Mais comentada

A situação com o chefe está complicada? Aprenda a "educá-lo"

Profissionais que trabalham com chefes wokaholics, por exemplo, devem "domá-los" de forma inteligente

Infomoney,

De um lado está você, do outro, a empresa. E no meio, seu chefe. Algo bastante comum no mundo corporativo é apesar do profissional se identificar com os valores da empresa, ele não combina com o superior. Entretanto, há uma solução para isso.

A coach Susana Azevedo explica que não é porque o profissional e o chefe não tenham os mesmos valores que eles não possam trabalhar em conjunto, é preciso, apenas, ajustar alguns pontos. A primeira coisa a fazer é identificar quais os problemas que você tem com seu chefe e entender até que ponto ele está aberto para uma conversa.

Eduque seu chefe

Caso o canal seja aberto, é importante conversar e esclarecer o que acontece. Nessa reunião, leve os pontos levantados e tente embasar seus argumentos para não parecer reclamações infundadas. Caso a situação não seja tão simples assim, o profissional tem que “educar seu chefe”, diz Susana.

Muitas vezes, por exemplo, os profissionais encontram no meio da sua trajetória profissional chefes workaholics, que não ficam satisfeitos quando não trabalham muitas horas a mais do que o expediente. Apesar disso, a empresa nem sempre exige esse tipo de postura dos seus colaboradores. O problema é que você trabalha diretamente com o seu chefe e nem sempre é fácil desconsiderar os valores dele.

A solução, então, é educá-lo. Isso quer dizer que o profissional tem que aprender a dizer alguns ‘nãos’, mas de forma inteligente. Quando o chefe liga no final de semana, perguntando sobre algo que poderia ser feito na segunda, fale que está com sua família e tente mostrar o quão inapropriada é essa ligação.

Quer agradar? cuidado

Quando você já está horas além do expediente e o chefe pede mais alguma coisa, questione-o sobre a real urgência da demanda. Normalmente, os profissionais acabam aceitando tudo que o chefe manda e fazendo tudo que ele quer, independente se extrapola seu horário de trabalho, pois querem mostrar serviços a agradar o chefe.

Esse comportamento, porém, não é uma boa estratégia, pois após algum tempo o profissional acaba se estressando podendo, inclusive, perder a compostura. Pensando exatamente em evitar qualquer tipo de confusão futura, ele tem que deixar bem claro - desde o começo -, quais são seus valores.

Dizer 'não' para um chefe, porém, não é algo tão simples. Porém, há estratégias para isso. Susana explica que deixar tudo bastante claro, sempre vai ajudar o funcionário. Na prática, se você sentar com o chefe e definir suas metas e prazos, fica mais fácil lidar com ele.

Ainda, defina com ele como será sua avaliação. Se você for avaliado pela entrega do trabalho e entregá-lo, você consegue lidar com o modelo workaholic de trabalhar do seu chefe. Isso porque, a avaliação não vai considerar quantas vezes você ficou trabalhando até mais tarde, mas, sim, se você entrou o trabalho no prazo.

Susana aconselha que o profissional tente planejar e acordar com o chefe suas metas de curto, médio e longo prazo, pensando sempre na sua avaliação.

Por fim, lembre-se que você não está sozinho. Caso o chefe esteja realmente abusando, procure o RH. As empresas querem resolver a situação. E quando descobrem que possuem líderes que não compartilham dos mesmos valores, se articulam para resolver a situação.

Ainda, é interessante acionar sua rede de contatos, ou seja, seu networking dentro da própria empresa. Outros profissionais que têm poder de decisão na empresa devem saber o que está acontecendo, e eles podem lhe auxiliar a reverter a situação.





Tags: chefe educação