Mais comentada

Quem chegou primeiro, a Tecnologia ou a Inovação?

Como a Tecnologia e a Inovação influenciam uma a outra em um ambiente onde “nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”

Nas últimas décadas testemunhamos um espantoso desenvolvimento de novas tecnologias que transformaram a nossa vida como um todo, seja na forma de consumir, se comunicar, trabalhar, se divertir. Essas incessantes transformações tornam o mercado mais competitivo e mais exigente, daí a constante necessidade de se investir em tecnologia – seja de novos produtos ou serviços, novos processos – e não perder o compasso no vertiginoso processo evolutivo.

Empresas inteligentes conseguem acompanhar esse ritmo. Empresas inovadoras conseguem ditá-lo. E é justamente a capitalização da tecnologia que sintoniza as organizações ao mundo moderno e amplia sua capacidade de inovação. Ao inovar, a empresa cria tendências, se diferencia de seus concorrentes; agrega valor aos produtos e serviços, encanta clientes, aumenta sua participação no mercado, sua lucratividade; possibilita novas parcerias e novos conhecimentos.

Fazendo uma analogia até rude, eu particularmente percebo a tecnologia como sendo uma ferramenta, enquanto a inovação poderia ser comparada aos diferentes usos que se dá a esta ferramenta. O novo uso demanda uma melhoria na ferramenta e a nova ferramenta possibilita novos usos, seguindo um círculo virtuoso, como por exemplo o aparelho telefônico que evoluiu para o aparelho celular e este para o smartphone.

Seria aquilo que Murilo Gun chama de “combinatividade” ao afirmar que muitas vezes criatividade é combinar coisas já existentes, tomando como exemplo a prensa tipográfica criada pelo alemão Johannes Gutenberg por volta de 1450, ao combinar duas invenções distintas: a prensa de uva com a máquina de cunhar moedas. Mais tarde, através de uma série de novas combinações esse equipamento viria a evoluir para nossa atual impressora, revalidando a frase atribuída ao francês Lavoisier: “nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.

Você já parou para pensar sobre os mais variados usos e combinações dados à roda desde a sua invenção, ainda no final do Neolítico (Período da Pedra Polida)? Seria impossível mensurar. Se uma tecnologia (ferramenta) permite múltiplas funções (inovações) – dependendo da criatividade de quem a possui –, a combinação de tecnologias permite inúmeras inovações. Eis a influência que as apostas em tecnologias exercem sobre as decisões em Inovação, pois quanto mais diversificado o aparato tecnológico, maior a capacidade de inovar.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(6)
Tags: desenvolvimento inovacão mudança tecnologia