Você sabia que um “tradutor” de notas fiscais eletrônicas pode representar uma economia de R$ 10,00 por fatura em uma operadora de telecomunicações?

Os custos inerentes à situação atual (envio da fatura impressa) são altos e trazem diversas desvantagens. Além do custo associado à impressão e postagem, há ainda que contar com o tempo e garantia de entrega da mesma, com um problema adicional: hoje em dia há uma grande porcentagem de faturas não entregues e, consequentemente, não pagas. O que causa um grande prejuízo para a operadora de telecomunicações.

Se há uma área onde o mercado brasileiro pode evoluir é a do envio das faturas eletrônicas no segmento B2B (business to business), principalmente nas telecomunicações. Os custos inerentes à situação atual (envio da fatura impressa) são altos e trazem diversas desvantagens. Além do custo associado à impressão e postagem, há ainda que contar com o tempo e garantia de entrega da mesma, com um problema adicional: hoje em dia há uma grande porcentagem de faturas não entregues e, consequentemente, não pagas. O que causa um grande prejuízo para a operadora de telecomunicações.

A solução passa pela adoção de uma espécie de intermediário entre a operadora e os clientes B2B. A operadora emite (eletronicamente) a fatura que é integrada no portal e disponibilizada para os clientes. Desta forma não há custo de impressão e postagem e a operadora tem a certeza de que a fatura foi entregue, pois tudo fica registrado eletronicamente. O cliente recebendo a fatura mais cedo consegue planejar e efetuar o pagamento a tempo, trazendo a receita no prazo previsto. 

Feitas as contas, há todo um conjunto de vantagens na adoção desse tipo de solução. Só na impressão, os valores custam cerca de R$ 0,05 por cada folha. A esse valor há ainda que acrescentar a postagem, o não recebimento, o reenvio, o que faz com que, facilmente, o custo de uma fatura atinja valores entre R$ 7,00 e R$ 10,00. Multiplique isso por todos os clientes de uma operadora de telecomunicações e facilmente se percebe o nível de economia a cada ciclo de faturamento. 

Ainda mais porque a solução (a do portal que serve de intermediário entre as duas empresas – operadora e cliente) não exige qualquer tipo de investimento em desenvolvimento de software. O portal trabalha com o arquivo gerado pelo sistema de faturamento da operadora. O único custo associado é o de licenciamento. Do lado dos destinatários das faturas o portal pode igualmente integrar automaticamente com os seus sistemas de gestão, facilitando o processo operacional e administrativo da organização, independentemente do formato selecionado (o portal já conta com alguns formatos padrões, como por exemplo CNAB, XLS entre outros). Caso o destinatário não queira efetuar a integração automática, ele pode consultar todas as informações diretamente no portal, com o mesmo layout da fatura em papel. 

Em uma fase seguinte, e pensando de forma mais abrangente, a operadora de telecomunicações pode integrar esta ferramenta com outros sistemas e definir qual o melhor portfólio de clientes, aumentando o valor por cliente e minimizando a inadimplência.

E convém não esquecer a imagem junto do público. Hoje cada vez mais as pessoas estão atentas e dão preferência às organizações que adotam uma estratégia amiga do ambiente, as “empresas verdes”, com responsabilidade socioambiental. 

Marcelo Brancato

Country Manager da Saphety Brasil

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(0)
Tags: Nota Fiscal Eletrônica Saphety Tecnologia Telecomunicações