Quem é seu maior inimigo? Todo profissional devia saber isso.

Quando você compreende o grande segredo de quem faz sucesso

Dalila Ribeiro

Quantos profissionais se vêm prejudicados por chefes cuja gestão é baseada no favoritismo dos “amigos” e bajuladores, quantos se sentem aflitos pela quantidade de “colegas” que querem puxar seus tapetes.

E quando temos o azar de trabalhar em ambientes repleto de chefes bajulados e colegas de trabalho puxadores de tapete? Como podemos identificar nosso maior inimigo?


Vou dar uma dica simples, para ser executada passo a passo, exatamente como será descrito aqui:
01 – Vá ao banheiro
02 – Olhe no espelho
03 – É só isso! Você acabou de conhecer o seu maior inimigo!


Mas como assim?
Um monte de gente querendo te prejudicar e o seu maior inimigo é você? Logo você? Que tem sofrido pressão por todos os lados, que tem sido injustiçado dia após dia, que tem sido prejudicado pela maldade dos demais?
Sim, exatamente! VOCÊ!


Quando ainda era adolescente e fazia trabalho voluntário em uma escola de ensino fundamental no interior de Goiás, tive a maravilhosa oportunidade de conhecer duas pessoas que sem saber me ensinaram uma das maiores lições de vida que eu poderia aprender.


Estou falando de Julia e Juliana, duas irmãs com 6 e 8 anos de idade. Sempre sorridentes e cheias de desejo de aprender, a escola era o paraíso para elas, participavam de tudo e nunca perdiam aula. Fizesse chuva ou sol, frio ou calor, lá estavam elas!


Descobrimos mais tarde que os pais eram alcóolatras e durante o estado de embriaguez as vezes haviam cenas de agressão, descobrimos que elas viviam em uma casa no meio de uma pastagem, uma casa abandonada, que não tinha energia, chuveiro e nem sequer água encanada, descobrimos também que essa casa desabou com uma tempestade e que elas junto com os pais dormiram quase uma semana no relento.


Sim, é uma história estarrecedora, mas o que mais nos deixou perplexos é que descobrimos tudo isso porque outras pessoas denunciaram, porque era impossível perceber isso no comportamento delas, o sorriso, os olhinhos brilhantes quando chegavam na escola, o desejo de participar de tudo, a força para levantar às 6:00 da manhã com um frio de 15 graus e aparecer na escola vestidas de bermuda (a única roupa que por vezes elas tinham).


É claro que após descobrirmos tudo isso, fizemos um grande movimento para ajudá-las, mesmo assim diante das tentativas de recuperação, os pais continuaram bebendo por muito tempo. Elas se mudaram com a família para outra cidade e a última notícia que tivemos, é que o esforço delas comoveu as pessoas que a viam entrar no ônibus todos os dias tão cedo para estudar, chegando ao conhecimento de uma coordenadora que atuava em uma das melhores escolas particulares daquela cidade, que as ofereceu uma bolsa de estudos, e sendo uma escola incorporada em uma Universidade estenderam a bolsa também para o ensino superior, e ainda as ofereceram um emprego, elas então seguiam aproveitado aquela oportunidade maravilhosa e cuidando dos pais com muito amor e carinho.


O que Julia e Juliana têm a ver com o fato de você ser seu maior inimigo?
Porque a grande lição que eu aprendi com elas é que mesmo quando tudo a nossa volta está horrível, ser feliz e continuar batalhando é uma escolha NOSSA, é NOSSA RESPONSABILIDADE!


Elas tinham todos os motivos para desistir da escola, há quem desista por muito menos, elas tinham todos os motivos para não gostar dos pais, há quem não valorize os pais por muito menos, elas tinham incontáveis motivos para se entristecer e perder as forças para lutar por um futuro melhor, mas isso tudo parecia ser uma espécie de combustível que as deixava ainda mais fortes, que deixava o senso de otimismo delas ainda mais apurado, fazendo com que elas encontrassem motivos para sorrir nas pequenas coisas, naquelas quase imperceptíveis!


A história estarrecedora de Julia e Juliana nos deixa ainda mais estarrecidos quando percebemos que nós temos desistido por muito menos e que temos usado os acontecimentos ruins para escolher nos encolher diante da vida, quando podemos sim escolher bater no peito e gritar bem alto, quem manda aqui sou eu e eu escolho vencer!

Então, se você olhou no espelho e enxergou alguém que tem batido no peito, levantado a cabeça e escolhido triturar a chateação do seu ambiente de trabalho e transformá-la em combustível para a sua viajem, parabéns você é o seu melhor amigo.
Mas se olhou no espelho e viu alguém que tem remoído as chateações e permitido que elas sugassem toda a sua energia, então cuidado, você tem sido o seu maior inimigo.
Como mudar isso? A transformação só pode acontecer quando você assumir a responsabilidade total pelo seu estado de espírito, deixar que os atos das outras pessoas controlem como você se sente e quem você é, é o maior erro que você pode cometer.

 

 

A história de Julia e Juliana é real, mas os nomes foram alterados para manter o sigilo das identidades.

Café com ADM

Café com ADM

#111
O papel do banco no crescimento do seu negócio
Este episódio especial do Café com ADM traz uma entrevista com Julio Volpp, diretor executivo de Clientes e Canais da Caixa, que fala sobre como uma relação inteligente do empreendedor com o banco pode ajudar seu negócio a crescer. Este episódio é uma parceria patrocinada pela Caixa
Café com ADM #111 O papel do banco no crescimento do seu negócio
00:00 00:00
Confira outros episódios


Compartilhar
Compartilhar
Administradores
ou faça login através das redes sociais
Administradores

O login deve conter apenas "letras" (minúsculas), "números" e "_". Ele será usado para lhe identificar no seu perfil.

Entre com a sua conta

Administradores
Administradores

Torne-se um Administrador
Premium por apenas
R$ 47,00 mensais

Ou cadastre-se com: