A nova Escola de Negócios para os novos negócios do Século XXI

Nos últimos 13 anos, o número de matrículas em cursos presenciais, tanto de IES públicas quanto de privadas, cresceu 129% no Brasil

Fappes, Publieditorial,
iStock

“Educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo”, disse Paulo Freire em algum momento de sua nobre existência. Até aí tudo bem, mas partindo desse raciocínio, quem é que transforma a educação?

Nos últimos 13 anos, o número de matrículas em cursos presenciais, tanto de IES públicas quanto de privadas, cresceu 129% no Brasil. Mas como competir com as grandes potências do setor, sem persistir na mesma abordagem?

Atualmente são mais de duas mil IES em todo o Brasil. De um total de 7 milhões de estudantes, 1,3 milhões concentra-se na grande maioria dessas instituições. O resto do público (cerca de 80%) está nas grandes potências da educação superior brasileira, como Kroton, Estácio e Anhanguera, representando apenas 17% do total de instituições.

Como é possível, então, dentro desse cenário nada favorável, atrair alunos para uma Instituição de Ensino Superior de pequeno porte? E mais do que isso: como fazer com que esses alunos acreditem na sua empresa e não nas que são infinitamente maiores?

Foi pensando nisso que Leandro Berchielli, empreendedor educacional e Diretor Geral de uma Faculdade em São Paulo, encontrou uma saída muito promissora para esse problema, mas, ao mesmo tempo, muito simples: Disrupção. Afinal, desde quando a educação permanece estagnada? Com as mesmas metodologias, mesmos processos, mesmos equívocos...

Voltada para a área de negócios, a FAPPES - Faculdade Paulista de Pesquisa e Ensino Superior tem como forte seu curso de Administração, que contempla 80% de seu público. Acontece que, no início de 2013, Berchielli percebeu que precisava fazer algo para impulsionar o seu negócio. Não só para alavancá-lo, mas também para torná-lo único e especial. Foi aí que surgiu o Programa Futuro Executivo.

O Programa Futuro Executivo é uma graduação em Administração com uma série de benefícios, a começar por um intercâmbio de um mês na McGill University, eleita a primeira escola de negócios do Canadá, com 12 Prêmios Nobel.


PROGRAMA FUTURO EXECUTIVO: COMO FUNCIONA

Ao se matricular no Programa Futuro Executivo, uma série de diferenciais são oferecidos aos alunos e alunas. Dentre os benefícios, podem ser destacados - e admirados: as sessões de Coaching, o curso de inglês para negócios e um incrível módulo internacional. Tudo incluso na grade curricular da graduação em Administração.

Com uma proposta muito plural, o Programa Futuro Executivo deixa de ser uma graduação comum, e isso vai muito além do módulo internacional em si, porque é uma promessa global em todos os aspectos.

Na essência, a graduação em Administração do Programa Futuro Executivo é semelhante à convencional. Os Futuros Executivos, inclusive, estudam juntos com os demais. Entretanto, Leandro Berchielli encontrou outro meio de ir transformando o ensino superior: implantou o Sistema Blox, uma metodologia por competências, onde o aluno tem a liberdade de escolher as disciplinas que vai estudar, direcionando seu currículo para o seu momento de carreira, de uma maneira única no Brasil.

 

“Explicação breve do Sistema Blox”

É importante ressaltar que, uma vez matriculados no Programa, os alunos da FAPPES têm de participar de todos os benefícios que lhes são oferecidos, uma vez que todos eles fazem parte da grade disciplinar do curso. O não cumprimento de alguma tarefa - principalmente as que se referem diretamente ao módulo internacional, como o curso de inglês – pode fazer com que o aluno perca o direito de viajar ao Canadá.


O MÓDULO INTERNACIONAL

Antes de ir para o Módulo Internacional, de fato, os alunos passam por um curso de inglês para negócios por cerca de dois anos. O curso os prepara para aproveitarem ao máximo a viagem ao Canadá, que contempla um curso especial de 80h de duração, passagens de ida e volta, e hospedagem completa por um mês.

A parceria com a McGill University nasceu no início do Programa Futuro Executivo. Desde então, mais de 70 alunos já puderam fazer o intercâmbio, vivenciando um curso intensivo criado pela própria McGill, especialmente aos alunos da FAPPES. Ele é voltado à própria área de negócios, um dos pólos mais fortes da universidade canadense, além da área de artes, que também é muito explorada por lá - e não só por ela: pensamento disruptivo e visão humanista são leis na Faculdade FAPPES.

Para conseguir a parceria com a McGill University, Berchielli foi pessoalmente apresentar a proposta educacional aos diretores da universidade canadense, que logo se propuseram a criar um curso especial aos alunos da FAPPES. A cada ano o curso se adequa às realidades de mercado atuais, coisa que Berchielli também pensou para a faculdade paulistana.



MCGILL UNIVERSITY E O CURSO

Contemplada em inúmeros aspectos, a McGill University, situada em Montreal - Canadá, já conquistou 12 Prêmios Nobel desde 1821, ano que foi fundada. Hoje já possui uma carteira de 300 cursos e chega a 40 mil estudantes, de 150 países diferentes. A McGill é considerada uma das universidades mais inovadoras do mundo, sendo a número 1 em Business no Canadá.

O curso oferecido aos alunos do Programa Futuro Executivo está também voltado a área de Business, onde eles aprimoram e evoluem tudo que já vêm aprendendo no curso de Administração. São totais 80 horas de discussão sobre o mundo dos negócios, além do aprimoramento cultural, da língua inglesa e também o aprimoramento pessoal.

Mudando a forma de enxergar o mercado educacional e o ensino na área de negócios, a FAPPES conseguiu concentrar no Programa Futuro Executivo tudo aquilo que o mercado valoriza em um profissional.

Para saber mais sobre o Programa, acesse: futuroexecutivo.com.br




Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração