Dispositivo "futurístico" coleta sangue sem causar dor

Com 30 micro-agulhas que penetram as camadas mais superficiais da pele, o TAP coleta 100 microlitros em dois minutos, quantidade necessária para realizar os exames mais comuns

Nada de dor ou agulhas na hora de coletar sangue. É o que promete o TAP (Touch Activated Phlebotomy, ou Flebotomia Ativada pelo Toque, em tradução livre), um dispositivo de coleta de sangue desenvolvido pela empresa americana Seventh Sense Biosystems (7SBio) que deve chegar ao mercado em breve.

Com 30 micro-agulhas que penetram as camadas mais superficiais da pele, o TAP coleta 100 microlitros em dois minutos, quantidade necessária para realizar os exames mais comuns. Quem já testou o TAP, afirma que sua função e formato de disco lembram um dispositivo de série futurística. "Eu testei. É como um pequeno disco que você coloca em seu braço que tem 30 micro-agulhas que perfuram a pele. Ele cria um vácuo e puxa o sangue de forma eficaz e completamente sem dor. Lembra de Bones no Star Trek? Ele coletava sangue e outras informações biométricas sem dor, com algo que parecia um vibrador ou um telefone celular. É esse o caminho que estamos seguindo", disse D.A. Wallach, um investidor que experimentou o TAP. 

A empresa afirma que deseja revolucionar o modo como fazemos exames de sangue. "O processo de colher amostras de sangue é o mesmo há décadas. Um profissional da saúde habilidoso precisa colocar uma agulha dentro de você, o que dói e não agrada os pacientes. É antiquado e barbárico", afirmou Stuart Blitz, o chefe de negócios da 7SBio, ao Medscape Medical News.

O dispositivo, no momento, está sob análise da agência americana de administração de drogas FDA, que precisa aprovado antes de ser comercializado. A aprovação está na fase final, e a empresa quer lançar o produto nos próximos meses. Ainda não se sabe quanto será o seu custo, mas para competir com as agulhas de dedo mais modernas, que custam 30 dólares, o TAP não deve ser muito caro.

Depois de conseguir aprovação do FDA para ser usado por profissionais treinados, a 7SBio buscará aprovar o TAP para uso dos pacientes, que poderão, sozinhos, coletar a própria amostra de sangue onde precisarem. No futuro, a empresa pretende, ainda, incluir um chip digital no dispositivo, que poderá ser integrado a plataformas de laboratórios de diagnósticos para analisar o sangue e prover resultados em poucos minutos.

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração