avaz é avaliado pela Apple e pelo Google como o dispositivo de assistência de fala número um na Índia e está rapidamente ganhando “tração” entre fonaudiólogos nos EUA, Europa e Austrália.

Tradução: Dandara Costa

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)